quinta-feira, 23 de outubro de 2008

SAUDÁVEIS POR DENTRO E POR FORA

"De todo o meu coração tenho te buscado;
não me deixes desviar dos teus mandamentos".
Salmos 119:10.

Durante uma tempestade,
com fortes ventos e trovões,
um grande carvalho foi derrubado.
Acreditava-se que
a árvore era perfeitamente saudável,
pois, sua aparência externa
transmitia pleno vigor com suas
belas folhas verdes.
Porém,
a gigantesca árvore não
conseguiu resistir à força dos ventos
devido a estar deteriorada
no lado de dentro.
Começou com uma minúscula corrupção
no centro que se espalhou até
que aquela árvore imensa estava
completamente debilitada,
sendo tombada pelo vento.

Podemos atingir um ponto em
que abandonamos totalmente a Deus.
Isso acontece quando nós,
como aquela árvore,
deixamo-nos corromper no lado de dentro.

A deterioração, talvez,
comece com uma pequena mentira,
ou um copo de bebida alcoólica,
ou o abandono da igreja para
ir pescar ou a um passeio qualquer.
Deixando de lado nosso compromisso
com o Senhor,
logo nossos pés nos levam a lugares
onde não deveríamos ir e nossas mãos
fazem coisas que não deveríamos fazer.
Com os corações puros seremos capazes
de vencer as tentações e as
lutas que a todo instante nos atacam.

Ser um verdadeiro cristão significa
não apenas ter uma aparência de cristão,
mas uma vida transformada por
Cristo e pronta a seguir os Seus ensinamentos.

É inútil aceitarmos os
usos e costumes estabelecidos
por uma ou outra igreja,
andar com uma Bíblia na mão,
desfilar com uma blusa com um
belo versículo bíblico,
participar da "Marcha Para Jesus",
ou demonstrar qualquer outro sinal
externo de vida cristã,
sem que o nosso coração esteja
completamente colocado na presença
de Deus e pronto a renunciar
aos interesses pessoais em favor de
uma vida que glorifique
verdadeiramente ao Senhor.

Quando buscamos com sinceridade
uma vida com Deus,
não apenas o nosso exterior brilha,
mas o interior também.
Mesmo que os ventos da tentação
nos assolem e o mundo tente minar
nossas forças e desarraigar-nos
da presença do Senhor,
continuaremos firmes, inabaláveis,
seguros pela potente mão do nosso Salvador.

Sua vida cristã tem sido autêntica,
por fora e por dentro?

TEXTO: Paulo Barbosa - Um cego na internet.
* * * * *
Texto lido no programa
"Madrugada Viva Liberdade FM"
no quadro
"Momento de Reflexão"
no dia 24 de Outubro de 2.008.

quinta-feira, 16 de outubro de 2008

PERGUNTAS

Quantas vezes você andava na rua
e sentiu um perfume e lembrou de
alguém que gosta muito?

Quantas vezes você olhou para
uma paisagem em uma foto,
e não se imaginou lá com alguém...

Quantas vezes você estava do lado de alguém,
e sua cabeça não estava ali?

Alguma vez você já se arrependeu
de algo que falou dois
segundos depois de ter falado?

Você deve ter visto que aquele filme,
que vocês dois viram juntos no cinema,
vai passar na TV...

E você gelou porque o bom
daquele momento já passou...

E aquela música que você não
gosta de ouvir porque lembra
algo ou alguém que você quer
esquecer mas não consegue?

Não teve aquele dia em que tudo deu errado,
mas que no finzinho
aconteceu algo maravilhoso?

E aquele dia em que tudo deu certo,
exceto pelo final que estragou tudo?
Você já chorou por que lembrou
de alguém que amava e não
pôde dizer isso para essa pessoa?

Você já reencontrou um grande amor
do passado e viu que ele mudou?

Para essas perguntas existem muitas respostas...
Mas o importante sobre elas
não é a resposta em si...

Mas sim o sentimento...
Todos nós amamos,
erramos ou julgamos mal...
Todos nós já fizemos uma coisa quando
o coração mandava fazer outra...

Então,
qual a moral disso tudo?

Nem tudo sai como planejamos portanto,
uma coisa é certa...
Não continue pensando em suas fraquezas e erros,
faça tudo que puder para ser feliz hoje!
Não deite com mágoas no coração.
Não durma sem ao menos fazer uma pessoa feliz!
E comece com você mesmo!!!

TEXTO: Martha Medeiros
* * * * *
Texto lido no programa
"Madrugada Viva Liberdade FM"
no quadro
"Momento de Reflexão"
no dia 17 de Outubro de 2.008.

terça-feira, 14 de outubro de 2008

O Maior Desafio

"Existem três tipos de pessoas:
as que deixam acontecer,
as que fazem acontecer e as que perguntam
o que aconteceu."
* John Richardson Jr.*

Cada um de nós tem desafios diferentes.
A vida é feita de desafios diários.

Para quem não dispõe de movimentos nas pernas,
transportar-se da cama para a cadeira de rodas,
a cada manhã, é um desafio.

Para quem sofreu um acidente e está re-aprendendo a andar,
o desafio está em apoiar-se nas barras,
na sala de reabilitação,
e tentar mover um pé, depois o outro.

Para quem perdeu a visão,
o grande desafio é adaptar-se à nova realidade,
aprendendo a ouvir, a tatear,
a movimentar-se entre os obstáculos sem esbarrar.
É aprender um novo alfabeto,
é ler com os dedos,
é adquirir nova independência de movimentos e ação.

Para o analfabeto adulto,
o maior desafio é dominar aqueles
sinais que significam letras,
que colocados uns ao lado dos outros formam palavras,
que formam frases.

É conseguir tomar o lápis e escrever o próprio nome,
em letras de forma.
É conseguir ler o letreiro do ônibus,
identificando aquele que deverá utilizar
para chegar ao seu lar.

Cada qual, dentro de sua realidade,
de sua vivência,
apontará o que lhe constitui o maior desafio:
dominar a técnica da pintura, da escultura,
da música, da dança.

Ser um ás no esporte.
Ser o primeiro da classe.
Passar no vestibular.
Ser aprovado no concurso que lhe garantirá um emprego.
Ser aceito pela sociedade. Ser amado.

Para vencer um desafio é preciso ter disciplina,
ser persistente, ser diplomático,
saber perdoar-se e perdoar aos outros.

É ser otimista quando os demais estão pessimistas.
Ser realista quando os demais estão
com os pensamentos na lua.
É saber sonhar e ir em frente.

É persistir,
mesmo quando ninguém consiga nos imaginar
como um prêmio Nobel de Química,
um pai de família, um professor,
prefeito ou programador.

Acima de tudo,
o maior desafio para deficientes,
negros e brancos, japoneses e americanos,
brasileiros e argentinos,
para todo ser humano, é fazer.

Fazer o que promete.
Dar o primeiro passo, o segundo e o terceiro.
Ir em frente.

Com que freqüência se escutam pessoas dizendo
que vão fazer regime, que vão estudar mais,
que vão fazer exercício todo dia, que vão ler mais,
que vão assistir menos televisão,
que vão...

Falar,
reclamar ou criticar são os passatempos
mais populares do mundo,
perdendo só, talvez,
para o passatempo de culpar os outros
pelo que lhe acontece.

Então, o maior desafio é fazer.
E não adianta você dizer que não deu certo
o que pretendia porque é cego,
ou porque é negro, ou porque é amarelo,
ou porque você é brasileiro.
Ou porque mora numa casa amarela.
Ou porque não teve tempo.

Aprenda com seus erros.
Quando algo não der certo,
você pode tentar de maneira diferente.
Agora você já sabe que daquele jeito não dá.

Você pode treinar mais.
Você pode conseguir ajuda,
pode estudar mais,
pode se inspirar com sábios amigos.
Ou com amigos dos seus amigos.

Pode tentar novas idéias.
Pode dividir seu objetivo em várias etapas
e tentar uma de cada vez,
em vez de tentar tudo de uma vez só.

Você pode fazer o que quiser.
Só não pode é sentir pena de si mesmo.
Você não pode desistir de seus sonhos.
..............................
Problemas são desafios.
Dificuldades são testes de promoção espiritual.

Insucesso é ocorrência perfeitamente natural,
que acontece a toda e qualquer criatura.

Indispensável manter o bom ânimo em
qualquer lugar e posição.

O pior que pode acontecer a alguém é se entregar ao desânimo,
apagando a chama íntima da fé e
caminhar em plena escuridão.

Assim, confia em Deus, e, com coragem,
prossegue de espírito tranqüilo.

TEXTO: Equipe de Redação do Momento Espírita,
a partir de carta assinada por Fernando Botelho
e endereçada a um cego, de nome Juliano,
residente em Curitiba,
e do cap. 9 da obra Convites da Vida,
psicografia de Divaldo Pereira Franco,
pelo Espírito Joanna de Âgelis.
* * * * *
Texto lido no programa
"Madrugada Viva Liberdade FM"
no quadro
"Momento de Reflexão"
no dia 15 de Outubro de 2.008.

quarta-feira, 8 de outubro de 2008

Capacidade...

"Todos nós temos dentro de nós forças
que desconhecemos"
até que o momento "certo"
aparece para usarmos,
e só depois que utilizamos essa
força é que nos damos conta de
"o quanto nós podemos realizar"
e quanto deixamos de construir coisas
para o nosso benefício simplesmente
por que colocamos na nossa
"cachola"que nós "não podemos".

Um exemplo claro disso são as mães amorosas,
essas mães quando tem um
filho doente por exemplo,
são capazes de carregá-los em seus braços
por quilômetros a pé,
sob chuva ou sob sol, com fome,
com preocupações,
elas se transformam em "leoas",
são capazes de esforços
e provas de coragem que até os
"homens duvidam".
Não mexa com uma mãe que está
defendendo seu(s) filho(s).

Outro exemplo é quando somos
ameaçados pelo medo,
como um cachorro muito bravo
vindo em nossa direção,
tem gente que corre mais que os
campeões da última São Silvestre,
vira uma "bala"de tão rápido que corre,
outra cena interessante
é quando somos desafiados
e aceitamos o desafio,
o nosso orgulho que as vezes
é maior que o Planeta Terra,
nos transforma em feras de resistência.

Nossa capacidade de realização
só desaparece quando assumimos a
postura de vítimas da vida,
de coitadinhos do mundo,
quando todo mundo erra,
todo mundo esta errado,
só nós,
os belezinhas da vila que estamos certos...

Pode apostar,
quando você começar a arrumar
desculpas para todas as coisas
que acontecem na sua vida,
e quando essas desculpas
começarem pelo nome de alguém,
pode escrever, sua vida vai desandar,
desandar e desandar cada vez mais.

Quando você tem na ponta da língua
uma desculpa para sua derrota,
para a perda do amor,
do dinheiro,
do trabalho ou daquela vaga que estava
"quase certa",
começam os verdadeiros problemas,
e ai nem anjo da guarda,
nem promessa e nem santo de
plantão vai poder ajudá-lo.

Seja arrojado, jogue com a vida,
mas jogue com cartas altas,
aposte alto,
pare de sonhar baixinho de fazer
"beicinho de dodói",
você não é vítima coisa nenhuma,
você é parte da vida e dos problemas,
você é responsável até pelo que te fazem.
Se te fizeram algum mal,
se te roubaram,
se te abandonaram foi porque você,
com seus atos,
atitudes ou pensamentos,
quem permitiu que isso acontecesse.

Por isso,
assuma seu lugar no mundo e bola pra frente.
O que você quer de bom para sua vida hoje?
Eu to falando hoje, não é amanhã,
viva esse dia como o seu melhor dia,
vista seu melhor sorriso e acredite
no seu poder de conquistar.
Nossa,
até eu já tô acreditando que você é o máximo,
me dá um autógrafo?

Eu acredito em você.

TEXTO: Paulo Roberto Gaefke
* * * * *
Texto lido no programa
"Madrugada Viva Liberdade FM"
no quadro
"Momento de Reflexão"
no dia 09 de Outubro de 2.008.

terça-feira, 7 de outubro de 2008

As Chuvas dos Olhos

“Chove.
Na fonte das águas,
chove.

Na fronte das lágrimas
do pretérito calado.

Lavando a chuva dos
olhos cansados.

Chovendo nos mares,
nos mares amados.”

Há quanto tempo você não chora?

Há quanto tempo seus olhos não são
inundados por lágrimas,
por estas pequenas gotas que parecem
nascer em nosso coração?
Há quanto tempo?

Assim como o fenômeno natural
da precipitação atmosférica,
a chuva,
realiza o trabalho de purificar a terra,
a água e o ar,
também nossas lágrimas
têm tal função.

A de limpar nosso íntimo,
a de externar nossas emoções,
sejam elas de alegria ou de pesar.

Precisamos aprender a expressar
nossos sentimentos.

Nossa cultura possui conceitos arraigados,
como o de que “homem não chora”,
ou que “é feio chorar”,
que surgem em nossas vidas
desde quando crianças,
na educação familiar,
e acabam por internalizarem-se em nossa alma,
continuando a apresentar manifestações
na vida adulta.

Sejamos homens ou mulheres na Terra,
saibamos que todos rumamos para
a busca da sensibilidade,
do autodescobrimento,
e da expressão de nossos sentimentos.

Tudo que deixarmos guardado virá à tona,
cedo ou tarde.

Se forem bons os sentimentos contidos,
estaremos perdendo uma oportunidade
valiosa de trazê-los ao mundo,
melhorando nossas relações com
o próximo e conosco mesmo.

Se forem sentimentos desequilibrados,
estaremos perdendo a chance de encará-los,
de analisá-los,
e de tomar providências para
que possam ser erradicados
de nosso interior.

As barreiras que nos impedem de nos emocionar,
de chorar,
são muitas vezes as mesmas que
nos fazem pessoas fechadas e retraídas.

Barreiras que carecemos romper,
para que nossos dias possam
ser mais leves,
mais limpos,
como a atmosfera que recebe
a água da chuva,
e nela encontra sua purificação.

As chuvas dos olhos fazem
um bem muito grande.

Desabafar,
colocar para fora o que angustia nosso íntimo,
ou o que lhe dá alegria, é um exercício precioso.
Um hábito salutar.

Dizer a alguém o quanto o amamos,
quando este sentimento surgir
em nosso coração
– mesmo sem um motivo especial -,
será sempre uma forma de
fortalecimento de laços.

De construção de uma união mais feliz,
e principalmente,
um recurso para elevarmos
nossa auto-estima,
nosso auto-amor.
* * *
Deus nos concedeu a chuva para regar os campos,
para tornar mais puro o ar.

Também nos presenteou com as lágrimas,
para que as nossas paisagens íntimas
pudessem ser regadas,
e para que os ares do Espírito
encontrassem a pureza.

Autor: Redação do Momento Espírita.
* * * * *
Texto lido no programa
"Madrugada Viva Liberdade FM"
no quadro
"Momento de Reflexão"
no dia 08 de Outubro de 2.008.

sexta-feira, 3 de outubro de 2008

Para ser feliz

O que você precisa para ser feliz?

Responda... pegue papel,
caneta e faça uma lista,
olhando bem dentro do seu coração.

O sentimento de felicidade e, creia,
de infelicidade, é coisa individual.

que faz uma pessoa feliz pode não
fazer uma outra.
O grande problema de todo mundo é
que quanto mais temos,
mais nos tornamos exigentes.
Só que não sabemos isso com antecedência.

Nos dizemos:
se eu tivesse isso, seria feliz.
Mas depois de satisfeitos,
outro vazio se abre,
então queremos mais e assim por diante.

Nos sentimos felizes
no momento e depois da euforia passada,
tudo parece banal.

O amor faz feliz.
Mas o amor sem dinheiro pode não
ser o bastante.
Então queremos os dois.
Depois pedimos saúde,
casa, filhos, um bom trabalho...
e assim por diante.

Como um pedreiro,
vamos construindo nosso ideal de
felicidade tijolinho por tijolinho,
sem portanto jamais terminar de construir,
como se a vida fosse uma obra inacabada.

Quando tudo parece completo,
reclamamos do tempo que passou e nos
arrependemos do que não fizemos
ou nos dizemos que poderíamos
ter feito mais.

Digo tudo isso para dizer que o ser humano
parece sempre insatisfeito.

Penso que a verdadeira felicidade
devemos aprender é com as crianças:
beber dessa água e desses instantes
e não pensar em mais nada!

Ser feliz, simplesmente,
não colocando a felicidade como objetivo
para o próximo passo,
sem portanto, deixar de caminhar.

O mundo anda, andamos com ele.

Não podemos usufruir da felicidade
presente pensando sempre na outra que virá,
porque é isso que causa insatisfação nas pessoas.

Se sempre esperamos que será
melhor amanhã,
o hoje parece insignificante.

Portanto,
quanto proveito perdemos do presente
porque não sabemos apreciar e dar o justo
valor daquele momento.

Temos, hoje,
o que Deus permite que tenhamos e
que nos sustenta.
Ansiar por mais,
sempre mais nos torna seres infelizes.

Quero abraçar o hoje com o que ele me oferece
e amanhã será um outro dia onde poderei também
extrair meu pedaço de felicidade.

Porque felicidade é isso:
pedaços aqui e acolá que vão enchendo nosso coração.

Deus cuida de nós como cuida dos
pássaros e das crianças.
Os pássaros cantam em todas as ocasiões e
as crianças riem do nada.
Eles sabem, da maneira deles,
aproveitar do momento presente e extrair
de cada instante a felicidade.
São felizes com a simplicidade que Deus
pede ao nosso coração.

Para ser feliz, viva seu agora.
Torne-se criança no coração e na alma.
Cante como os pássaros e seu rosto terá aos olhos
de todos a beleza dos lírios dos campos.

TEXTO: Letícia Thompson
* * * *
Texto lido no programa
"Madrugada Viva Liberdade FM"
no quadro
"Momento de Reflexão"
no dia 04 de Outubro de 2.008.

quinta-feira, 2 de outubro de 2008

A Sabedoria

Dizem que a idade de uma árvore
conta-se pelas marcas que vão
se formando no tronco.
Conosco não é bem assim.

Há pequenos com muito
mais marcas na alma que adultos,
por que a vida não lhes ofereceu presentes.

Há idosos que atravessam
os anos e partem,
sem que tenham tirado da vida
os ensinamentos que ela ofereceu.

Uma pessoa que vive muito
não é aquela que chega a uma idade avançada,
mas a que aproveita as experiências
da vida para seu aprendizado e vai
tirando o melhor de cada coisa
que encontra pela frente.

A sabedoria não está nas rugas da pele,
nem nos cabelos brancos,
nem nos anos que passam.
Ela não está também nos
conhecimentos que já possuímos,
mas na sede dos mesmos.
Muitas vezes pensamos que sabemos
alguma coisa e na realidade
não sabemos muito,
pois olhamos tudo de maneira superficial,
sem ir a fundo,
sem ver o outro lado.

Aos 12 anos de idade,
Jesus discutia com os doutores da
época e aos 33 partiu,
deixando todos os ensinamentos
necessários a nós.

Não importa a nossa idade,
nem nossa condição,
estamos aprendendo a cada instante.

Os sábios nutrem-se desses aprendizados,
colocam-os em prática,
fazem uso deles e os repassam.
Outros apenas engolem quente,
depressa demais, sem sentir o sabor.
Isso diferencia muito umas pessoas das outras.

Só o sábio busca compreender,
aceita o não, aceita estar errado,
pede perdão, perdoa,
deixa-se de lado um pouco para
ver o lado do outro,
mesmo que isso lhe exija sacrifício.

Só o sábio quer ser melhor, não por si,
mas para se aproximar ainda
mais da perfeição que estava no
coração de Deus quando Este
fez nascer o homem.

TEXTO: Letícia Thompson
contact@leticiathompson.net
* * * * *
Texto lido no programa
"Madrugada Viva Liberdade FM"
no quadro
"Momento de Reflexão"
no dia 03 de Outubro de 2.008.