domingo, 18 de fevereiro de 2018

Não crie expectativas!

Uma promoção. Um beijo. Um telefonema. Uma viagem. Desejos. Planos. Sonhos. Tudo isso compõe a vida de qualquer pessoa e não há no mundo quem não goste de conquistá-las.

No entanto, seria tudo perfeito se não fosse por uma única coisinha que nos deixa ansiosos, nos faz perder o sono, a paz e com uma vontade incontrolável de apressar os ponteiros do relógio antes da hora: a maldita expectativa.

Essa mania de querer atropelar a ordem natural dos acontecimentos nos causa um certo sofrimento desnecessário. Até porque, vamos confessar, sentir aquele friozinho na barriga durante a espera daquele telefonema que pode decidir seu futuro é indescritível e inexplicavelmente bom. E, não tem choro, o que adianta se afligir antes da hora se, no fundo, todo mundo sabe que as coisas acontecem quando têm que acontecer?!

Outro empecilho que poderíamos evitar se não esperássemos tanto do fluxo dos acontecimentos e, principalmente, das pessoas é a maldita decepção. Muitas vezes decepcionamos pessoas, inclusive nós mesmos, por criar expectativas demais. E isso não é saudável e só gera frustração.

Confesso que sou uma pessoa super ansiosa. Quando quero algo e coloco alguma coisa na cabeça, eu penso praticamente 24 horas naquilo e não sossego até conseguir conquistar.

Confesso também que essa minha ansiedade já me fez quebrar a cara, já me decepcionou e hoje, graças a uma dose de maturidade também, me lembra a cada instante que ela precisa ser comedida.

Depois de tantas unhas roídas, hoje consigo controlá-la. E essa, nada fácil, tarefa, que tento aperfeiçoar diariamente, só me trouxe coisas boas: menos expectativas, que resultam em menos frustrações e, melhor, que possibilitam mais aproveitamento de curtir o momento como ele deve ser curtido, sem pular de fases, etapas e tudo isso com mais serenidade. É preciso sim ‘keep calm’ e ‘carpe diem’.

Além do mais, quando não criamos expectativas ficamos mais abertos e nosso campo de visão consegue enxergar além, pois quando ficamos bitolados na ‘espera’ de algo que pode nem vir a se concretizar, inconscientemente deixamos passar muitas portas, janelas, oportunidades, olhares, sorrisos e, pessoas, que podem sim nos surpreender.

Por isso, um dos meus lemas de vida hoje é tentar, ao máximo, não criar expectativas e, mais que me permitir ser surpreendida, sei que a vida por si só se encarrega, incrivelmente e magicamente, de nos surpreender.

Antes da hora não era a hora. Depois da hora já não é mais a hora. Na hora, é a hora.

TEXTO DE: Não encontrada. Fineza nos informar através do e-mail toninho.lima@radioliberdade.com.br para que possamos dar os créditos merecidos a que o escreveu.
* * * * * * * * * * * * * * *
Texto lido no programa "Madrugada Viva Liberdade FM" no quadro "Momento de Reflexão" no dia 20 de Fevereiro de 2.018.
* * * * * * * * * * * * * * *
AJUDE-NOS A AJUDAR. Só de clicar nos links de propagandas deste blog você ajuda a Campanha Natal Solidário que promovemos há 24 anos.

sábado, 17 de fevereiro de 2018

Chega de esperar, é hora de mudar!

Toda mudança deve ser primeiramente para e por si próprio, e quando as atitudes do outro não agradam mais, talvez seja a hora de VOCÊ mudar!

Inúmeras vezes nos pegamos pensando em como poderia ser, caso algumas pessoas mudassem as atitudes que não nos agradam ou favorecem, para que, enfim, as relações com elas se transformassem em flores. E ali ficamos, esperando uma mudança, a qual nem sabemos se realmente vem.

Porque esperar, se nós podemos mudar?

Você já parou para pensar que talvez o que o incomoda em alguém seja algo natural e que o agrade?

Toda mudança deve ser primeiramente para e por si próprio, e quando as atitudes do outro não agradam mais, talvez seja a hora de VOCÊ mudar!

Mudar a maneira como reage diante das situações, afastar-se, parar de insistir naquilo que não lhe faz bem e de querer se encaixar onde você sabe não ser seu lugar.

Cobrar a mudança de quem está feliz, não vai melhorar nenhuma situação. Cada um sabe a delícia e a dor de ser aquilo que é!

A ausência da alegria naquilo que estamos fazendo não significa, necessariamente, que precisamos mudar O QUE estamos fazendo. Talvez, basta mudar O COMO.

A maioria das mudanças não são fáceis, algumas doem muito no começo e outras fazem você se questionar se realmente está no caminho certo ou se não deveria ter suportado um pouco mais e quem sabe as coisas melhorassem. É um processo trabalhoso, mas que vale muito a pena.

Pode ser que a mudança aconteça por caminho estranhos, onde você vai passar por cima de sentimentos como medo ou culpa e talvez sem necessidade de uma grande quantidade de atitudes da sua parte, mas que vão tornar a sua vida mais proveitosa.

O mais gratificante de todo esse processo é que, ao se olhar no espelho, você sentirá orgulho de si mesmo, verá que todo o trabalho e toda dor o transformaram numa pessoa melhor e outros se espelharão em você.

Quer um mundo melhor? Comece mudando o seu mundo!

TEXTO DE: Larissa Rubia
* * * * * * * * * * * * * * *
Texto lido no programa "Madrugada Viva Liberdade FM" no quadro "Momento de Reflexão" no dia 19 de Fevereiro de 2.018.
* * * * * * * * * * * * * * *
AJUDE-NOS A AJUDAR. Só de clicar nos links de propagandas deste blog você ajuda a Campanha Natal Solidário que promovemos há 24 anos.

sexta-feira, 16 de fevereiro de 2018

Objeto dos sonhos? Um relógio com ponteiro que pule as horas difíceis.

Objeto dos sonhos? "Um relógio com ponteiro que pule as horas difíceis" - foi o que eu li hoje numa postagem. E essa publicação me lembrou daquele filme "Click", que ao invés de relógio, era um controle remoto mágico que dava À pessoa a possibilidade de viajar no tempo.

Com essa chance, literalmente nas mãos, os tempos difíceis e chatos eram passados num piscar de olhos, e nenhuma trajetória real se configurava na trama da vida apenas com os momentos satisfatórios e de alegria como protagonistas.

No filme, ele pulou tanto as fases difíceis, de construção, de dor, de crise que num determinado momento ele se deu conta de que o tempo estava tirando toda a sua vida. Viu-se preso na armadilha do tempo e nas escolhas feitas sem a sua consciência.

Viver de fragmentos e de apenas bons momentos é certo que não configura vida!

E é esse o nosso problema: querer pular as horas de dificuldade, de dor; anular os sentimentos que não são bons ou, simplesmente, amortecê-los.

E se existisse mesmo essa chance de pular, fatalmente pularíamos, viajaríamos no tempo, na busca de melhores dias, na fuga de nós mesmos!

Alguns fazem desse pulo o pulo mortal, como se assim pudessem acabar com todo o sofrimento e dor. Outros se amortecem por meio do álcool, drogas, comida, compra e/ou relacionamento destrutivos.

Suprem faltas e carências com futilidades.

Lidar com a dor não é tarefa fácil, mas não impossível! Somos altamente capazes de acolhê-la e trazer novos significados. Pois em verdade, não há fuga de si!

Nós nos levaremos pela eternidade. A dor é uma projeção de algo que se colocou como verdade, um reflexo do seu eu, do seu estado, do seu pensamento. Todo sentimento parte de um pensamento. Mantenha-se vigilante.

As nossas mentes carregam muito sentimentos e noções de culpa, de pecado vindos de muitos condicionamentos , crenças e doutrinas religiosas. São, no fim, memórias arraigadas que trazem diversos conflitos, não permitindo assim a livre expressão do ser, que não seja carregado de algum medo, culpa, ou pelo sentimento de não pertencimento. 

Memórias erradas que resultam em comportamentos insensatos, providos de uma visão distorcida de crenças e valores irracionais. Logo, o questionamento é um caminho para a liberdade, para o autoconhecimento, entendimento e, consequentemente, cura.

O que se joga para baixo do tapete não vai sumir, ao contrário, criará raízes, se desenvolver. Refletir em doenças, em prejuízos emocionais e paralisação no tempo. Acolher o agora, o momento, a situação, ou resgatar algo que ficou pra atrás e que ainda traz dor e sofrimento, perdoar, agradecer e entender, é parte de um ciclo, do crescimento espiritual por meio da experiência humana.

É preciso acolher todos os momentos da vida, pois é disso de que ela é feita, de momentos bons e não tão bons. De situações a serem confrontadas e experiências a serem vividas. Muitas destas atraídas por nós mesmos. E é engraçado pensar nisso, porque é como se o presente encomendado chegasse e a gente quisesse devolver, como se o endereço fosse errado! Não adianta virar as costas para a sua própria encomenda. Ela é sua! Ela é resultado do seu pedido, do que você emanou, vibrou, lançou. A autorresponsabilidade é palavra de ordem do novo tempo.

Somos cocriadores da nossa realidade o que nos torna amplamente responsáveis pela própria vida.
E todo momento de crise, que dá aquele comichão de passar pra frente ou pular é a chave da mudança, da oportunidade de transformação, renascimento e por que não de crescimento.

É perceptível a inércia presente na vida humana. Muitos estacionam suas vidas em relacionamentos que não são bons, em empregos infelizes em situações que não fazem bem, por apego, medo, falta de coragem, e por se sentirem incapazes de sair de onde estão. A perda do poder pessoal as fazem estagnar suas vidas na zona do desconforto. Faça da sua vida uma obra de arte de sua própria autoria!

Se você não acolher os seus problemas e dificuldades, buscar resolvê-los, alguém vai tomar conta por você. Seja dono de si, e esteja sempre pronto para o combate. Você tem todo o potencial para isso. Resgate-se.

Esteja no comando da sua mente. Não fuja do seu próprio crescimento. Viver é um ato de coragem constante! Precisamos estar sempre prontos e vigilantes para combater o bom combate.

TEXTO DE: Anieli Talon
* * * * * * * * * * * * * * *
Texto lido no programa "Madrugada Viva Liberdade FM" no quadro "Momento de Reflexão" no dia 17 de Fevereiro de 2.018.
* * * * * * * * * * * * * * *
AJUDE-NOS A AJUDAR. Só de clicar nos links de propagandas deste blog você ajuda a Campanha Natal Solidário que promovemos há 24 anos.

quinta-feira, 15 de fevereiro de 2018

Não viva uma vida mais ou menos!

Quantas vezes você perguntou para alguém em um simples cumprimento: - Olá, tudo bem? - E a pessoa lhe respondeu: - Mais ou menos.

Esse tipo de pessoa, onde tudo existe "mais ou menos" prolifera por aí. E eu fico me perguntando: Está certo, nem sempre estamos felizes, de bem com a vida, mas também nem sempre tudo está "mais ou menos".  Algumas pessoas parecem se sentir bem em viver assim.

- Como está o casamento?
- Ah, mais ou menos.
- E aí, como está a faculdade? Está gostando?
- Tô. mais ou menos.
E assim a vida segue, pela metade, em cima do muro, na perspectiva de nada. Não podemos estar o tempo todo no modo "tanto faz". Essa letargia contamina e faz com que cada vez mais, a cada dia, nós  nos tornemos mais conformados, desanimados, acomodados.

O "mais ou menos" é como um remédio em doses homeopáticas: vai se fortalecendo em nossa mente, até que chegue em um limite onde ou mudamos, nos reerguemos e saímos do marasmo, ou esse tipo de pensamento nos engole. Tudo se torna chato, repetitivo, sem graça e sem jeito.

Será que é isso que queremos para a nossa vida? Uma vida desperdiçada, sem objetivos, sem sonhos e sem esperança? Ou será que somos mais fortes do que esse sentimento de acomodação?

Queremos o melhor da vida ou nos contentaremos sempre com o "mais ou menos"?

Esse tipo de atitude perante a vida é o mesmo que "tá ruim, mas tá bom" ou "antes só do que mal acompanhada".

Não, viver assim não está nada bom, nem vai ficar enquanto não mudarmos nossas atitudes perante a vida e perante nós mesmos.

Temos valor, somos filhos de Deus, temos o Universo ao nosso dispor, é só fazermos amizade com ele, sentirmo-nos parte dele, que a vida se encarrega de mudar a perspectiva infeliz de se contentar com o pouco, quando podemos ter o muito. Existe abundância, paz, felicidade, saúde e alegria por aí, basta saber procurar. Como fazer então?
Respire fundo e pense: se Deus é meu criador e criou o Universo infinito, então infinitas são as oportunidades de conseguir realizar meus desejos.

Vamos vibrar no bem, no bom e no saudável. Vamos ficar nessa sintonia.
Xô tristeza, xô desânimo! Saia de cima do muro e vá pelo caminho que, com certeza, será cheio de flores, de doces aromas, de suaves melodias dos pássaros, com árvores frondosas repletas de frutas e sombras refrescantes. Veja bem, não estou dizendo que será fácil.

Quer facilidade? Fique no mundinho do "mais ou menos", mas se quer vida real e libertadora, arregace as mangas, respire fundo e olhe sempre em frente.
Acorde para a vida e quando alguém lhe perguntar: - Como vai a vida? - você responderá: - A vida está sendo bem vivida!

TEXTO DE: Lucia Almeida 
* * * * * * * * * * * * * * *
Texto lido no programa "Madrugada Viva Liberdade FM" no quadro "Momento de Reflexão" no dia 16 de Fevereiro de 2.018.
* * * * * * * * * * * * * * *
AJUDE-NOS A AJUDAR. Só de clicar nos links de propagandas deste blog você ajuda a Campanha Natal Solidário que promovemos há 24 anos.

quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018

Andamos mimados demais!

Andamos mimados demais! Se o outro não veio, é porque não se importa com você. Se veio e foi embora cedo, é porque achou sua festa chata. Se não respondeu logo sua mensagem, é porque está te evitando. Se não quer mais sair com você, é porque quer te ferir. Se não te convidou para algo, é porque quer te atingir...

Socorro! Como nos tornamos tão autocentrados? E o pior... sofremos muito por isso. Só enxergamos a nós mesmos. Nem consideramos a possibilidade do outro existir. De ter motivos que desconhecemos para agir dessa ou daquela maneira. 

Acreditamos, como crianças, que tudo gira ao nosso redor. Nos colocamos no centro do Universo e decidimos que tudo que o outro faz está focado em nós.

Cegos que estamos, criamos cenários imaginários, com um ponto em comum: "Nós somos as vítimas e o outro... é nosso algoz."

Sofremos. Destruímos relações que tinham tudo para se desenvolver. Caluniamos pessoas. Contamos histórias distorcidas. Deixamos um rastro de destruição atrás de nós. Precisamos acordar. Parar de interpretar a vida a partir de nossa cegueira.

Olhe para o outro. TEM ALGUÉM LÁ!... Com seus desafios, suas feridas, suas dores, com suas forças e fragilidades, com suas limitações Alguém como você. Tentando fazer o melhor que pode. 

Se o melhor do outro fica muito aquém da sua necessidade, você pode se afastar. Você tem TODO O DIREITO de escolher não conviver com alguém, se sente que aquela relação lhe é nociva. 

Mas isso NÃO DÁ a você o direito de responsabilizar o outro por não ter correspondido às suas expectativas. Tampouco isenta você de viver as consequências da sua incapacidade de enxergar para além do seu próprio umbigo (é isso que você faz quando cria expectativas, tenta encaixar o outro no papel que lhe atribuiu e depois o crucifica por ter falhado nisso). 

Ouça. Fique atento para evitar essas armadilhas, se quiser preservar suas relações. Não julgue. Não acuse. Não cobre. Não condene. Saiba. O território do outro é um espaço sagrado ao qual você não tem acesso. Apenas permita.
Exercite o amor.

TEXTO DE: Patricia Gebrim
* * * * * * * * * * * * * * *
Texto lido no programa "Madrugada Viva Liberdade FM" no quadro "Momento de Reflexão" no dia 15 de Fevereiro de 2.018.
* * * * * * * * * * * * * * *
AJUDE-NOS A AJUDAR. Só de clicar nos links de propagandas deste blog você ajuda a Campanha Natal Solidário que promovemos há 24 anos.

terça-feira, 13 de fevereiro de 2018

"Por detrás da máscara de gelo que as pessoas usam, existe um coração de fogo"

"Por detrás da máscara de gelo que as pessoas usam, existe um coração de fogo. - Paulo Coelho"

Apesar das pessoas colocarem máscaras físicas no período do carnaval, normalmente elas tiram a máscara da alma. Nesses dias de descanso e festa, algumas pessoas se libertam das máscaras usadas no dia a dia, de uma fria rotina robótica de casa - trabalho - casa - TV, e vão em busca de alegria e prazer.

Esse prazer a que me refiro não está relacionado à "pegação", embora cada um deva ser livre para viver da forma que acha melhor para si, não apenas em períodos específicos do ano, mas o ano todo. Refiro-me aos prazeres que nos permitimos sentir nos momentos de lazer, como confraternizar com os amigos e familiares, fazer nossos hobbys, fazer um retiro espiritual para nos conectarmos com a espiritualidade, etc.

Parece que nessa época nos sentimos mais livres para ser quem realmente somos e para viver nossas paixões. Amantes de livros, por exemplo, aproveitam para "devorar" o máximo de livros que conseguem ler.

Amantes de séries e filmes aproveitam para assisti-los o dia inteiro. Amantes da religião aproveitam para vivenciarem ainda mais suas crenças. Amantes da sedução aproveitam para viverem seus relacionamentos momentâneos de forma pública.

Enfim, seja o que for que mais gostem de fazer nos momentos de "liberdade", as pessoas tiram as máscaras de gelo que cobrem seus verdadeiros sentimentos na maior parte do tempo de seus dias comuns e demonstram a chama da vida que queima dentro do peito.

Aproveitar a vida, nem sempre está relacionado com prazeres momentâneos, e sim a viver da maneira que desejamos, mostrando quem realmente somos. É viver com leveza e satisfação, conectados à nossa própria essência.

"A vida é dura" é uma frase que costumamos repetir o ano todo, tanto no mundo profissional quanto no pessoal, e o fato de repetirmos e acreditarmos nessa frase, certamente torna a vida ainda mais difícil e pesada.

TEXTO DE: Priscila Mattos
* * * * * * * * * * * * * * *
Texto lido no programa "Madrugada Viva Liberdade FM" no quadro "Momento de Reflexão" no dia 14 de Fevereiro de 2.018.
* * * * * * * * * * * * * * *
AJUDE-NOS A AJUDAR. Só de clicar nos links de propagandas deste blog você ajuda a Campanha Natal Solidário que promovemos há 24 anos.

sábado, 10 de fevereiro de 2018

Não pense você que gente ruim se dá bem na vida, porque eu te garanto que não dá

O orgulho engana, a ganância cega, e a malandragem domina, mas o que é honesto, o que é feito com dignidade e na presença e aprovação de Deus, supera qualquer maldade, e faz cair a máscara de qualquer gente trapaceira e sem história.

Pessoas que erram, e, se vitimizam quando os seus erros são descobertos aos invés de assumi-los e pelo menos tentarem ser ou fazer diferente não conseguem chegar a lugar algum. Primeiro pelo seu desequilíbrio emocional, segundo por tentarem se justificar diante do que esta claro aos olhos de muitos, gritando aos quatro cantos que querem ver o seu fim.

Ninguém, por mais inteligente que pareça ser, por mais aplaudido ou garantido na vida tem caminho livre se não tiver respeito, sensatez, humildade e principalmente, se não souber caminhar sem prejudicar o outro, sem desejar o que é do outro, sem sabotar os sonhos do outro. Já vi muita gente dizendo: fulano é mal, é falso, é traíra e esta se dando bem na vida.

Aparentemente sim, mas lá na frente, na estrada chamada futuro TEM UMA PLACA com a seguinte mensagem: "Malandragem e soberba não tem vez, aqui acaba o seu percurso, volte e comece de novo. Infelizmente já vi muita gente cair no laço do orgulho, sendo quem não é, e tendo que tampar o rosto pra não apresentar aos outros as marcas da máscara que caiu.

Ninguém perde por ser honesto nesta vida, ninguém perde por ser gente de verdade, por levar a sério o seu coração, por saber esperar a sua vez, por conseguir caminhar com as suas próprias pernas, com os seus próprios sentimentos e por saber respeitar o outro.

Ninguém perde por ser autêntico, simples, humilde, por ser de Deus... Só ganha, só cresce, aparece e permanece... Vai por mim, e opte pelo que é correto. Seja humano...Seja você.. seja do bem.

TEXTO DE: Cecilia sfalsin
* * * * * * * * * * * * * * *
Texto lido no programa "Madrugada Viva Liberdade FM" no quadro "Momento de Reflexão" no dia 13 de Fevereiro de 2.018.
* * * * * * * * * * * * * * *
AJUDE-NOS A AJUDAR. Só de clicar nos links de propagandas deste blog você ajuda a Campanha Natal Solidário que promovemos há 24 anos.