segunda-feira, 30 de julho de 2012

BOM COMEÇO É MEIO CAMINHO ANDADO

Você acorda, pela manhã,
escolhe a roupa,
arruma os cabelos,
verifica o calçado que vai melhor,
talvez ponha a gravata
combinando com o terno,
ou a bolsa alinhando
com o sapato
e sai de casa dando atenção
especial ao seu visual.

Tudo bem.
Afinal,
seu corpo é você
e seu traje e aparência são
seu cartão de visita.
Mas,
não acha que seria
também importante caprichar
no visual do coração?

Não me refiro ao coração físico,
mas no coração afetivo,
o órgão do amor, da felicidade,
da paz, da alegria,
do entusiasmo e da fé.

Corpo bem apresentado e coração feio
- destoa.
Corpo bem alimentado,
com saboroso café matinal,
e coração com fome de felicidade
- descompensação complicada.
Roupa elegante,
bem combinada, e coração roto,
em frangalhos
- contradição visível.

Arrume o coração,
assim como arruma o visual
- e o mundo baterá palmas
para você.

A roupa do
coração é o astral positivo,
o penteado é o sorriso,
o calçado é a fé,
a gravata é a auto-estima,
a bolsa é a calma.

Não deixe de vestir a rigor o coração,
pois,
se este estiver desleixado,
você não se sentirá
bem e as pessoas não
vão perceber
o brilho dos seus cabelos e
a beleza do seu rosto.

Prometa-se cuidar
para que também seu coração
esteja bem quando
sai de casa.

Se tem o
hábito de acordar irritado
e sair de casa com mau humor,
levará junto um coração
depredado
e dará má impressão
às pessoas.

Se você é daqueles que
fazem questão
de ostentar grifes famosas,
lembre-se que a felicidade é
a grife de Deus e
este é o ser mais famoso
do universo.

Seja inteligente e coerente:
dedique ao coração
pelo menos o mesmo tempo
que usa para ajeitar o
visual externo.

Assim como o exterior
revela o interior,
o contrário também é
verdadeiro.

Preste bem atenção aos
efeitos da depressão:
o rosto se torna lavado
e endurecido;
o corpo não reage bem;
o caminhar é contido;
os olhos não brilham;
os lábios murcham.

Faz bem em caprichar
para melhorar a aparência,
afinal você não vive numa ilha.
Mas reflita,
antes de tudo,
sobre a estratégia mental,
emocional e espiritual que
usará para que
o rosto se torne atraente,
os olhos voltem a brilhar,
o corpo mostre vigor
e o caminhar tenha a
leveza das flores.

A palavra-pensamento
é uma ordem não questionada pelo
cérebro e pelo corpo.

Faça a oração da alegria,
do amor e da felicidade.

Diga para si mesmo que este
é seu melhor dia,
porque está de bem com a vida,
esbanjando alegria, irradiando
energias positivas,
acreditando que tudo
dará certo.

Visualize as pessoas
gostando de ver você
e conclua dizendo que a bênção
divina iluminará seus passos.

Então,
abra a porta da sua casa
e saia para a vida.

A humanidade e o universo estarão
sintonizados em você.

TEXTO: Lauro Trevisan
* * * * *
Texto lido no programa
"Madrugada Viva Liberdade FM"
no quadro
"Momento de Reflexão"
no dia 02 de Agosto de 2.012.

A Hora do Adeus

A hora do Adeus chegará
para todos nós.
E dizer adeus aos entes queridos,
aos nossos sonhos e anseios,
a todas nossas ilusões...
não é fácil!

Esta é nossa vida,
o mundo que conhecemos
e amamos.
Não importa se temos
20 ou 90 anos,
ninguém quer partir.

Medo do desconhecido?
Talvez...

Na verdade,
morremos um pouco todas as noites,
vamos ao outro lado,
vemos e conversamos com pessoas queridas,
conhecemos lugares...

Achamos que foi sonho,
mesmo quando é bem real.

No palco da vida,
somos atores de vários
personagens!

O personagem acaba,
o ator fica.
Assim é o corpo e o espírito.
O primeiro morre,
se deteriora.
O outro é eterno.

E como ninguém sabe a
 hora certa de partir,
é melhor deixar a bagagem mais
ou menos pronta,
para não se arrepender depois.

Só se leva o que se faz de
bom ou de ruim.
O bem pesa muito menos,
nunca se paga excesso,
por mais que se pratique!

Não deixe para depois a
palavra amiga,
o elogio sincero,
o conselho salutar,

o sorriso que ilumina...
Nunca deixe de amar!

TEXTO: Ilze Soares
* * * * *
Texto lido no programa
"Madrugada Viva Liberdade FM"
no quadro
"Momento de Reflexão"
no dia 01 de Agosto de 2.012.

A Vida, a Viagem e a Mala

A vida lembra uma grande
caminhada onde os
lugares mais bonitos
são os nossos momentos felizes.

O deserto e as
tempestades de areia
são aqueles
momentos difíceis que temos
que atravessar,
mesmo quando nosso
desejo é de
encostar em um canto e deixar
a vida passar.

Os ciclones,
furacões e outras
manifestações da natureza,
são aqueles choques que recebemos
sem esperar,
as traições, as decepções,
as ilusões.

O mar, as montanhas,
os lagos mais lindos,
as flores mais perfumadas são
aqueles momentos
em que nos
encontramos apaixonados
e tudo tem cor e perfume.

Para essa viagem,
recebemos uma mochila que
pode carregar o que quisermos,
é o nosso cérebro.

Nessa mochila vamos
acumulando os caminhos floridos
e os espinhos.

Vamos levando lembranças
boas e ruins.
Acumulamos meio socado,
meio empurrado,
as pessoas que nos fizeram
algum mal e guardamos
com carinho
os nossos amigos.
Tudo isso vai acumulando
um peso que vai se refletir na
nossa força para caminhar.

Todo viajante sabe
que precisa carregar somente
o necessário para aquela
viagem específica.

Nenhum viajante leva
camisetas cavadas para
o inverno da Dinamarca,
nem os dinamarqueses trazem
casacos de pele para o
carnaval do Rio de Janeiro.

Por isso,
pare um pouco e esvazie
a sua mochila.
Desfaça-se das coisas que
não te servem mais.

Jogue fora as angústias,
as mágoas, o rancor,
a desilusão.
Despeça-se do passado.

Com a mochila
livre desse sobrepeso,
você vai poder avançar
mais rápido rumo a
felicidade.

Eu acredito em você
e na sua capacidade de realizar.

TEXTO: Paulo Roberto Gaefke
* * * * *
Texto lido no programa
"Madrugada Viva Liberdade FM"
no quadro
"Momento de Reflexão"
no dia 31 de Julho de 2.012.

sábado, 28 de julho de 2012

Ser Chique

Nunca o termo
"chique"
foi tão usado para
qualificar pessoas
como nos dias de hoje.

A verdade é que ninguém
é chique por decreto.
E algumas boas coisas da
vida, infelizmente,
não estão à venda.

Elegância é uma delas.

Assim,
para ser chique
é preciso muito mais que
um guarda-roupa ou
closet recheado de grifes
famosas e importadas.
Muito mais que um belo
carro Italiano.

O que faz uma pessoa chique,
não é o que essa pessoa tem,
mas a forma
como ela se comporta
perante a vida.

Chique mesmo é
ser discreto.

Quem não procura
chamar atenção com suas
risadas muito altas,
nem por seus
imensos decotes e nem
precisa contar vantagens,
mesmo quando
estas são verdadeiras.

Chique é atrair,
mesmo sem querer,
todos os olhares,
porque se tem brilho próprio.

Chique mesmo é ser discreto,
não fazer perguntas
ou insinuações inoportunas,
nem procurar saber o que
não é da sua conta.

É evitar se deixar levar
pela mania nacional de
jogar lixo na rua.

Chique mesmo é dar bom dia
ao porteiro do seu prédio
e às pessoas que
estão no elevador.

É lembrar-se do aniversário
dos amigos.

Chique mesmo
é não se exceder jamais!
Nem na bebida,
nem na comida,
nem na maneira de se vestir.

Chique mesmo é olhar nos
 olhos do seu interlocutor.
É "desligar o radar",
"o telefone",
quando estiver sentado
à mesa do restaurante,
prestar verdadeira atenção
a sua companhia.

Chique mesmo é honrar
a sua palavra,
ser grato a quem o ajuda,
correto com
quem você se relaciona
e honesto nos seus
negócios.

Chique mesmo é não
fazer a menor questão de aparecer,
ainda que você
seja o homenageado da noite!

Chique do chique
 é não se iludir com
"trocentas"
plásticas do físico...
quando se pretende corrigir o caráter:
não há plástica que salve
grosseria, incompetência,
mentira, fraude, agressão,
intolerância,
ateísmo...falsidade.

Mas,
para ser chique,
chique mesmo,
você tem,
antes de tudo,
de se lembrar sempre
de o quão breve é a vida
e de que,
ao final e ao cabo,
vamos todos terminar
da mesma maneira,
mortos sem levar nada
material deste mundo.

Portanto,
não gaste sua energia
com o que não tem valor,
não desperdice
as pessoas interessantes
com quem se encontrar
e não aceite,
em hipótese alguma,
fazer qualquer coisa que
não lhe faça bem,
que não seja correta.

Lembre-se:
o diabo parece chique,
mas o inferno não
tem qualquer glamour!

Porque,
no final das contas,
chique mesmo é Crer
em Deus!

Investir em conhecimento
pode nos tornar sábios...
mas,
Amor e Fé nos
tornam humanos!

TEXTO: Glória Kalil
* * * * *
Texto lido no programa
"Madrugada Viva Liberdade FM"
no quadro
"Momento de Reflexão"
no dia 28 de Julho de 2.012.

A grande escola da vida

Quão maravilhosa é essa
grande escola da vida!

Sem as quatro paredes,
somos alunos e mestres.

Aprendemos na infância
que viver é descobrir
e aprendemos na velhice que
ainda temos muito para aprender.

Aprendemos
na adolescência dolorosamente
com os muros do não que toda
liberdade tem o seu preço.

Aprendemos com a morte
que a vida é valiosa
e com as flores que a vida
aqui não é eterna.

Aprendemos quando
negamos e quando
nos negam.

Quando estamos felizes
ou quando o mundo desaba
sobre nossa cabeça.

Aprendemos que somos
fortes e que ser
humilde não é aceitar a dor
de cabeça baixa como uma
fatalidade do destino,
mas tirar dela todas as lições
para um recomeço ainda melhor.

As alegrias nos ensinam
que a vida vale
a pena e as tristezas que
os momentos felizes são tão
preciosos quanto a água em
momentos de sede.

As guerras nos ensinam
o valor da paz,
a fome o valor do pouco,
as catástrofes o da solidariedade,
as diferenças o da compreensão
e da tolerância.

A solidão nos ensina
a inestimável graça de se ter
alguém do lado e as multidões
que de vez em quando faz bem
se estar consigo mesmo.

É quando perdemos que
valorizamos o que temos.

Foi através do Calvário
que Deus nos ensinou o amor
e o valor do perdão.

Foi com suor e sangue
que nos mostrou que não
há um fim se o homem ainda crê
que existe uma saída e que a vida,
por mais dolorosa que seja,
é apenas uma ponte entre
o agora e a eternidade.

Quem crê nisso vive e viverá.

TEXTO: Letícia Thompson
* * * * *
Texto lido no programa
"Madrugada Viva Liberdade FM"
no quadro
"Momento de Reflexão"
no dia 26 de Julho de 2.012.

A v ó s

Uma avó, dizem,
é uma mãe com açúcar.
Um avô é um pai com
doce de leite.

Quase sempre os filhos se
perguntam por que é que os seus pais,
na qualidade de avós,
deixam seus netos fazerem coisas que
não permitiram a eles, f
ilhos.

Por que é que a avó deixa
o netinho pular no seu cangote,
dormir na cama entre ela e o avô,
 se não permitiu isso aos seus
próprios filhos?

Por que é que os netos,
enfim, gostam,
tanto da casa dos avós?

Um garoto de seus nove para dez anos,
escreveu certa vez,
mais ou menos assim:
"uma avó é uma mulher velhinha
que não tem filhos.
Ela gosta dos filhos dos outros.
Um avô é um homem-avó.
Ele leva os meninos para passear
e conversa com eles sobre pescaria e
outros assuntos parecidos.

As avós não fazem nada
e por isso podem ficar mais
tempo com a gente.

Como elas são velhinhas,
não conseguem rolar pelo
chão ou correr.
Mas não faz mal.
Elas nos levam ao shopping e
nos deixam olhar as vitrinas
até cansar.

Na casa
delas tem sempre um vidro
com balas e uma lata
cheia de suspiros.

Elas contam histórias de
nosso pai ou
nossa mãe quando eram pequenos,
histórias da bíblia,
histórias de uns livros bem velhos
com umas figuras lindas.

Passeiam conosco mostrando as flores,
ensinando seus nomes,
fazendo-nos sentir o perfume.

Avós nunca dizem "depressa",
"já pra cama",
"se não fizer logo,
vai ficar de castigo."

Normalmente,
as avós são gordinhas,
mas,
mesmo assim elas nos
ajudam a amarrar os sapatos.

Quase todas usam óculos
e eu já vi uma tirando os dentes
e as gengivas.

Quando a gente faz uma pergunta,
a avó não diz:
"menino,
não vê que estou ocupada!"
Ela pára,
pensa e responde de um
jeito que a gente entende.
As avós sabem um bocado de coisas.

As avós não falam com
a gente como se nós fôssemos
umas criancinhas idiotas,
nem apertam nosso queixo dizendo
"que gracinha!",
como fazem algumas visitas.

Quando elas lêem para nós,
não pulam pedaços das histórias,
nem se importam de ler a mesma
história várias vezes.

O colo das
avós é quente e fofinho,
bom de a gente sentar quando
está triste.

Todo mundo devia tentar
ter uma avó,
porque são os únicos adultos que
têm tempo para nós."

Bom, esta pode ser simplesmente
a visão de um menino,
mas convenhamos que contém
muitas verdades.

Os netos gostam dos avós
porque eles são doces.
Como a educação deles está sob
a responsabilidade dos pais,
eles não têm que se preocupar
com este detalhe.

Por isso,
não se perguntam se está
certo ou errado fazer um carinho
ou um chamego a mais.
Eles simplesmente fazem.

Também porque,
ao longo dos anos,
amadureceram os sentimentos,
amam de uma forma mais serena,
com doçura.
Por isso fazem aos netos muitas
coisas que não fizeram
aos seus filhos.

Mesmo porque,
quando se tornaram pais,
eram jovens, inexperientes,
estavam preocupados em sustentar
a família,
em educar bem os filhos,
em tantas coisas que não lhes
sobrava tempo para o que hoje fazem
com seus netinhos.

Por tudo isso
não tenha ciúmes dos avós.
Permita que os seus filhos
convivam com os velhinhos,
que os amem e sejam amados.

Naturalmente,
ninguém pretende nem
imagina que os avós serão
descuidados ao ponto de
estragar com mimos exagerados os
filhos dos seus filhos.

Contudo, carinho,
doçura e atenção de vovô
e vovó é algo que todos
devemos experimentar.

É uma experiência que os
seus filhos levarão para as suas vidas
e lhes fará bem,
nos momentos da adversidade
e de solidão.

Autor:
Equipe de Redação do Momento Espírita, com base no cap. O que é uma avó, de autor desconhecido, do livro Histórias para aquecer o coração das mães de Jack Canfield, Mark Victor Hansen, Jennifer Read Hawthorne e Marci Schimoff, editora Sextante.
* * * * *
Texto lido no programa
"Madrugada Viva Liberdade FM"
no quadro
"Momento de Reflexão"
no dia 26 de Julho de 2.012.

Erramos para Acertar

Todos erramos querendo acertar.
Excepcionalmente,
algumas pessoas podem
cometer erros conscientemente,
mas ainda assim buscam a felicidade,
de forma desesperada,
mas buscam.

A solidão e carência afetiva
deixam a alma aberta a
muitas portas
que em outras ocasiões
manteríamos fechadas.

Deixa-nos acessíveis,
frágeis e crédulos.
O feio pode tornar-se bonito
e agradável;
o proibido,
irresistivelmente atraente.

Achamos desculpas para
convencer os outros e nem
sempre convencemos nosso coração.
Mas insistimos...

Acontece de
cometermos erros imperdoáveis,
não aos outros,
mas a nós.

Esses mesmos erros que nos
fazem querer não ter existido
por um momento,
querer apagar da memória
e do tempo, desaparecer,
ou chorar até que as lágrimas
lavem todas as nossas culpas,
mas sabemos que,
quaisquer que sejam nossas
tentativas,
elas serão em vão.

E aprendemos com os primeiros erros?
Ah, não...
tentamos ainda e ainda
nessa busca incessante
pela felicidade...

Nos cegamos voluntariamente,
sem termos consciência do
quanto isso pode nos
custar, do quanto pode doer,
das penas que podem nos causar.

Ah!... As más
decisões não têm retorno,
os gestos cometidos não têm
volta e as palavras
ditas se foram.

O que escrevemos,
escrevemos,
por onde andamos e
não é nos agarrando a
esses detalhes que seguiremos
em frente.

É justamente quando conhecemos
nossos erros e nossas
culpas que os evitaremos depois.

Sei que isso nem sempre acontece,
senão não cometeríamos
duas ou três vezes os
mesmos desenganos,
mas um dia aprendemos.

Aprendemos que todo mundo erra,
todo mundo acerta,
todo mundo se arrepende e
quer voltar atrás;
todo mundo chora algo perdido
ou uma decisão errada;
todo mundo já se sentiu
a pessoa mais infeliz e
pequenininha em um
momento ou um
outro e quis esconder-se
até de si mesmo.

Aprendemos que a vida tem curvas,
laços, boas e más intenções,
campos floridos e terras desertas;
aprendemos
que para se viver é
preciso saber perdoar-se a si mesmo,
sem porventura
deixar de tirar as lições
do que se vive.

Ser maduro,
completo e sábio não é
ser infalível.
O mundo é feito de seres
humanos,
corações e sentimentos e
não de super-heróis.

Ser maduro é buscar o
melhor do que vivemos,
acreditar que Deus perdoa falhas,
compreende nossas
buscas e nos reconforta a cada queda.

Ser maduro não é evitar
as flores que têm espinhos,
mas redobrar de cuidado ao colhê-las,
conhecer os perigos e
não se deixar dominar pelo medo;
é viver,
consciente de que se não andamos
não chegamos a lugar
nenhum e se erramos temos
direito sim a uma segunda,
mesmo uma terceira chance.

Porque nada há mais no mundo
que Deus deseje do
que a nossa felicidade.

TEXTO: Letícia Thompson
* * * * *
Texto lido no programa
"Madrugada Viva Liberdade FM"
no quadro
"Momento de Reflexão"
no dia 25 de Julho de 2.012.

O Orgulho Nos Derrota

"nada façais por contenda ou por vanglória,
mas com humildade cada um
considere os outros
superiores a si mesmo"
(Filipenses 2:3).

Dois gansos,
ao iniciar sua migração
anual de outono,
encontraram uma rã que pediu
que a levassem com
eles para o sul.

Os gansos,
desejando atender a
vontade da rã,
pediram que ela arrumasse
uma forma de ser conduzida
por eles.

A rã apresentou um talo
longo de grama e os dois
gansos o tomaram,
cada um em uma ponta,
enquanto a rã o agarrava,
no centro, com sua boca.

Dessa forma,
os três seguiram viagem,
com sucesso,
em direção ao sul.

Alguns homens,
que se
encontravam trabalhando em terra,
notaram o fato e,
com admiração,
comentaram ruidosamente:
"Quem teria imaginado algo tão inteligente?"
A rã, cheia de vanglória,
abriu a boca para dizer
que havia sido ela,
mas,
logo que soltou o talo,
caiu e se fez em pedaços,
ao bater violentamente no solo.
(J. Gilmour)

A vaidade tem sido
a causa de muitas de nossas
decepções.

Cremos que somos melhores,
mais competentes
e superiores àqueles que estão
ao nosso redor.

Achamos defeito em
tudo e em todos,
concluindo, logo a seguir,
que poderíamos fazer o
mesmo de maneira
muito melhor.

Quando somos humildes
em nossas atitudes,
os aplausos e
elogios nos enchem de felicidade.
Quando somos arrogantes e
orgulhosos,
muitas vezes os aplausos
não aparecem e
mergulhamos em profunda
decepção e angústia.

É melhor não
esperar nada e receber
tudo do que esperar
tudo e não
receber nada.

De que vale o orgulho?
Se agimos com amor,
ele vem de nosso Deus.

Se a nossa vida brilha,
a luz vem do alto,
do nosso Pai celestial.

Se as nossas palavras impressionam,
toda a sabedoria vem de Cristo,
que nos deu graciosamente.

A vaidade pode nos
levar à morte espiritual;
a humildade nos
conduz a Cristo e à vitória.

FONTE: http://estudoscristaos.com/2009/10/reflexao-crista-o-orgulho-nos-derrota.html
* * * * *
Texto lido no programa
"Madrugada Viva Liberdade FM"
no quadro
"Momento de Reflexão"
no dia 24 de Julho de 2.012.

sábado, 14 de julho de 2012

O tempo do tempo



Não acuse ninguém,
desse ou daquele mal.

Não esfregue
"verdades"
na cara de ninguém.

Não se julgue
"inocente o suficiente"
para dar um veredito.

E por outro lado,
não aceite o julgamento
de ninguém.

Feliz é a pessoa
que segue seu caminho
buscando o bem.
Independente de qualquer
religião,
dogma ou credo.

Feliz é aquele que
segue sem julgar,
e que não se abala com o
julgamento dos outros.

Não tem
tempo para se comparar,
 segue fazendo.

Hoje,
mais do que nunca,
o tempo pede um "tempo".
Uma reflexão amorosa
sobre a sua vida.

Não siga pelos mesmos
caminhos que
já te fizeram sofrer.

Abra a sua
mente para novas
possibilidades.

Se já não há mais
portas para bater,
abra janelas no seu
interior
e deixe a luz do céu
entrar.

Você tem visto Deus
na sua vida?

Não nas palavras,
nem nos gestos.
Estou falando de paz interior,
de família unida e feliz.

De bençãos sem medidas
e inesperadas;
de amor e caridade,
luz e fraternidade.

Deus é mais do que uma
ladainha ou oração.
Deus é justiça perpétua,
não uma emoção.

Abra-se para a plenitude.

Acredite em você,
na centelha divina que
habita em seu ser.

Não se deixe levar pela
correnteza de situações
adversas,
nem pelos pensamentos
que nada constroem.

Fortaleça-se na certeza
de que o melhor
está reservado para você;
e tudo já está preparado!

Só falta você.

TEXTO: Paulo Roberto Gaefke
* * * * *
Texto lido no programa
"Madrugada Viva Liberdade FM"
no quadro
"Momento de Reflexão"
no dia 21 de Julho de 2.012.

Pedaços de Amizade

 
Amizades são feitas de pedacinhos. 
Pedacinhos de tempo que vivemos 
com cada pessoa.
 
Não importa a quantidade 
de tempo que passamos com cada amigo, 
mas a qualidade do tempo que 
vivemos com cada um. 

Cinco minutos podem ter 
uma importância muito maior 
do que um dia inteiro. 
 
Assim, 
há amizades que são 
feitas de risos e dores compartilhados; 
outras de escola; 
outras de saídas, 
cinemas, diversões; 
há ainda aquelas que nascem 
a gente nem sabe de quê, 
mas que estão presentes. 

Talvez essas sejam 
feitas de silêncios compreendidos, 
ou de simpatia mútua 
sem explicação. 

Hoje em dia, 
muitas amizades são feitas 
só de e-mails e essas não 
são menos importantes. 

São as famosas 
"amizades virtuais." 
Diferentes até, 
mas não menos importantes. 

Aprendemos a amar as 
pessoas sem que 
possamos julgá-las pela sua 
aparência ou modo de ser, 
sem que possamos   
( e fazemos isso inconscientemente às vezes) 
etiquetá-las. 

Há amizades muito profundas 
que são criadas assim.

Saint-Exupéry disse: 
"Foi o tempo que perdestes 
com tua rosa que fez tua rosa 
tão importante." 
E eu digo que é o tempo que 
ganhamos com cada amigo que faz 
cada amigo tão importante. 
Porque tempo gasto com amigos 
é tempo ganho, 
aproveitado, 
vivido. 

São lembranças para 
cinco minutos depois 
ou anos até. 
 
Um amigo se torna 
importante pra nós, 
e nós para ele, 
quando somos capazes, 
mesmo na sua ausência, 
de rir ou chorar, 
de sentir saudade e nesse 
instante trazer o outro bem 
pertinho da gente.

Dessa forma, 
podemos ter vários melhores 
amigos de diferentes maneiras. 
 
O importante é saber 
aproveitar o máximo cada 
minuto vivido e ter depois 
no baú das 
recordações horas para 
passar com os amigos, 
mesmo quando estes estiverem 
longe dos nossos olhos.
 
TEXTO: Letícia Thompson
* * * * *
Texto lido no programa 
"Madrugada Viva Liberdade FM" 
no quadro 
"Momento de Reflexão" 
no dia 20 de Julho de 2.012.

ATALHOS



Amigos!!

O tempo que você
“perde”
aprendendo algo não é
 tempo perdido...

“Tudo vale à pena se a alma não é pequena.”
- Fernando Pessoa -

Reflitam!!

Quanto tempo a gente
perde na vida?

Se somarmos todos
os minutos jogados fora,
perdemos anos inteiros.

Depois de nascer,
a gente demora pra falar,
demora pra caminhar,
aí mais tarde demora pra
entender certas coisas,
demora pra dar o braço a torcer.

Viramos adolescentes
teimosos e dramáticos.
Levamos um século para
aceitar o fim de uma relação,
e outro século para abrir a guarda
para um novo amor,
e já adultos demoramos a
dizer a alguém o que sentimos,
demoramos a perdoar um amigo,
demoramos a tomar uma decisão.

Até que um dia a gente faz aniversário.
37 anos. Ou 41. Talvez 48.
Uma idade qualquer que
esteja no meio do trajeto.
E a gente descobre que o
tempo não pode continuar
sendo desperdiçado.
Fazendo uma analogia
com o futebol,
é como se a gente estivesse
com o jogo empatado
no segundo tempo e ainda
se desse ao luxo de atrasar
a bola pro goleiro
ou fazer tabelas desnecessárias.

 Que esbanjamento.
Não falta muito pro jogo acabar. É
 preciso encontrar logo o
caminho do gol.

Sem muita frescura,
sem muito desgaste,
sem muito discurso.

Tudo o que a gente quer,
depois de uma certa idade,
é ir direto ao assunto.
Excetuando-se no sexo,
onde a rapidez não é louvada,
pra todo o resto é melhor atalhar.

E isso a gente só alcança
com alguma vivência
e maturidade.

Pessoas experientes já
não cozinham em fogo brando,
não esperam sentados,
não ficam dando voltas e voltas,
não necessitam percorrer
todos os estágios.
Queimam etapas.
Não desperdiçam mais nada.

Uma pessoa é sempre bruta com você?
Não é obrigatório conviver com ela.

O cara está enrolando muito?
Beije-o primeiro.

A resposta do emprego ainda não veio?
Procure outro enquanto espera.

Paciência só para
o que importa de verdade.
Paciência para ver a tarde cair.
Paciência para sorver um cálice de vinho.
Paciência para a música e para os livros.
Paciência para escutar um amigo.
Paciência para aquilo que vale
nossa dedicação.
Pra enrolação... Atalho.

 * Martha Medeiros *

Queridos Amigos!!

É preciso paciência para
coisas novas,
é preciso paciência e tempo
para cicatrizar algo
ou alguém que lhe fez mal...

Para algumas coisas é necessário
a paciência e para outras quando já
temos conhecimento é só
preciso atitude!

Um forte abraço!!

- Velho Sábio -
* * * * *
Texto lido no programa
"Madrugada Viva Liberdade FM"
no quadro
"Momento de Reflexão"
no dia 19 de Julho de 2.012.

As Coisas Não Mudam... Nós Mudamos!



Amigos!
Para que as situações do
dia a dia melhorem,
o primeiro passo tem que vir
de dentro de nós...

Reflitam!!

Talvez o mundo mude amanhã.
Mas isso não é provável.
As mudanças são lentas,
apesar de toda a corrida que
a gente enfrenta todos os dias.

Ainda assim,
seu mundo pode mudar
de modo impressionante,
nas próximas horas ou minutos,
ou depois de ouvir esse texto!

Porque tudo o que você está vendo,
sentindo e tudo ao que
você está reagindo,
é porque existe um mundo
real e um mundo
"filtrado".

A forma como vemos
o mundo é definida por uma
palavra grega chamada de
"paradigma".
Ela mostra que todas
as grandes revoluções
aconteceram devido a
ruptura na forma de
ver o mundo!

Todos nós filtramos o
universo de acordo com
nossas próprias expectativas,
crenças e princípios.

Por isso,
uma mesma cena pode
comover uma pessoa e não causar
absolutamente nada
em outra.

Cada uma delas teve
uma diferente
reação àquilo que viu com
um filtro mental diferente.

Tem uma historinha
que explica o que estou
querendo dizer:
se passou no metrô de
Nova York.

As pessoas
estavam calmamente sentadas,
lendo jornais,
divagando...
Era uma cena calma,
tranquila.

De repente um homem
entrou no vagão com os filhos.
As crianças faziam algazarra
e se comportavam mal e o clima
mudou na hora!

O homem sentou e fechou os olhos,
aparentemente ignorando
a situação.

As crianças corriam de um
lado para o outro,
atiravam coisas
incomodando a todos.

Mesmo assim o homem
não fazia nada.

Ficou impossível evitar a irritação.
Os passageiros não
conseguiam acreditar que ele
pudesse ser tão insensível!
A certa altura,
um passageiro,
tentando manter a calma,
virou para ele e disse:
- Senhor,
seus filhos estão
perturbando muito.
Será que não poderia dar
um jeito neles?

O homem olhou e disse calmamente:
- Acho que o senhor tem razão.
Eu deveria mesmo fazer
alguma coisa.
Acabamos de sair do hospital,
onde a mãe deles morreu
há uma hora.
Eu não sei o que pensar,
e parece que eles também não
conseguem lidar com isso.

Podem imaginar o todos
sentiram naquele momento?

O paradigma mudou!

De repente,
todos que estavam ali
passaram a ver a situação
de um modo diferente.
E a irritação ali desapareceu.

E os sentimentos de
compaixão e solidariedade
fluíram.

O mundo não mudou,
não é?

Mas até você mudou,
ao ouvir essas palavras.

Mudou de paradigma,
e isso causou uma reação
diferente.
Você e eu nunca vemos a
realidade total.
Vemos apenas uma parcela dela,
que selecionamos,
em grande parte
inconsciente-mente.
A única prisão real
que a gente tem
está em cima dos
nossos ombros.

E cada um tem uma
chave-mestra.
As coisas não mudam;
nós mudamos!

Queridos Amigos!!

Nem todos os problemas
é realmente do tamanho
que nos os vemos...
Somente nós temos o
poder de reverter às situações
através de um olhar diferente,
pensamentos melhores e
coração aberto...

Um forte abraço!!

TEXTO: Velho Sábio
* * * * *
Texto lido no programa
"Madrugada Viva Liberdade FM"
no quadro
"Momento de Reflexão"
no dia 18 de Julho de 2.012.

Acordar


Quando abrimos os olhos de manhã,
não sabemos quanto
tempo temos pela frente.

Não sabemos se chegaremos
até a hora do almoço,
por exemplo.

Não sabemos se veremos
a pessoa de quem gostamos..

Não sabemos se o projeto
do nosso dia será realizado.

Não sabemos, infelizmente.

O perigo nos
ronda por todos os lados.

E então?

Então,
quando abrimos os olhos,
de manhã,
já recebemos uma
graça de Deus!

O que devemos fazer?

Viver cada minuto,
cada pedaço do tempo,
cada instante e cada parcela
da nossa respiração
como se fosse o último tempo,
o último dia que nos
foi concedido.

Viver esse momento
com intensidade de quem
ama de modo profundo,
de modo apaixonado,
entregando-se totalmente.

Respirar esse momento
como se fosse a última bolha
de ar que nos
resta num deserto ardente.

Viver esse momento
com o melhor
que a vida já nos deu -
o amor.

É, isso mesmo,
com amor,
com um imenso amor,
com aquele amor
que nos faz profundamente felizes,
mesmo com tantos
problemas à nossa volta.

Com amor, só com amor,
é assim que vale
a pena viver em
qualquer circunstância,
em qualquer momento,
com qualquer dificuldade..

As grandes almas
viveram sempre assim.
E é com esse espírito
e com esse desejo que
nós somos
convidados a amanhecer e
viver a grandeza do
nosso dia,
do nosso momento.

TEXTO: Crislaine Brum Goulart
* * * * *
Texto lido no programa
"Madrugada Viva Liberdade FM"
no quadro
"Momento de Reflexão"
no dia 16 de Julho de 2.012.

sábado, 7 de julho de 2012

A verdade do espelho


O espelho em seu
silêncio revela toda a verdade,
que por vezes
não queremos enxergar.

A noite,
com o silenciar próprio
da calmaria,
também vem lembrar daquilo
que deixamos de fazer.

Não podemos nos esconder
de nós mesmos.

Assim como não
podemos tapar o sol com
uma peneira,
não dá para esconder
os nossos sonhos,
os desejos da alma que as vezes
vamos deixando de lado.

Não se maltrate!

Não fique sonhando com
o que será ou
o que deixou de ser.

Viva o hoje, o agora.

Ame essa pessoa que
te olha no espelho.
Refletindo os olhos "pidões"
de quem precisa de carinho.
Seja carinhoso com você.

Respeite-se!

Se hoje o dia
não foi assim tão bom,
a noite ainda não terminou.

Faça um belo jantar,
ainda que seja um
pão e dois ovos.

Sinta-se como rei ou rainha
comendo a sua melhor refeição.

Porque nesta noite
tem muita gente se alimentando
com uma sonda,
lá naquele hospital "chiquérrimo"
de caro,
ou nos corredores do PS
da periferia...

Alegre-se!

A vida é bela e pede uma
fita amarela.
Um sorriso no rosto e
uma certeza:
- Não há ninguém como você!

Com essa certeza,
"vambora" ser feliz!
Fácil assim,
basta você se decidir.

Parar de ficar pensando
no que não tem,
e concentrar-se no que já tem.

Ainda que seja apenas
uma mala velha e 2 peças
de roupa.

Tá bom demais para
quem ainda pode sonhar
com o mundo.

"Bora" ser feliz!

Eu acredito em você

TEXTO: Paulo Roberto Gaefke
* * * * *
Texto lido no programa
"Madrugada Viva Liberdade FM"
no quadro
"Momento de Reflexão"
no dia 14 de Julho de 2.012.

TEMPO, O MELHOR REMÉDIO!


A idade vai chegando e,
com o passar do tempo,
nossas prioridades na vida
vão mudando.

A vida profissional,
a monografia de final de curso,
as contas a pagar.

Mas uma coisa parece estar
sempre presente.
A busca pela felicidade com o
amor da sua vida.

Desde pequenas
ficamos nos perguntando
"quando será que vai chegar?".

E a cada nova paquera,
vez ou outra nos pegamos na dúvida
"será que é ele?".
Como diz o meu pai:
"nessa idade tudo é definitivo",
pelo menos a
gente achava que era.

Cada namorado era
o novo homem da sua vida.

Faziam planos,
escolhiam o nome dos filhos,
o lugar da lua-de-mel e,
de repente... PLAFT!

Como num passe de mágica
ele desaparecia,
fazendo criar mais expectativas
a respeito "do próximo".

Você percebe
que cair na guerra quando
se termina um namoro é
muito natural,
mas que já não dura mais
de três meses.

Agora,
você procura melhor e começa
a ser mais seletiva.
Procura um cara formado,
trabalhador, bem resolvido,
inteligente,
com aquele papo que a deixa
sentada no bar o resto da noite.

Você procura por alguém que cuide
de você quando está doente,
que não reclame em trocar aquele
churrasco dos amigos pelo
aniversário da sua avó,
que jogue "imagem e ação"
e se divirta como uma criança,
que sorria de felicidade quando te olha,
mesmo quando está de short,
camiseta e chinelo.

A liberdade,
ficar sem compromisso,
sair sem dar satisfação já não tem
o mesmo valor que tinha antes.
A gente inventa um monte de
desculpas esfarrapadas,
mas continuamos com a procura
incessante por uma pessoa legal,
que nos complete e vice-versa.

Enquanto tivermos
maquiagem e perfume,
vamos à luta...

E haja dinheiro para manter a presença
em todos os eventos da cidade:
churrasco, festinhas,
boates na quinta-feira.

Sem falar na diversidade que
vai do Forró ao Beatles.
Mas o melhor dessa parte é se divertir
com as amigas,
rir até doer a barriga,
fazer aqueles passinhos bregas
de antigamente e curtir o som.

Olhar para o teto,
cantar bem alto aquela música
que você adora.

Com o tempo,
você vai percebendo que para ser
feliz com uma outra pessoa,
você precisa, em primeiro lugar,
não precisar dela.

Percebe também que aquele
cara que você ama
(ou acha que ama),
e que não quer nada com você,
definitivamente não é o homem
da sua vida.

Você aprende a gostar de você,
a cuidar de você e,
principalmente,
a gostar de quem também
gosta de você.
O segredo é não correr atrás
das borboletas...

é cuidar do jardim para que elas
venham até você.
No final das contas,
você vai achar não quem você
estava procurando,
mas quem
estava procurando por você!

TEXTO: Martha Medeiros
* * * * *
Texto lido no programa
"Madrugada Viva Liberdade FM"
no quadro
"Momento de Reflexão"
no dia 13 de Julho de 2.012.

ACEITAR O QUE NÃO POSSO MODIFICAR

Aceitar não é gostar! 
É apenas parar de brigar, 
de lutar contra o que 
não se pode modificar.

Não posso lutar contra 
os fatos irreversíveis 
da minha vida: 
nascimentos, mortes, 
desastres, o passado...

Não posso modificar as pessoas, 
por mais que as ame, 
que dependam de mim, 
que tenhamos nossas vidas entrelaçadas, 
por sangue ou por escolhas.

Posso até exercer força 
e poder sobre elas, 
fazê-las se submeter, 
mas não posso realmente 
modificá-las.

Todo esse poder está restrito a mim e, 
mesmo assim, 
não posso modificar-me 
além do que posso, 
Só por hoje.

Aceitação não é inércia, 
paralisação ou derrota com 
conformação ressentida. 
É atitude lúcida, 
inteligente e humilde que 
nos poupa de ficarmos em 
eterna luta conosco mesmos, 
com todos, 
com a vida e com Deus.

Essa luta contra o impossível 
só nos humilha, 
nos faz sentir menores, 
incompetentes, injustiçados, 
desgastados ...

Aceitação é um estágio 
além da resignação cansada 
e sem brilho porque, 
ao cessarmos as lutas impossíveis, 
nos sobra tranqüilidade 
para fazermos avaliações mais 
objetivas da nossa realidade, 
escolhas mais eficientes 
e recobramos força, 
ânimo e serenidade para, 
afinal, 
mudar o que realmente 
podemos modificar.

Serenidade e aceitação 
são faces da mesma moeda, 
causa e conseqüência uma da outra, 
alicerces para construção 
de nossa auto- estima, 
para nossa pretensão à felicidade.

TEXTO: Maria Tude
FONTE: http://mariatude.blogspot.com/
* * * * *
Texto lido no programa 
"Madrugada Viva Liberdade FM" 
no quadro 
"Momento de Reflexão" 
no dia 12 de Julho de 2.012.

NÃO ESTRAGUE O SEU DIA


Você já experimentou,
alguma vez,
aquele amanhecer sombrio,
em que tudo lhe parece amargo?

Esses dias aparentemente
têm os mesmos
aspectos para todos nós,
mas são vividos de
maneira diferente por
cada indivíduo.

Alguns ficam tristes e
quase calados.

Buscam isolar-se para
evitar qualquer
contato com alguém
que lhes faça perguntas sobre
o que está acontecendo,
porque está assim, etc.

Outros deixam o mau humor
dirigir seus passos e,
em poucos minutos,
azedam todo o ambiente em
que se encontram.

Distribuem gestos bruscos,
falam com irritação,
respondem com azedume,
culpam os outros por tudo de
errado que acontece.

E a resposta para
comportamentos desse tipo
logo se faz sentir no organismo,
em forma de azia, enxaqueca,
dores musculares,
entre outros males.

E o pior de tudo é
que nem sabemos o porquê
de tanta irritação.

Não paramos um pouco
para meditar sobre a
situação em que nos encontramos,
nem para mudar o curso dos
acontecimentos.

De maneira irrefletida,
estragamos o nosso dia
movidos por um estado d´alma
que nos toma de assalto
e no qual nos
deixamos mergulhar,
sem refletir.

Passados esses momentos
amargos,
fica uma desagradável
sensação de mal-estar,
de indisposição,
de sentimentos feridos,
de relacionamento comprometido.

Assim,
se você sentir
que está diante de uma
manhã sombria,
de um momento amargo,
vale a pena tomar medidas
urgentes
para não se deixar cair
nas armadilhas.

Se ainda está em casa,
faça uma prece antes de sair.

Se estiver no trabalho,
busque um local que lhe permita
ficar só por um instante,
respire fundo e
eleve o pensamento a Deus,
rogando
forças e discernimento
para não se deixar levar por
circunstncias desagradáveis.

Lembre-se, sempre,
que todos temos momentos
difíceis,
e que só depende de nós
complicá-los ainda mais,
ou sair deles com sabedoria
e bom senso.

Lembre-se, ainda que,
por mais difícil que
esteja a situação,
ela será tragada pelas horas e
substituída por momentos mais
leves e mais felizes.

Por essa razão,
nunca valerá a pena estragar
o seu dia.

* * * * *

Não estrague o seu dia.
A sua irritação não solucionará
problema algum.

As suas
contrariedades não alteram a
natureza das coisas.

Os seus desapontamentos
não fazem o trabalho que só o tempo
conseguirá realizar.

O seu mau humor não modifica a vida.

A sua dor não
impedirá que o sol brilhe
amanhã sobre os bons
e os maus.

A sua tristeza não
iluminará os caminhos.

O seu desanimo
não edificará a ninguém.

As suas lágrimas
não substituem o suor que
você deve verter
em benefício da sua própria
felicidade.

As suas reclamações,
ainda mesmo afetivas,
jamais acrescentarão nos outros
um só grama
de simpatia por você.

Não estrague o seu dia.
Aprenda,
com a Sabedoria Divina,
a desculpar infinitamente,
construindo e reconstruindo
sempre para o infinito Bem.

TEXTO: Redação do Momento Espírita
* * * * *
Texto lido no programa
"Madrugada Viva Liberdade FM"
no quadro
"Momento de Reflexão"
no dia 09 de Julho de 2.012.