terça-feira, 22 de julho de 2008

SOLIDÃO

Vivemos num mundo cercado de meios
moderníssimos de comunicação.
Hoje, viver isolado,
ou sem nenhuma informação e contato
é quase que impossível.
Temos meios que a uns 20 anos atrás
nem se ouvia falar.

Aconteceu! Virou notícia! Ta na tela.
A todo momento somos,
quase que bombardeados de tantas
informações novas chegando.
Os meios de comunicação mantém
pessoas e outras tecnologias nas 24
horas do dia em constante trabalho
na busca de novos acontecimentos.

É TV, rádio, jornal, revistas, internet,
e-mail, folders,
tudo nos informando sobre alguma coisa.
Nós,
que estamos no meio de tudo isso,
pensamos:
que bom,
ao menos não estamos sozinhos.
Será?

Estar na frente de uma TV todo o dia,
ou na frente de um computador,
não significa necessariamente que
estejamos em contínua comunicação.

Estamos aí e apenas somos
receptores de tudo o que eles passam,
e nos é apresentado.
Por mais que algo nos toque,
mecha com nossos sentimentos,
não quer dizer que nos tira da solidão.

Nada substitui uma conversa
com uma outra pessoa.
O aperto de mão, o abraço,
o carinho, uma amizade.
Amizades pela internet,
na sua grande maioria são perigosas.
Há pessoa que usam da boa
vontade dos outros para fazer sacanagem.
Nem todos é claro.

Estar em constante contato com
os meios de comunicação pode ser
sim uma forma de viver a solidão.
A pessoa não quer ou não consegue
se relacionar pessoalmente com
alguém e se refugia nos meios de
comunicação como uma forma
de fugir da solidão.
Engana-se.

A solidão é rompida quando há diálogo,
contato frente a frente com o outro.
Os meios de comunicação nos
ajudam nas informações,
mas não nos tiram da solidão.

Muitas crianças,
adolescentes e jovens são submetidos
à solidão por problemas diversos.
Os pais não querem que seus
filhos saiam de casa,
pois na sociedade em que vivemos,
cercada pelo terror,
pode ser que seus filhos nem voltem mais.

Ai então eles são submetidos à
longas horas de TV,
computador, vídeo game.
Isso pode gerar pessoas egoístas
e muito fechadas.
Podem ser pessoas inteligentes ou com
bastante informação e conteúdo,
porém frias e insensíveis.

Para o mundo atual,
já que quase tudo é assim,
parece que é mais vantajoso ser
mais competente que humano.
Nem todos são assim, mas,
infelizmente somos educados
e orientados para o sermos.

Você é convidado a lucrar a qualquer custo,
ainda que tenha que passar
por outras pessoas.
Pouco se preocupa em educar as
pessoas a praticarem a caridade,
a serem mais humildes,
mais humanas, mais sinceras.
É vencer a qualquer preço.
Aí você é melhor.

Essa solidão pode nos levar a loucura e até,
em casos extremos, a morte.
Ninguém suporta a solidão,
ainda que goste.
Ela nos amedronta,
causa pânico.

É preciso educar em primeiro lugar
para sermos mais humanos,
mais fraternos, mais sinceros.
O resto virá por acréscimo.
Educar para a comunicação,
para o diálogo, para a abertura,
não para o fechamento.
Educar para o compromisso,
para a solidariedade e para a fraternidade,
fazendo a vida acontecer
em primeiro lugar.

TEXTO: Hermes José Novakoski
* * * * *
Texto lido no programa
"Madrugada Viva Liberdade FM"
no quadro
"Momento de Reflexão"
no dia 23 de Julho de 2.008.

Nenhum comentário: