sábado, 1 de julho de 2017

Preces me acalmam! O calor de Deus movimenta meu espírito…

Eu vou vivendo de amor. Vou vivendo dentro da minha realidade. Vou soprando palavras ao vento e sentindo meu destino.

Preces me acalmam. O calor de Deus movimenta meu espírito. Por vezes, ajoelho-me diante de tantas benesses e agradeço. Por vezes adormeço sem pensar na próxima etapa, na próxima vivência, na próxima sensação.

Dentro de um tempo onde corações não se encontram, onde atos generosos estão cada vez mais raros, eu me aconselho com o infinito e sigo.

Tenho saudade de receber bilhetes, tenho saudade das flores na porta, do silêncio induzido pelo amor que não se cala diante do corpo e da alma. Diante do que o toque provoca, diante do que o olhar sussurra baixinho.

Estou vivendo. Perdendo-me dentro de alguns labirintos, dentro da matemática, por vezes problemática, da vida.

Mas eu tenho me assumido e não tenho mensurado o que desejo. Eu me importo com o que sinto e sinto desejo de explorar sentimentos que saibam chegar até dentro de mim.

Vivo de amor, sigo vivendo da mesma música, daquela frase que aborda meu jeito de ser, daquele sorriso que me instiga.

Vivo como quem se lapida, como quem tira as camadas, como quem se despe, até perceber o que existe por trás da própria essência.

Por vezes as coisas se confundem, por vezes tudo cabe dentro de um segundo.

Vou vivendo, costurando meus bordados de luz, transformando meus renascimentos depois de tantos dissabores e desapontamentos, seguindo a minha estrela guia, vou conquistando novamente meu espaço reformado pelas coisas que aprendi com Ele. Coisas que sinalizaram o que precisava ouvir sentir e conduzi-me para um caminho melhor.

Vou, na próxima viagem, mudar de paisagem, transgredir coisas que antes tinha medo, ousando um pouco mais, no salto, na rasteirinha, vestindo a roupa de seguir em frente armazenando o estoque de sonhos para me manter alimentada por um tempo mais ameno, mais simples e menos agressivo.

Na verdade, eu vou dentro de tudo que me permitem e que consigo alcançar com o coração. Quero boas lembranças. Não quero me encher de razão.

Entre a guerra e a paz, entre o meu desarrumado e aquele tanto de coisas que ainda preciso reorganizar, optei em produzir mais e aproveitar a vida, sendo mais eterna dentro daquilo que jamais deixarei morrer em de mim.

TEXTO DE: Sil Guidorizzi 
* * * * * * * * * * * * * * *
Texto lido no programa "Madrugada Viva Liberdade FM" no quadro "Momento de Reflexão" no dia 03 de Julho de 2.017.
* * * * * * * * * * * * * * *
AJUDE-NOS A AJUDAR
Só de clicar nos links de propagandas deste blog você ajuda a Campanha Natal Solidário que promovemos há 23 anos.

Nenhum comentário: