sábado, 3 de dezembro de 2011

O QUE FAZER COM O FRACASSO

O que fazer quando
“caímos do cavalo”?
Levantar e tentar
acertar novamente.
Só isto!

Não basta ficar mentalizando
o sucesso e lendo livros
idiotas de auto-ajuda.

Não funciona buscar
as causas nos outros,
ter autopiedade ou comportar-se
como eterna vítima.

Ser covarde e se esconder
ou somente chorar
não ajuda em nada.

Levantar,
entender porque erramos
e tentar mais mil vezes
se necessário.
Nunca desistir.

As pessoas muitas
vezes nem tentam porque
têm pavor do fracasso.
Ficam paralisadas diante
do medo de errar.

Medo todos temos,
o que nos diferencia é
a capacidade de dominá-lo.

Uma analista de uma
empresa me
contou que um consultor
perguntou sua idade
e quando ouviu que ela
tinha 30 anos,
disse: “...
você nunca será gerente.

Quem não foi promovido a
gerente até esta idade,
não o será jamais”.

Um sujeito realmente
burro e idiota este consultor!

Roberto Marinho começou
a construir um império
quando já tinha 60 anos de idade.

Conheço um empresário
que hoje tem setenta
anos e iniciou sua empresa
de 300 milhões de reais por
ano aos 64!

O conselho que dei a esta
jovem profissional?
Esqueça o idiota,
um idiota é invencível!

Você venceria o Einstein em
uma discussão se
tivesse razão,
mas você nunca vencerá
um idiota.

E, atenção:
afaste-se dos idiotas,
eles podem encontrá-la em
um dia carente e você pode
acreditar em um deles,
desorientando-se por
muito tempo.

O fracasso deve funcionar
como um combustível
para a vitória.
Cada vez que você tenta
e não consegue,
você fica mais perto do jeito
certo de fazer.

Evidentemente,
não basta apenas tentar
sem o devido PREPARO.

O que nos dá PAZ DE ESPÍRITO
na derrota é a certeza
de que nos preparamos o
máximo possível para a vitória.

Quando terminamos
a preparação e vamos
para a luta,
já não temos o controle
total da situação.

Então,
é hora de relaxar e de tentar,
sem pensar na
possibilidade do erro.
Se perdermos,
pode ser porque não
somos bons o suficiente
ou porque encontramos
competidores muito melhores
do que nós.

A única causa que não
poderia estar presente em
nossa derrota é a
falta de preparo.

Insisto neste ponto
porque nada é tão poderoso
na vida profissional
quanto o suor,
a quantidade de horas
de estudo e de trabalho.

É preciso TRABALHAR
muitas horas.

Quando alguém me diz
que fracassou porque não
teve tempo para isto
ou para aquilo,
recomendo que esta pessoa
durma menos.

Ninguém é vitorioso apenas
cumprindo oito horas
de trabalho por dia.

O fracasso pode
ser evitado com muitas
horas de trabalho e de estudo
à noite e nos finais
de semana.

Não conheço qualquer
pessoa vitoriosa que não
tenha sacrificado
centenas de sábados e
de domingos e horas de
descanso após às
seis da tarde.

Não devemos,
portanto,
pensar na possibilidade
do fracasso,
devemos manter o foco
na PREPARAÇÃO.

Os vitoriosos experimentam
fracassos,
vitórias e preparação.

Os preguiçosos e perdedores
apenas experimentam
o medo.

TEXTO: Paulo Ricardo Mubarack
(consultor de gestão,
qualidade,
administração de pessoas,
rh, iso9001 e autor do livro empresas nuas)
mubarack@terra.com.br
www.mubarack.com.br
* * * * *
Texto lido no programa
"Madrugada Viva Liberdade FM"
no quadro
"Momento de Reflexão"
no dia 10 de Dezembro de 2.011.

Nenhum comentário: