quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

A todos vocês...

Mais um ano que caminhamos
juntos vai chegando ao fim.
Procuro no meu coração
as palavras e não sei
se encontro.

Devo, talvez,
ter que ir mais fundo.

Penso que o segredo
de nos darmos bem
é que quando falo,
o faço com o coração
e quando escutam,
o fazem com o coração.

É dessa forma que meu
coração se sente compreendido
e o de vocês se sente reconfortado.
Fazemos uma troca.

Eu queria fazer um resumo
do ano que passou,
mas não acho que tenha
sido um ano particular,
apenas a continuidade
dos tantos outros,
onde vemos,
infelizmente,
que a humanidade caminha
para a direção contrária:
muitas coisas que antes nos
surpreendiam começam a ser
"naturais"
pois o mundo evoluiu.

Vemos que muitos valores
foram invertidos:
o que é anormal,
tornou-se comum;
o que é imoral,
tornou-se corriqueiro;
a violência nos revolta,
mas não nos impede de dormir;
antes,
compreendíamos nossos
pais com um simples olhar,
hoje tudo é diferente.

Muitas pessoas procuram
a profissão onde vão ganhar
mais e poucos são os que ainda
fazem alguma coisa por paixão.

É isso...
Falta paixão no mundo!
O materialismo tomou conta
de muitas coisas e muito poucos
são os que ainda abraçam uma
causa e seriam capazes
de dar tudo por ela.

O "eu" tornou-se rei
e como há muitos eus
espalhados pelo mundo,
há muitos reis também,
que pensam-se poderosos
e acima de tudo.

E ninguém está acima de tudo
enquanto os homens não
conseguirem controlar
o mar e o tempo.

Nada no mundo se compara
à paz de espírito,
ao sentimento de ter feito o bem,
ao conforto de olhar nos
olhos dos que precisaram de
alguém e conseguiram encontrar
uma presença.

O que o mundo precisa é disso:
a paz,
que só encontramos quando
nosso coração se sente
saciado e um coração precisa
de amor para se alimentar.

Se tiver que deixar uma
mensagem a vocês,
deixo esta aqui:
não desacreditem na vida,
nem no bem,
nem na força do bem e,
acima de qualquer coisa,
não desacreditem em Deus!

O mundo está abandonado
a si mesmo,
mas aqueles que voltam-se
para Deus estão ancorados.

Cultivem o amor,
a paz, a alegria,
o sorriso e tratem as pessoas
com o mesmo respeito,
amor, compreensão,
como gostariam de ser tratatos.

Ninguém deve sentir vergonha
de falar sobre Deus,
de defender uma causa justa,
de se sentir diferente num
mundo onde todo mundo
quer fazer igual.

Pessoas especiais são
pessoas especiais.

Muitos são os que avistam
a porta do paraíso,
mas, creiam,
só as pessoas especiais são
capazes de passar por ela.

Que o Senhor guarde a união
no seio de cada família,
que as pessoas se dêem as
mãos e não larguem quaisquer
que forem as circunstâncias,
que a vida seja repleta e que a
solidão torne-se uma
vaga lembrança!

Obrigada a cada um de vocês
por compartilhar comigo dessa
caminhada na qual acredito
de todo meu ser.

Com muito amor,
tenham um ano de paz,
de muita luz!

TEXTO: Letícia Thompson
* * * * *
Texto lido no programa
"Madrugada Viva Liberdade FM"
no quadro
"Momento de Reflexão"
no dia 31 de Dezembro de 2.010.

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Iniciando um novo ano

Toda vez que o
ano vai chegando ao fim,
parece que todos vamos
manifestando cansaço maior.

Seja porque as festas se multipliquem
(são formaturas, casamentos, jantares de empresas),
seja porque já nos vamos preparando
para as viagens de férias
de logo mais.

De uma forma ou de outra,
é comum se escutar as pessoas
desabafarem dizendo que desejam
mesmo que se acabe logo o ano.

Quem muito sofreu,
deseja que ele se acabe e aguarda dias novos,
de menos dores.

Quem perdeu amores,
deseja que ele se acabe de vez,
na ânsia de que os dias que virão
consigam trazer esperanças ao
coração esfacelado pelas ausências.

Quem está concluindo algum
curso e deu o máximo de si,
deseja que os meses que se
anunciam cheguem logo,
para descansar de tanto esforço.

E assim vai.
Cada um vai pensando no
ano que se finda no sentido de
deixar algo para trás.
Algo que não foi muito bom.

Naturalmente,
muitos são os que veem findar
os dias do ano com contentamento,
pois eles lhes foram propícios.

Esses,
almejam que os dias
futuros reprisem esses
valores de alegria,
de afeto,
de coisas positivas.

Ano velho, Ano Novo.
São convenções marcadas
pelo calendário humano,
em função dos movimentos do
planeta em torno do astro rei.

Contudo, psicologicamente,
também nos remetem, sim,
a um estado diferente.

Como Deus nada faz,
em Sua sabedoria,
sem um fim útil,
também assim é com a
questão do tempo como
o convencionamos.

Cada dia é um novo dia.
A noite nos fala de repouso.
A madrugada nos anuncia
oportunidade renovada.

Cada ano que finda nos
convida a deixarmos para
trás tudo de ruim,
desagradável que já vivenciamos,
permitindo-nos projetar planos
para o futuro próximo.

Por tudo isso,
por esta ensancha que a
Divindade nos permite a cada 365 dias,
nesta Terra,
pense que você pode
melhorar a sua vida no
ano que se anuncia.

Comece por retirar de sua
casa tudo que a atravanca.
Libere-se daquelas coisas
que você guarda nos armários,
na garagem,
no fundo do quintal.

Coisas que estão ali há muito tempo,
que você guarda para usar um dia.
Um dia que talvez nunca chegue.
Pense há quanto tempo elas estão ali:
meses, anos... esperando.

São roupas,
calçados, livros, discos antigos,
utensílios que você
não usa há anos.
Libere armários, espaços.

Coisas antigas,
superadas são muito úteis em museus,
para preservação da memória,
da evolução da nossa História.

Doe o que possa
e a quem seja mais útil.

Sinta o espaço vazio,
sinta-se mais leve.

Depois,
pense em quanta coisa
inútil você guarda em seu coração,
em sua mente.

Mágoas vividas,
calúnias recebidas,
mentiras que lhe roubaram a paz,
traições que lhe deixaram doente,
punhais amigos que lhe
rasgaram as carnes da alma.

Alije tudo de si.
Mentalmente,
coloque tudo em um
grande invólucro e imagine-se
jogando nas águas correntes
de um rio caudaloso que
as levará para além,
para o mar do esquecimento.

Deseje para si mesmo
um Ano Novo diferente.
E comece leve,
sem essa carga pesada,
que lhe destrói as
possibilidades de felicidade.

Comece o novo
ano olhando para frente,
para o Alto.
Estabeleça metas de
felicidade e conquistas.

Você é filho de Deus
e herdeiro do Seu amor,
credor de felicidade.
Conquiste-a.
Abandone as dores desnecessárias,
pense no bem.

Mentalize as
pessoas que são amigas,
que o amam,
lhe querem bem.

Programe-se para estar
mais com elas,
a fim de, fortalecido,
alcançar objetivos nobres.

Comece o ano pensando
em como você pode
influenciar pessoas,
ambientes,
com sua ação positiva.

Programe-se para vencer.
Programe-se para fazer
ouvidos moucos aos que
o desejam infelicitar e avance.

Programe-se para ser feliz.
O dia surge. É Ano Novo.
Siga para a luz,
certo que com vontade firme,
desejo de acertar,
Jesus abençoará as suas disposições.

É Ano Novo. Pense novo.
Pense grande. Seja feliz.

TEXTO: Redação do Momento Espírita.
Disponível no CD Momento Espírita, v. 13, ed. Fep.
* * * * *
Texto lido no programa
"Madrugada Viva Liberdade FM"
no quadro
"Momento de Reflexão"
no dia 30 de Dezembro de 2.010.

Um novo ano...

O que esperar de um novo ano?
Muitos esperam milagres,
mudanças radicais,
uma força que não sabem
de onde virá
e que num passe de mágica,
transformará um desejo
em realidade.
Acreditam ainda que
"querer é poder"!
Ledo engano,
pois muitos querem
tanta coisa e poucos
realmente conseguem ter.

É preciso muito mais
do que o simples querer,
é preciso ter os desejos
como "objetivos",
traçar metas palpáveis,
colocar tijolos na massa.

E por falar em massa,
tudo que é durável pede esforço,
as facilidades costumam
se transformar em dores,
os atalhos costumam fazer
a gente perder tempo.

Determine a sua mudança sim,
mas não por que
é dia 31 ou primeiro.
Determine porque precisamos
evoluir constantemente,
e deixar de fumar, emagrecer,
ter mais tempo para a vida,
deixar de lado vícios
e erros que cometemos,
é dar-se de presente
uma vida melhor.

Feliz ano novo todos os dias!
Feliz reflexão e força para mudar.
Eu te desejo além dos votos comuns,
"DETERMINAÇÃO".
A força está ai, dentro de você,
esperando a sua decisão,
respeitando seus limites,
pronto para o novo tempo,
que começa no exato
instante em que você diz:
- eu quero mudar!
Tudo conspira a seu favor!

Feliz 2011

TEXTO: Paulo Roberto Gaefke

* * * * *
Texto lido no programa
"Madrugada Viva Liberdade FM"
no quadro
"Momento de Reflexão"
no dia 29 de Dezembro de 2.010.

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Quantos Natais?

Quantos Natais serão necessários
para obter a paz?
Quantos presentes serão necessários
para trazer alegria?
Quantos abraços trocados serão
precisos para acalmar?
Quantos beijos demorados
precisamos para amar?

Neste Natal,
deixe-se envolver pela vontade
plena de ser feliz,
deixando de lado o comercial que te
pede um presente caro,
deixando de lado o sentimentalismo
barato dos shoppings,
deixando de lado essa falsa impressão
de que algo mudou,
e apostar definitivamente na
mudança interior,
como força capaz de promover
a mudança que queremos no mundo.

A fome continua grande,
o abandono faz fila nas ruas,
o desespero toma conta
de muitas mães,
o medo fala
aos corações dos pais,
a droga ainda é o pior consolo
de muita gente,
a falta de esperança caminha
entre as casas,
passa pelas luzes que não acendem,
pelas árvores que não respeitamos,
pelos animais que matamos
em nome da ceia,
pelos parentes que não convidamos
e nem perdoamos,
pelo Jesus que ignoramos
quando não o buscamos,
quando não entendemos
a sua simplicidade,
quando Ele pede para amarmos ao
próximo como a nós mesmos,
e nós não conseguimos,
pois falta-nos a compreensão do amor.

Que o Natal seja tempo de reflexão,
de silêncio,
de inspiração para dias melhores,
de renovação da nossa capacidade
de ser melhor,
de respeitar cada indíviduo,
cada ser,
e ser Iluminado pela verdade,
que se chama “felicidade”.

Feliz Natal

TEXTO: Paulo Roberto Gaefke
* * * * *
Texto lido no programa
"Madrugada Viva Liberdade FM"
no quadro
"Momento de Reflexão"
no dia 25 de Dezembro de 2.010.

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Tempo de alegrias ...

O Natal vai chegando
e com ele essa sensação de
que o mundo se transforma
aos poucos.

Os projetos vão aparecendo,
as casas iluminam-se,
tornam-se coloridas e belas.

Dentro do coração a esperança
adormecida acorda devagarzinho
e toma forma,
alimentando assim o desejo
de que um milagre aconteça
e traga os sonhos perdidos ou a
felicidade esperada.

As pessoas tornam-se mais
dóceis e fala-se em
solidariedade.

E Jesus,
muitas vezes esquecido,
renasce.

Quem duvida do milagre
do Natal deveria abrir
mais os olhos,
porque fazer um milagre não
é realizar grandes
e extraordinários feitos,
mas devolver a esperança aos cansados,
a alegria à alma aflita
e um pouco de ternura a um
coração desesperado.

Quem divide um pedaço de
pão com um faminto,
agasalha alguém que sente
frio e traz um pouco de luz
aos que perderam o direito
à luz do dia,
alimenta e veste o Mestre
e habita Seu coração.

Aí sim está o milagre de toda
a magia do Natal.

Sendo humanos,
tornamo-nos serez de luz
capazes de iluminar
o mundo.

Pudesse essa magia
perdurar o ano todo,
haveria mais flores nos campos
e mais sorrisos nos rostos;
haveria mais olhos brilhando
e menos doenças da alma.
E o mundo seria
uma imensa família,
exatamente como
Deus idealizou.

Pense nisso,
tenha um Feliz Natal e faça
Feliz o Natal de alguém!

TEXTO: Letícia Thompson
* * * * *
Texto lido no programa
"Madrugada Viva Liberdade FM"
no quadro
"Momento de Reflexão"
no dia 24 de Dezembro de 2.010.

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Onde está Jesus?

Mais um Natal que chega
e o mundo que se apressa.
São luzes coloridas e das mais variadas formas,
são as tradições colocadas
em cima da mesa,
presentes preparados e desejados,
bolas de natal,
pessoas apressadas e preocupadas.

E onde está Jesus?

Pouco se fala,
pouco se sabe.

Para uma grande parte das
pessoas faz parte,
como a mangedoura,
das tradições do presépio,
nada mais.

Mas Jesus está vivo,
inteiro e perfeito.
E no silêncio da noite
Ele acalenta os corações dos que
perderam as esperanças e Se faz
presente nas almas das crianças.

Ele abraça o mundo numa única
noite e chora o esquecimento,
a troca da Luz Real
e Eterna por inúmeras luzes
artificiais e passageiras.

Jesus está presente,
mesmo se você não O vê.

Ele está onde você O coloca,
Ele toca onde você permite que Ele toque,
ele transforma aquilo que você
permite que transforme...

Ele dá em abundância uma paz
que em nenhum lugar do mundo
é possível encontrar.

Jesus é o amor de Deus.
E onde se encontra o amor de Deus,
encontra-se o amor do mundo inteiro.
Pensei nisso e tenha o mais
lindo de todos os Natais!

TEXTO: Letícia Thompson
* * * * *
Texto lido no programa
"Madrugada Viva Liberdade FM"
no quadro
"Momento de Reflexão"
no dia 23 de Dezembro de 2.010.

A cruel indiferença

Basta um olhar nas grandes
cidades e lá está o retrato da indiferença.
Gente maltratada, infeliz, doente,
paupérrima se esgueirando pelas ruas,
estendendo as mãos, pedindo, suplicando.

Do interior dos carros, vidros fechados,
refrescados pelo ar condicionado,
perfumados e alimentados,
olhamos essas cenas como se estivéssemos
vendo um filme.

Alguns até reagem com uma certa irritação.
Culpam o Governo,
reclamam das diferenças sociais,
chamam de vadios os andrajosos que olham
para eles com ar cobiçoso ou infeliz.

Outros viram o rosto,
enojados pelo espetáculo da miséria
e do abandono.

E há os que se compadecem,
mas têm medo de abrir a janela,
de estender a mão, de sorrir.

Todos esses, invariavelmente,
esquecem dos espetáculos da pobreza
tão logo chegam em casa,
ao escritório ou aos locais de lazer.

Nos restaurantes,
quem lembra dos famintos?
Diante dos pratos
cheirosos e meticulosamente arrumados,
quem haveria de recordar crianças esqueléticas,
mães famélicas?

Nos cinemas,
lágrimas nos vêm aos olhos diante de filmes que
retratam a desigualdade social avassaladora,
mas saímos de lá impassíveis
diante do homem torturado que
sofre ao nosso lado.

Que fizemos de nossa sensibilidade
diante da dor alheia?
Em que ponto de nossa vida a indiferença
se instalou em nosso peito e,
com mãos de gelo,
nos segurou o coração?

Certamente que a caridade não
exclui a prudência.
E é claro que não devemos nos responsabilizar
por todas as dores do Mundo.

Mas, reflitamos:
Estaremos fazendo de fato
tudo o que é possível?

No momento damos as sobras de nossa mesa,
as roupas usadas,
alguns poucos reais para uma instituição.
Tudo muito louvável.

Mas estaremos mesmo contribuindo
para reduzir a desigualdade
aterradora que se vê no Mundo?

Cada um de nós,
no papel que desempenha,
no ambiente profissional,
pode contribuir, sim,
para mudar esse estado de coisas.

Quem de nós vive tão isolado que não
possa estimular alguém ao estudo,
ao trabalho?
Quem de nós,
de excelente condição financeira,
escolhe uma criança pobre e lhe dá a chance
de estudar em boas escolas?

Quantas vezes temos a chance de mudar a vida
de alguém desvalido e nos calamos,
omitimos, encolhemos?

Para aquele que tem vontade real de contribuir,
a vida oferecerá
oportunidades ímpares de fazer a diferença.

Por isso, abra seu coração para o amor.
Desde hoje, deixe que seus
olhos contemplem o Mundo com
muito mais bondade.

Procure ver em cada criatura sofrida
um irmão que tateia,
cego,
em busca da mão amiga que lhe ofereça
apoio e segurança.

A indiferença é a escuridão da alma.
Acenda a candeia de um coração
sensível e traga luminosidade para a sua
vida e para a de seus companheiros
de jornada.

FONTE: Hugo Dostoievsk
* * * * *
Texto lido no programa
"Madrugada Viva Liberdade FM"
no quadro
"Momento de Reflexão"
no dia 22 de Dezembro de 2.010.

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

POR QUE NÃO É SEMPRE NATAL?

Porque ainda vivemos
num mundo de desamor,
de egoísmo,
do não entender aquele
que caminha ao nosso lado,
que não deixa de ser
nosso irmão pois,
viemos de uma Unicidade
e para ela caminhamos.

Natal hoje é poder,
é ciranda monetária
a governar.

São ínfimos
momentos que a alma
sente a sua essência mas,
logo ignora esse lado lindo
que é o teu ser superior e divino
e plasma no material
nessa densa dimensão que
ora vivenciamos.

O mundo carece de amor
não de doar um dia só
e alimentar a fome
daquele que mendiga tudo,
vive na sombra e nas
sarjetas da vida.

Não digo que passemos
a viver a vida deles mas,
que ensinamos a pescar e
a buscar o teu alimento
dando condições para
que ele seja um cidadão
com os seus direitos
e deveres.

Somente assim a violência
irá ser sanada,
o ódio dissolvido de cada alma
e as crianças teriam
uma nova visão do mundo
onde poderiam ser
crianças que brincam
e não escravos da máfia
poderosa das drogas
e de todo mal que perpetua
na humanidade.

Mas onde esta a consciência
dos homens que tem o poder
em mãos e nada fazem
para sanar essa injustiça social,
para que tudo possa ser
mais no compartilhar,
no amor incondicional,
onde cada um possa mostrar
teu potencial de luz,
não de trevas matando
e dissipando
os inocentes da vida.

Sim....
Todos os dias poderiam
ser Natal.

Com esse sentir e elevar
do nosso sentimento
onde cada um dê a mão ao outro
procurando se interagir
numa paz e amor.

Precisamos entender que todos
necessitam sobreviver
com dignidade,
serem respeitados como cidadãos,
como seres humanos que são,
e não vermes de uma pseudo sociedade
onde o egoísmo predomina,
o desamor impera e
cada um olha apenas
para teu umbigo e
não amplia teu olhar para
o universo
que clama pelo amor e paz.

Que cada ser pare e pense
que tudo na vida passa,
e que daqui nada levamos,
a não ser o aprendizado
de nos amarmos cada dia mais,
para que possamos
amar o outro
como a nós mesmos.

Beijos de luz em cada coração

Namastê!

TEXTO: Zelisa Camargo
* * * * *
Texto lido no programa
"Madrugada Viva Liberdade FM"
no quadro
"Momento de Reflexão"
no dia 18 de Dezembro de 2.010.

Janelas da Vida

Abra a janela do teu coração
e deixe a alma arejar!
Sabe aquele cheiro de mofo de
sonhos que envelheceu e você
nem se deu conta?
Deixe que o vento leve para longe.

Livre-se também do ranço amargo
de toda mágoa e do rancor,
faça uma boa limpeza na
vidraça do coração,
garanto que você enxergará
melhor a vida lá fora.

Deixe a luz inundar tudo,
apagar as marcas das decepções,
as tristezas das derrotas
e da mania de sofrer por sofrer
e acima de tudo,
permita que o sol derreta
o gelo da solidão.

Apaixone-se por um sorriso
e sorria junto,
ilumine as janelinhas dos olhos...
Ame a pessoa que o espelho
reflete todas as manhãs.

Escancare a janela dos desejos
e esbanje sonhos,
ninguém sonha em vão,
e também não é verdade
que os sonhos fogem,
as pessoas é que desistem,
e eles morrem.

Desenhe um horizonte
além da tua janela,
exagere nas cores e...
Faça florescer todos os campos
que sua vista alcança.
Vá além, muito além.

Abra a janela da vida e
seja pleno em cada coisa ainda
que pareça pequena.

Viva com a espontaneidade
de uma criança.

Debruce na janela e não olhe a
vida passar através dela.

Viva!

TEXTO: Lady Foppa
* * * * *
Texto lido no programa
"Madrugada Viva Liberdade FM"
no quadro
"Momento de Reflexão"
no dia 14 de Dezembro de 2.010.

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

O bem do desapego

É quando nos preparamos para mudar
que percebemos a quantidade de coisas que
guardamos sem necessidade.

Nem sabemos por que o fazemos,
mas temos medo de um dia precisar disso
ou daquilo e vamos acumulando nossas preciosidades,
se assim podemos dizer.

Grande armário é o nosso coração e a nossa alma!

Imagino que se um dia tivéssemos que "mudar"
esse pedacinho de nós,
encontraríamos nele muitas coisas
desnecessárias das quais tivemos dificuldade
para nos desvencilhar.

Como nos nossos armários há roupas que
nem nos cabem mais,
nas gavetas objetos inúteis,
há nesse nosso coração certamente sentimentos
que há muito deixaram de nos servir,
mas que continuam intactos,
como se o tempo para eles não
tivesse passado.

As águas correm nos rios,
mas não no nosso interior.
Elas levam o que encontram pela frente,
mas nós nos apegamos ao inútil e nos impedimos
assim de desembocar no grande mar da vida que
nos oferece novos horizontes.

Se um dia decidirmos mudar de casa e nos
oferecermos uma nova vida,
não precisamos deixar tudo
e nem carregar tudo.
Um coração sábio saberá escolher o
que deve ser aproveitado ou não.

Os carinhos que recebemos permanecerão intactos,
mesmo se as flores se secaram
e as cartas se perderam.

Antigas e amareladas mágoas nunca têm utilidade,
a não ser para envelhecer e entristecer nossa alma.
Coisas que começamos e nunca
terminamos ou continuamos,
ou desistimos.

Não é vergonhoso deixar coisas para trás,
pesado mesmo e seguir em frente
carregando essas mesmas coisas que nem
sabemos onde vamos colocar.

Valioso demais é nosso coração para
que seja maltratado,
para que seja a ele negada a chance
de se oferecer novas
oportunidades e novos ares.

Cultivar no seu jardim a flor do desapego não
significa amar menos ou deixar de apreciar
o que de bom a vida nos oferece.

Apenas mudar nosso olhar em relação ao
mundo e se dizer que
as coisas realmente bonitas e importantes ficam
gravadas para sempre nas paredes da nossa alma,
seja qual for nosso caminho.

TEXTO: Letícia Thompson
* * * * *
Texto lido no programa
"Madrugada Viva Liberdade FM"
no quadro
"Momento de Reflexão"
no dia 10 de Dezembro de 2.010.

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Feridas Cicatrizadas ...

As pérolas são feridas curadas,
são produtos da dor.
Resultado de uma substância estranha
ou indesejável no interior da ostra,
como um parasita ou um grão de areia.
A parte interna da concha de uma
ostra é uma substância
lustrosa chamada nécar.

Quando um grão de areia penetra
as células do nécar
começam a trabalhar e cobrem o grão
de areia com camadas e mais camadas para
proteger o corpo indefeso da ostra.
Como resultado,
uma linda pérola é formada.

Uma ostra que não foi ferida de algum modo,
não produz pérola,
pois a pérola é uma ferida cicatrizada.

Você já se sentiu ferido pelas
palavras rudes de alguém?
Você já sentiu que seu
mundo está para desmoronar,
que nada dá certo,
que os problemas rondam você?
Você já foi acusado
de ter dito coisas que não disse?
Suas idéias já foram rejeitadas?
Então produza uma pérola!

Cubra sua dor, suas mágoas,
suas rejeições sofridas
com camadas de amor.

Lembre-se apenas
de que uma ostra que
não foi ferida jamais
poderá produzir pérolas.
E que as pérolas são
feridas cicatrizadas.
O processo de produzir a
pérola é a resposta que um pequeno
ser pode dar ao insulto que recebe,
ao estranho que entra no
seu mundo e que o machuca.
Podemos dizer então que a
pérola é a resposta
da ostra quando machucada.

Eu não sei o que
você faz das suas dores.
Eu não sei o que você faz dos
insultos que recebe.
Eu não sei o que você faz das
dificuldades na sua vida.

Eu não sei como
é que você lida com aquilo
que nós consideramos sofrimento.
Eu só sei que a sabedoria nos ensina
que quando uma dor nos toca,
de alguma forma,
uma redenção já se aproxima,
porque a redenção só é possível no
momento em que a gente descobre
o significado do sofrimento.

Há pessoas que sofrem por sofrer.
Há pessoas que descobrem o
significado do sofrimento.

E você já parou para pensar que,
quanto mais uma pessoa sofre,
mais histórias ela tem para contar depois?
E que quanto maior é o sofrimento
maior é o ensinamento que fica dele?

Eu sei que é difícil,
eu sei que não é fácil
utilizar-se dessa linguagem.
Eu sei que na prática,
quando o sofrimento nos envolve,
é difícil a gente descobrir
um significado para ele.
Mas nós não podemos
negar que a gente vai
ficando sábio à medida que a gente
vai descobrindo o jeito de lidar
com a vida.

Que todas as suas feridas possam,
em breve,
se transformar em pérolas!

AUTOR: Pe. Fábio de Melo
* * * * *
Texto lido no programa
"Madrugada Viva Liberdade FM"
no quadro
"Momento de Reflexão"
no dia 03 de Dezembro de 2.010.

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Ainda se eu falasse a linguagem dos anjos ...

Uma das coisas mais difíceis
no mundo é ter um coração puro.
Podemos ter corações amáveis,
gentis e abertos aos outros,
mas puros e cheios de amor
desinteressado...
quanto trabalho ainda deve ser feito,
quanta renúncia,
quanta aceitação e quanta doação!

Não podemos negociar com Deus,
fazer isso em troca daquilo,
agir de uma certa forma para
obter algum tipo de recompensa.

O amor é gratuito
e nossa dedicação a Deus
ou aos outros não deve depender
do que obtemos de volta.

Aquilo que sai da nossa alma
e do nosso coração devem ser ofertas,
livres de quaisquer condições.

Deus nos dá em retorno?

Certamente,
porém não como paga,
mas como resultado da confiança
que depositamos nEle.

Não somos bons quando
damos de nós aos outros,
nem quando fazemos caridade,
nem mesmo quando abandonamos
nossa vida por alguém que
carece da nossa ajuda.

Somos bons quando as coisas,
gestos e palavras saem
do nosso coração como uma flecha
e não ficamos observando
se ela vai voltar.

Somos bons quando não
contamos que nosso irmão tem
mais que nós e nos
sentimos ofendidos,
quando o bem e a felicidade
do outro passam a ser nosso bem
e felicidade também.

Erram as pessoas que acham-se
boas quando doam de si.
isso é orgulho.

Geralmente elas dão do que
lhes sobra e seus objetivos
são tornarem-se pessoas melhores.
Fazem por si no fim das contas,
não pelos outros.

O caminho para o Alto
é muito longo e a porta de
entrada é estreita.

Os que acham que já estão
na metade do caminho,
certamente nem começaram
ainda a subir.

É Deus quem nos eleva
e precisamos dizer muitos
"não" e muitos "sim"
até que alcancemos um
pedacinho do céu.

Amar demais aqui e odiar ali,
anula o amor;
escolher os que perdoamos
é o mesmo que não perdoar ninguém,
pois nosso coração continua
com manchas.

O amor tem olhos fechados
e é o maior de todos os dons,
distribuído a todos na face da terra.
Mas segundo a Bíblia,
há os que plantam,
os que colhem,
os que multiplicam e os
que escondem.

Podemos fazer todos
os bens do mundo,
regar os jardins dos que
precisam e oferecer-lhes
nosso melhor sorriso,
mas ainda assim não teremos
começado nosso caminho
se negamos a palavra a um irmão,
se os ressentimentos corroem
nosso coração,
se contamos cada ato
que realizamos.

Deus não precisa dos nossos
gestos vazios,
Ele apenas pede um
coração sincero.
Aquele que sabe e reconhece
não ser perfeito,
mas abre-se a cada dia ao próximo,
ao distante e tem por
meta fazer o bem.

Deus ama a todos indistintamente,
mas os que aprenderam
o que é compartilhar,
compreenderam melhor os
preceitos do Seu coração.
E esses provam plenamente
da Sua Graça.

TEXTO: Letícia Thompson
* * * * *
Texto lido no programa
"Madrugada Viva Liberdade FM"
no quadro
"Momento de Reflexão"
no dia 02 de Dezembro de 2.010.

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

A bagagem

Existe um personagem
de desenhos animados infantis
que tem um certo toque
de mistério e magia.

Seu nome é Gato Félix.
A todo lugar que vá,
ele leva a sua maleta.
É uma maleta especial,
pequena.
E tudo o que ele deseja,
tira da dita maleta.

Se for hora do lanche,
ele encontra frutas,
sanduíches e sucos.

Se necessitar fazer um conserto,
as ferramentas lá estão.
Sempre as certas e precisas.

Se chover de repente,
basta abrir a maleta
para encontrar capa,
guarda-chuva,
botas.

E assim em qualquer situação.

Cada um de nós também
possui uma pequena mala de mão,
em nossa vida,
mais ou menos parecida
com a do personagem infantil.

Quando a vida começa,
temos em mãos a pequena mala.
À medida que os anos passam,
a bagagem,
dentro dela,
vai aumentando.

É que vamos colocando
tudo o que recolhemos
pelo caminho.
Algumas coisas
muito importantes.
Outras, nem tanto.
Muitas, dispensáveis.

Chega um momento
em que a bagagem começa
a ficar insuportável
de ser carregada.
Pesa demais.

Nesse momento,
o melhor mesmo é aliviar o peso,
esvaziar a mala.
Você examina o conteúdo
e vai pondo para fora.

Amor, amizade.
Curioso,
não pesam nada.

Depois você tira a raiva.
Como ela pesa!
Na seqüência,
você tira a incompreensão,
o medo,
o pessimismo.

Nesse momento,
você encontra o desânimo.
Ele é tão grande que,
ao tentar tirá-lo,
ele é que quase o puxa
para dentro da mala.

Por fim,
você encontra um sorriso.
Bem lá no fundo,
quase sufocado.

Pula para fora outro sorriso.
E mais outro.
Aí você encontra a felicidade.

Mas ainda tem mais
coisas dentro da mala.
Você remexe e encontra a tristeza.
É bom jogá-la fora.

Depois,
você procura a paciência
dentro da mala.
Vai precisar bastante dela.

E também procura a força,
a esperança, a coragem,
o entusiasmo, o equilíbrio,
a responsabilidade,
a tolerância e o bom
e velho humor.

A preocupação
que você encontrar,
deixe de lado.
Depois você pensa
no que fazer com ela.

Bem,
agora que você tirou
tudo da sua mala,
deve arrumar toda a bagagem.

Pense bem no que vai
colocar lá dentro de novo.
Isso é com você.

E depois de toda a bagagem pronta,
o caminho recomeçado,
lembre de repetir a
arrumação vez ou outra.

O caminho é longo até
chegar ao final da jornada,
e você terá que carregar
a mala o tempo todo.

E quando chegar do outro lado,
é bom que em sua bagagem
tenha o máximo de coisas positivas,
como boas obras,
amizades, carinho, amor.

Porque isso tudo não pesa
na sua bagagem,
enquanto na terra.
Mas quando for colocada
na balança da justiça,
para além da existência física,
pesará e muito,
positivamente.

Que a nossa bagagem,
nesse dia,
possa estar repleta de virtudes,
o bem praticado,
afetos conquistados para
nossa própria e grande felicidade.

TEXTO: Equipe de Redação do Momento Espírita com base em artigo recebido denominado "A Bagagem",
sem designação de autor.

* * * * *
Texto lido no programa
"Madrugada Viva Liberdade FM"
no quadro
"Momento de Reflexão"
no dia 30 de Novembro de 2.010.

Amantes da Sabedoria

Buscar uma explicação
para os acontecimentos
na sua vida,
sem passar pelos mitos,
usando a Razão,
não como desculpa para os
erros que cometemos,
mas como fonte de informação
para a nossa melhoria,
é a mais pura Filosofia.

Para tanto,
você pode ler os
grandes Filósofos,
pode estudar as ciências,
a psicologia, a matemática,
a história e se debruçar
sobra as artes.

Todo conhecimento adquirido
é tesouro inestimável,
é a sua bagagem pela eternidade,
que não pesa,
não incomoda e não tem
pagamentos de taxas
extraordinárias,
mas, ainda assim,
com todo conhecimento adquirido,
você será chamado pelo Tempo,
no seu dia a dia,
a debruçar-se sobre a filosofia
da sua vida,
e assim,
tomar um posicionamento
baseado na sua experiência diária,
que é única,
e nenhum sábio,
é capaz de dizer para onde ir,
o que fazer ou o que
deixar de fazer.

No máximo,
poderá obter uma
orientação de caminhos a seguir,
mas quem deverá colocar
a mão na maçaneta
e escolher a porta que
deverá ser aberta é você.

Por isso,
preste atenção aos
detalhes da vida!

Não faça de cada problema
um motivo de fuga,
não deixe a bola dos acontecimentos
crescer de tal forma que
vire uma avalanche.

Repare nas suas atitudes,
na sua postura diante
das dificuldades.

Nós somos formados por hábitos,
costumes que vamos
adquirindo e quase sempre,
reagimos do mesmo modo diante
de situações idênticas,
por isso,
persistimos nos erros.

Se uma situação negativa
se repete na sua vida,
não culpe os deuses,
nem aos anjos,
muito menos procure um
culpado no rol de amigos,
antes, reflita nas suas atitudes,
nas palavras que tem usado,
na maneira que tem tratado as
pessoas próximas e até
os desconhecidos.

- Como vai a sua paciência?
Você ainda sabe o que é isso?
- Como vai o seu poder de perdoar?
- Como você gasta o seu dinheiro?
- Quanto separa mensalmente para poupar?
- No relacionamento
você dá o que espera receber?
- Nas amizades,
ouve ou quer ser sempre ouvido(a)?
- Você fala demais,
ouve pouco,
ou justamente o contrário?

Tudo deve ser motivo de
uma reflexão sincera,
mas amorosa,
sem julgamentos,
apenas focado nas ações
e no que pode ser melhorado.

Mesmo quem está atolado em dívidas,
pode começar uma poupança,
se determinando a guardar 10%
de tudo o que entra nos seus bolsos,
desde que lembre-se que poupar
não é guardar o que sobra,
e sim,
separar uma parte do
que ganha para realizar um sonho.

Por falar nisso:
- Qual é o seu maior sonho agora?

Filosofia da sua vida
é dedicar-se amorosamente
ao estudo das suas atitudes
e com humildade,
se preciso for,
recomeçar,
reiniciar no processo
de se descobrir
e finalmente perceber,
que dentro de você,
habita um ser maravilhoso,
cheio de possibilidades e
capacidade infinita de se transformar.

Filosofia não é um simples
exercício poético,
mas o ponto de partida para o
autoconhecimento,
que leva invariavelmente
a vitória pessoal,
a conquista dos sonhos
mais distantes,
e a um estado de paz que
não tem preço,
ainda que algumas perguntas
fiquem sem respostas momentâneas.

Descubra-se!

TEXTO: Paulo Roberto Gaefke
* * * * *
Texto lido no programa
"Madrugada Viva Liberdade FM"
no quadro
"Momento de Reflexão"
no dia 27 de Novembro de 2.010.

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Terroristas Psíquicos

Muitos tiranos emocionais
aproveitam-se da
nossa condição de aprendizes
para nos atemorizarem emocionalmente,
tornando-nos reféns do passado
e deles mesmos.
Como verdadeiros terroristas psíquicos,
diante das conquistas que alcançamos,
procuram sempre nos lembrar
que já erramos um dia.

Procuram manter-se na
posição de domínio sobre os outros.
Colocam-se como arautos da verdade,
julgando-se inatingíveis,
hipócritas.

Isso acontece em sociedade,
na família e mesmo nos
relacionamentos
"amorosos".

Existem pessoas
extremamente carentes,
que se escondem atrás
dessa postura
belicista para manter
a atenção dos outros.

Quando elas não conseguem
ser o centro da atenção
em um relacionamento,
seja ele qual for,
procuram lembrar-nos
sobre equívocos cometidos um dia,
buscando assim controlar a situação,
exaltando a si mesmas.

São frágeis emocionalmente
e acreditam manter laços
afetivos às custas da
manipulação de sentimentos.

Devemos tomar cuidado
com aqueles que se relacionam
conosco e nos impedem de
virar as páginas
emboloradas do passado.

Se cairmos é importante
que não nos mantenhamos
identificados com o chão,
pois só cai quem esta andando.

É na queda que encontramos
os verdadeiros amigos,
eles nos ajudam a
erguermo-nos e seguir
caminhando.

Afaste-se dos que pregam
a renovação e não renovam
as próprias idéias.

Tomemos cuidado
com os terroristas psíquicos,
eles são ardilosos,
sutis.

Terrorista psíquico é todo
aquele que deseja
que os outros
pensem como ele.

Cuidado para não se tornar
refém dos terroristas,
suas principais armas são:

- A exaltação dos erros passados
para exercer o domínio no presente.
- O ciúme em qualquer tipo de relação.
- A posição de eterna vítima.
- A falta de escrúpulos para
denegrir a imagem dos outros.
- A tentativa de nos
impedir o raciocínio e a inveja.

Viver é um constante aprendizado.

Precisamos compreender que,
"a cada um será
dado conforme suas próprias
obras",
somos os únicos responsáveis
pelo nosso destino.

TEXTO: Adeilson Salles
* * * * *
Texto lido no programa
"Madrugada Viva Liberdade FM"
no quadro
"Momento de Reflexão"
no dia 26 de Novembro de 2.010.

domingo, 21 de novembro de 2010

O bom samaritano

Creio que toda vez que uma pessoa pensa
em ajudar o seu próximo,
ela tem o caráter de Deus em sua vida.
E quando ela faz alguma coisa
desinteressadamente pelo próximo,
ela se transforma numa extensão do braço
de Deus na vida das pessoas.

É nesse momento,
nesse exato ponto que Deus se aproveita
desse canal aberto,
onde o coração está em extâse por ser
útil e livre de preconceitos e amarras,
para falar com quem serve sem pedir nada em troca,
e chega a inspiração para novos projetos,
para levar adiante sonhos adormecidos.

Deus fala aos humildes!

Por isso vemos pessoas tão simples,
tão desprovidas de qualquer bem material ou instrução,
construindo hospitais enormes,
abrigos e asilos, acolhendo dezenas,
centenas e até milhares de necessitados
de maneira que as pessoas que estão
de fora não entendem...

É assim que vemos algumas pessoas fazendo,
enquanto muitos estão só na reclamação
gratuita e que não leva a nada.

É assim que nos assombramos com a vitalidade
de pessoas tão franzinas,
que carregam fardos enormes e só sabem sorrir.

É assim que nos espantamos com a inteligência
e sabedoria de quem mal sabe escrever,
que trazem em cada palavra uma verdade
que não machuca.

É assim que temos vontade de permanecer
ao lado de quem só faz o bem,
gente que foi maltratada,
sentiu o desprezo dos poderosos na alma,
mas não guardou rancor e nem
tem o que perdoar...

É assim que algumas pessoas emergem da dor,
da miséria e outras mazelas,
e fazem um bem tão grande que atinge
milhares de pessoas,
as vezes só com o exemplo.

E quando a noite cair,
e o vento soprar mais forte,
quando o frio atravessar ossos frágeis,
alguns estarão se revirando na cama,
tentando dormir sem conseguir,
mesmo com calmantes fortes,
outros estarão pelas ruas levando sopa,
agasalho, carinho,
minimizando um pouco a dor de
quem ficou pelo caminho.

Por isso não me espanto
que muitos esperam a volta do Cristo,
enquanto alguns, poucos ainda,
todos os dias o encontram,
o Cristo que está dormindo nas ruas,
que sofre nas casas, que geme nos hospitais,
abandonado nas celas, esquecido, humilhado,
como foi um dia,
há 2000 anos atrás numa cruz.

Bendito sejam os novos samaritanos,
que não esperam,
vão ao encontro de Cristo,
que encontram os levitas pelo caminho
e se compadecem dele,
e assim levam Jesus em cada casa,
em cada vida, não pelas palavras,
que se perdem logo após a novela das 8,
mas com atos solidários que resgatam vidas,
esses sim, estiveram com o Cristo o dia todo,
podem dormir tranquilos, sem susto,
Cristo já voltou e esteve com cada um deles.

E se você quiser,
segue a receita do Mestre:

Disse Jesus:
"Muito bem, então vai e procede tu,
de igual maneira."

Eu acredito em você

TEXTO: Paulo Roberto Gaefke
* * * * *
Texto lido no programa
"Madrugada Viva Liberdade FM"
no quadro
"Momento de Reflexão"
no dia 23 de Novembro de 2.010.

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

O PERFEITO CAMINHO DE DEUS

Tem dias que trocaríamos facilmente por um outro,
que preferiríamos talvez que não existissem.
Isso por que suportamos mal os ventos contrários.
Mas Deus fez esse dia e os outros,
os que passaram e os que virão ainda e
chegamos onde chegamos por que
nas dificuldades encontramos forças para
superar e continuar o caminho.

Não adianta querer passar por atalhos,
evitar o que de inevitável nos espera,
o que testa nossa paciência,
resistência e mesmo amor.
Os caminhos que tivermos que atravessar,
atravessaremos e devemos
fazê-lo de cabeça erguida e olhos
postos no horizonte.

Quando Deus nos criou,
traçou nossos planos,
idealizou nossa vida e projetou nossos sonhos.
A nossa liberdade de escolha,
essa pela qual lutamos com tanto orgulho,
nos leva a outros campos,
outras paisagens,
nem sempre as que nos são favoráveis.

Mas o amor de Deus nos
busca e às vezes de maneira
que não esperamos.
As tempestades chegam,
os barcos balançam,
as folhas caem e não podemos
impedir as lágrimas.

Todo amor tem atrás de si uma
grande história e o amor
de Deus tem atrás de si a
história de todo o universo.

Aceitar os caminhos e as voltas
da vida com o coração aberto,
ainda que ferido,
é oferecer a Deus a oportunidade
para trazer-nos para junto dEle.

Os caminhos de Deus são perfeitos.
Os atalhos que escolhemos é que são sinuosos.
Mas se nos voltamos,
temos a promessa de campos floridos,
vida serena e lindos amanheceres.

TEXTO: Letícia Thompson
* * * * *
Texto lido no programa
"Madrugada Viva Liberdade FM"
no quadro
"Momento de Reflexão"
no dia 18 de Novembro de 2.010.

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Pit-stop da vida

É preciso parar um pouco a corrida da vida,
estabelecer um pit-stop para reabastecer a alma.
Recarregar as nossas baterias espirituais,
para seguir na competição diária
com forças renovadas,
com uma nova visão.

Então,
se tudo está dando errado,
se as conquistas não tem mais sabor,
se não existem mais conquistas,
se o vazio tomou conta de você,
busque o encontro com Deus,
não como forma de milagre,
nem para soluções imediatas
de problemas antigos,
mas para as respostas que a alma deseja,
para o reencontro verdadeiro
entre criatura e Criador.

E assim,
livre de amarras e preconceitos,
Deus se revela de maneira clara,
preenchendo cada cantinho do nosso ser,
deixando-nos livres, para escolher,
ser e crescer.

Quando Deus entra na nossa vida plenamente,
a corrida fica mais segura, menos tensa,
percebemos finalmente,
que somos os pilotos,
que somos os donos da direção,
e com esse certeza, seguimos em frente,
rumo ao infinito,
no caminho do coração.

Eu acredito em você

TEXTO: Paulo Roberto Gaefke
* * * * *
Texto lido no programa
"Madrugada Viva Liberdade FM"
no quadro
"Momento de Reflexão"
no dia 16 de Novembro de 2.010.

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Setenta vezes sete

Temos o direito de errar
ao longo da nossa vida.

Guiados pelo coração
ou emoções que controlam o que
nosso juízo deveria controlar,
vamos de tropeço em tropeço.

Não estamos condenados eternamente
porque somos humanos.

O que não podemos,
portanto,
é repetir vezes e vezes
os mesmos erros e achar a cada
vez que tudo pode ser justificado.
Errar? Pecar?
Faz parte, infelizmente,
do caminho,
da quota de cada um.

Quando cometemos nossos
deslizes e que a vida
nos dá uma nova oportunidade
de recomeçar,
é loucura pensar que o
perdão nos é devido
indefinidamente e querer,
de forma absurda,
atingir o setenta vezes sete.

Cada pessoa e cada coisa
tem seu limite.
Repetir erros e enganos
contra os que nos amam
simplesmente porque sabemos
que um coração que ama
sabe perdoar,
é abusar da confiança que
depositam em nós,
é desrespeitar o outro
como pessoa.

Suportar e suportar erros
em nome do amor pode
parecer heróico.

O perdão é algo que exige
de nós uma força quase inhumana
e sabemos bem que
para realmente perdoar
precisamos abandonar o nosso
eu que pede justiça.

Mas não temos o direito
de brincar com os sentimentos
dos outros e nem permitir que
brinquem com os nossos.

Deslizar e cair uma vez,
duas, pode acontecer,
mas à partir do momento
que isso se torna um hábito é
que algo está muito errado.

Devemos aprender a dizer
"não" quando isso significa
reinvindicar o respeito próprio.

Cada um tem o direito
de viver com dignidade
e não podemos ser nada para
o mundo se já não
somos capazes de nos olhar
no espelho e sustentar
nosso próprio olhar.

Ame o mundo e ame ao outro.
E ame-se também,
assim como amou e ama
Aquele que te criou.

Perdoe e perdoe-se!
E não pare no caminho,
nem olhe para trás.
Há diante de nós um Éden
que nos espera e devemos viver
de maneira a sermos dignos de
passar por essa porta.

AUTORIA: Letícia Thompson
* * * * *
Texto lido no programa
"Madrugada Viva Liberdade FM"
no quadro
"Momento de Reflexão"
no dia 13 de Novembro de 2.010.

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Torneiras Conectadas

“… sem mim nada podeis fazer” (João 15:5)

Quando Lawrence da Arábia estava em Paris,
depois da Primeira Guerra Mundial,
com alguns amigos árabes,
ele lhes mostrou os pontos turísticos da cidade:
o Arco do Triunfo, o Museu do Louvre,
o Túmulo de Napoleão,
mas nada disso lhes chamou a atenção.
O que realmente lhes
despertou interesse foi a torneira
na banheira do quarto do hotel.
Eles passavam longo tempo
abrindo-a e admirando-a.

Ficavam surpresos ao ver que podiam
girar uma manivela e ter
toda a água que desejavam.
Alguns dias depois,
quando se aprontavam para deixar
Paris e voltar ao Oriente,
Lawrence os encontrou no banheiro,
esforçando-se para retirar a torneira.
“Olhe”, disseram eles,
“a Arábia é muito seca.

O que nós precisamos é de torneiras.
Se nós as tivermos,
teremos também toda a água
de que necessitamos”.
Lawrence teve que explicar que
as torneiras para nada serviriam se
não houvesse um imenso
reservatório de águas aos quais elas
estavam ligadas.
Ele assinalou que a água vinha das
chuvas e neve dos Alpes.

Refletindo sobre aquele episódio,
podemos compreender que
nossa vida cristã,
sozinha como aquela torneira,
sem estar ligada a Cristo,
seria completamente inútil.
muitas vezes nós, cristãos,
somos como árabes no deserto.
Eles têm suas torneiras mas não
existe conexão com a água.

Se não estivermos ligados à Água Viva,
para nada serviremos.
Não haverá vida,
não haverá testemunho,
não haverá poder, não haverá bênçãos.

Precisamos confiar plenamente no
Senhor Jesus e deixar que
Ele nos faça um manancial
de águas cristalinas.

Se o Senhor estiver em nossos corações,
toda vez que alguém vier buscar
água em nossas torneiras espirituais,
encontrará a mesma paz
e a mesma alegria que um dia transformou
nossas vidas e nos
fez experimentar a verdadeira felicidade.
Não seja como uma torneira
desconectada que nenhum valor tem.

TEXTO: Paulo Barbosa
http://www.ministeriopararefletir.com
* * * * *
Texto lido no programa
"Madrugada Viva Liberdade FM"
no quadro
"Momento de Reflexão"
no dia 11 de Novembro de 2.010.

terça-feira, 9 de novembro de 2010

QUANDO VOLTAM AS MARÉS

Queríamos todos que a vida fosse um longo rio
de águas calmas e tranqüilas.
Mas ela é comparável, na realidade,
a um imenso mar, belo,
misterioso, que ora encanta,
ora assusta.

Gostaríamos, certamente,
de olhar de uma margem a outra
e poder viver na
simplicidade de observar
a paisagem que fica,
enquanto as águas correm
vagarosamente.

Nós precisamos de segurança!
Precisamos fechar os olhos de vez em quando,
para não pensar em nada,
exatamente como quando éramos
crianças e nossas
mães cuidavam de tudo por nós.

Há pessoas que criam asas quando vão crescendo.
Elas não se contentam em navegar no rio,
mas o sobrevoam,
conseguem se desprender da margem fixa,
da bela e duradoura
paisagem e começam
a enxergar o ponto onde,
fatalmente,
esse rio se entregará ao grande mar da vida.
Outras se tardam, por amor,
por carência,
pela própria personalidade.

E o momento do grande encontro
é sempre um choque.
É preciso viver e conviver com
o infinito e deixar que o passado
seja somente uma lembrança
nostálgica e gostosa.

No mar, tudo é mais intenso.
As ondas que vão, voltam,
rebelam-se,
quebram-se e tornam-se,
por vezes,
um imenso leito tranqüilo.

Perdemo-nos nesse turbilhão de experiências
tão excitantes quanto assustadoras.

O que precisamos é somente aprender a navegar,
aproveitar a calmaria para recuperar as forças,
para, quando as marés voltarem,
estarmos prontos.

O horizonte não é vazio, ele esconde outras terras,
outras esperanças e nos
dá sempre a impressão de que toca o céu.
Mas as marés vêm e vão em toda parte.

A maioria das pessoas sobrevive às grandes
tempestades e reconstrói a vida.

Deus é o mesmo das altas e baixas marés;
é o mesmo no infinito e aqui,
nas noites sombrias e nas outras,
enfeitadas de estrelas;
é a Mão segura e firme que jamais
nos deixará afundar.

TEXTO: Letícia Thompson
* * * * *
Texto lido no programa
"Madrugada Viva Liberdade FM"
no quadro
"Momento de Reflexão"
no dia 10 de Novembro de 2.010.

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Quando a vida sorri

Nem tudo é preto e nem
tudo é branco na vida.
Se muitas vezes
temos a impressão que
o mundo e todas as misérias dele
recaem sobre nós é por
que não olhamos com mais
objetividade para nosso interior
ou os passos
que deixamos para trás.

É próprio do ser humano,
ou da maior parte dele,
de revisitar a vida mais facilmente
nos momentos dolorosos.
Vamos,
passo a passo,
revendo isso mais aquilo,
sempre somando as tristezas.

Parece que queremos nos
convencer da nossa razão
de tristeza existencial,
provar a nós e aos outros o
quanto somos
privados da felicidade
que cremos
(mas só cremos!)
destinada a alguns privilegiados.

Há cada ano quatro estações
distintas que nos
mostram que a vida está
sempre em movimento.
Há cada dia
variações de temperatura
e de luminosidade que provam
que a vida não é estática.

E é assim conosco.

Depois das primeiras horas,
primeiros dias e primeiros
anos muito e muito aconteceu.

Por que então privilegiar
os momentos onde a vida
pareceu mais árdua,
por que medir os rios de
lágrimas que choramos e não
os quilômetros de sorriso que demos?
Mesmo se poucos
(e o que é pouco na contagem de uma vida?),
esses momentos existiram.
Com certeza, existiram.

A vida sorri aqui e acolá.
Sorri quando nasce uma criança,
quando brota uma flor,
quando as férias chegam,
quando revemos alguém
depois de longo tempo,
quando nosso coração descobre
a alegria de enxergar outro coração
e assim por diante.

Não fugindo da realidade
que nos cerca e que
devemos enfrentar,
é bom relembrar o que de bom
e bonito nos aconteceu.
Visitar mais vezes nos recantos
da mémória o bem que nos fizeram,
o dia mais marcante,
os momentos que compartilhamos
e as gargalhadas que demos.

Devemos acreditar que no muro
que está diante de nós
pelo menos uma janela
vai se abrir,
assim como se abriram
as portas pelas quais atravessamos
e que nos conduziram até o hoje.

Quando a vida nos sorri
devemos tirar um retrato
dela e colocar num
grande quadro,
bem visível no lugar que
mais ficamos na nossa casa.
E olhar pra ele mais vezes,
mais intensa e mais profundamente.

Um momento de felicidade
pode ser muito maior e compensar
centenas de outros menos alegres.
Se acreditamos nisso vivemos muito
mais e muito mais serenamente.

AUTORIA: Leticia Thompson
* * * * *
Texto lido no programa
"Madrugada Viva Liberdade FM"
no quadro
"Momento de Reflexão"
no dia 06 de Novembro de 2.010

Mais Um Novo Dia

Aqui estamos nós. Aí está você.
O importante MESMO é você
saber que você está aí e bem.

Seja como for,
você acaba de ganhar mais um dia
de presente para viver.
Por isso,
comemore este novo dia.
Agradeça.

A partir de agora você retoma
o contato com a magia de fazer
parte da raça humana.

Viva este evento como algo fantástico.
Afinal,
você também é um milagre da natureza.
Cada manhã traz
a oportunidade de sintonia com o universo
através de múltiplos canais
de percepção.

Enquanto você ainda está no silêncio,
na intimidade dos seus pensamentos,
nos devaneios do espírito da rotina
de mais um despertar,
a vida se revela.

Emocione-se com os fenômenos da natureza,
a chuva, o vento , as nuvens, os trovões,
os primeiros raios de sol que estão
começando a colorir o céu ...
E principalmente ,
emocione-se porque você faz parte
deste espetáculo.

Esperamos demais para fazer
o que precisa ser feito,
num mundo que só nos dá um dia de cada vez,
sem nenhuma garantia do amanhã.
Enquanto lamentamos que a vida é curta,
agimos como se tivéssemos à nossa disposição
um estoque inesgotável de tempo.

Esperamos demais para dizer as palavras
de perdão que devem ser ditas,
para pôr de lado os rancores que
devem ser expulsos,
para expressar gratidão, para dar ânimo,
para oferecer consolo.

Esperamos demais para ser generosos,
deixando que a demora diminua a alegria
de dar espontaneamente.

Esperamos demais para ser pais
dos nossos filhos pequenos,
esquecendo quão curto é o tempo
em que eles são pequenos,
quão depressa a vida os faz
crescer e ir embora.

Esperamos demais
para dar carinho aos nossos pais,
irmãos e amigos.
Quem sabe quão logo será tarde demais?

Esperamos demais para enunciar
as preces que estão esperando para
atravessar nossos lábios,
para executar as tarefas que estão
esperando para serem cumpridas,
para demonstrar o amor,
que talvez não seja
mais necessário amanhã.

Esperamos demais nos bastidores,
quando a vida tem um papel para
desempenharmos no palco.
Deus também está esperando.
Esperando nós pararmos de esperar.

Esperando nós começarmos a fazer
agora tudo aquilo para o qual este
dia e esta vida nos foram dados.

OBS:
Fizemos uma pesquisa profunda na internet
e não encontramos a autoria do texto acima.
caso você saiba e queira colaborar conosco,
fineza enviar um e-mail através do site
www.toninholima.com.br
e nos informar.
Gostaríamos de dar os créditos
merecidos a quem o escreveu.
* * * * *
Texto lido no programa
"Madrugada Viva Liberdade FM"
no quadro
"Momento de Reflexão"
no dia 04 de Novembro de 2.010.

Estações

Passe para pelo menos uma
pessoa que você gosta!

Se a vida é consequência
dos nossos desejos,
deduz-se,
deveria ser um mar de rosas,
afinal de contas,
quem em sã consciência deseja algo
de mal para si mesmo?

Todavia,
vemos diariamente um "mundaréu"
de gente sofrendo,
uns de maneira cruel pela falta de tudo:
saúde, alimentação,
mal congênitos, miséria absoluta,
e outros,
com problemas de aceitação pessoal,
lunáticos, depressivos,
obsessores e obsediados,
gente que tem tudo o que outros
gostariam de ter,
menos a satisfação das conquistas.

Onde encontrar então,
a tal felicidade?
Será utopia ou Shangri-la distante?

Parece que os homens resolveram
seguir uma viagem sem fim,
cujo destino, a tal da Felicidade,
é um ponto que não se encontra.

Por isso, tantos conflitos,
abusos no consumo;
comemos, bebemos, fumamos,
corremos demais,
temos pouco tempo para a reflexão,
parece que fugimos da realidade,
temos medo de encontrar
"nós mesmos"
na próxima esquina.

Pense!

Onde você anda colocando a sua felicidade?
Qual é esse sonho que você não alcança,
que dor é essa que não sai do seu peito,
esse choro contido que "vaza"
quando você menos espera?
Que desejo é esse de ter,
consumir, ostentar, mandar,
dirigir vidas, consertar pessoas?

ESVAZIE-SE!

Entenda de uma vez por todas
que a vida pede equilíbrio,
tudo tem um preço,
mesmo os sentimentos mais valiosos,
não se deixe levar pelas aparências,
eleja a simplicidade como modo de vida,
comemore cada conquista,
por mais simples que possa parecer.

São os seus olhos que vão te
guiar até a Felicidade,
que agora,
deixa de ser um ponto distante,
para ser a próxima rodoviária,
que fica ai mesmo,
na sua casa!

Seja Feliz!

Eu acredito em você

TEXTO: Paulo Roberto Gaefke
* * * * *
Texto lido no programa
"Madrugada Viva Liberdade FM"
no quadro
"Momento de Reflexão"
no dia 03 de Novembro de 2.010.

É triste dizer adeus

É triste dizer adeus,
mas às vezes é necessário.
Não podemos prender a
nós definitivamente as pessoas
que amamos para suprir nossa
necessidade de afeto.

O amor que ama,
aprende a libertar.

Procuramos ganhar tempo
para tudo na vida.
Mas a vida,
quando chega no próprio limite,
despede-se e é esse último
adeus que é difícil de compreender e,
mais ainda, aceitar.

Possuímos um conceito
errado do amor.
Amar seria,
no seu total significado,
colocar a felicidade do outro
acima de tudo,
mas na realidade é a nossa
felicidade que levamos
em consideração.

Queremos os que amamos
perto de nós porque isso
nos completa,
nos deixa bem e seguros.
E aceitar que nos deixem é a
mais difícil de todas as coisas.

Não dizemos sempre que
queremos partir antes de
todos os que amamos?

Isso é para evitar nosso
próprio sofrimento,
nossa própria desolação.
É o amor na sua forma egoísta.

Aceitar um adeus definitivo
é uma luta.

Se as perdas acontecem
cedo demais ou de forma inesperada,
o sentimento de desamparo
é muito maior e a dor
mais prolongada.

É o incompreensível casando-se
com o inaceitável e o tudo
rasgando a alma.

Essas dores poderão se acalmar,
mas nunca se apagarão.
Mas quando a vida chega ao
final depois de primaveras e
primaveras e outonos
e mais outonos,
nada mais justo que o repouso
e aceitar a partida é uma forma
de dizer ao outro que o amamos,
apesar da falta que vai fazer.

Não podemos prender
as pessoas a nós para ter
a oportunidade de dizer tudo
o que queremos ou fazer
tudo o que podemos por elas.

De qualquer forma,
depois que se forem,
sempre nos perguntaremos se
não poderíamos ter dito ou
feito algo mais.

Mas essas questões
são inúteis.

O amor que ama integralmente
não quer ver o outro
sofrer e ele abre mão dos
próprios sentimentos para que
o destino se cumpra,
para que a vida siga seu curso.

As dores do adeus são as
mais profundas de todas.
Mas elas também amenizam-se
com o tempo e um dia,
sem culpa, voltamos a sorrir,
voltamos a abrir a janela
e descobrimos novamente
o arco-íris da vida.

Depois da tempestade
descobrimos um dia novo
e o sol brilha de
maneira diferente.

E talvez seja assim
que aprendemos a dar
valor à vida,
aos que nos cercam;
aprendemos a viver de forma
a não ter arrependimentos
depois e aproveitar ainda
mais cada segundo vivido em
companhia daqueles que
nosso coração ama.

TEXTO: Letícia Thompson
* * * * *
Texto lido no programa
"Madrugada Viva Liberdade FM"
no quadro
"Momento de Reflexão"
no dia 02 de Novembro de 2.010.

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

REFLETINDO SOBRE A PALAVRA INVEJA

Hoje me peguei a refletir sobre
a palavra Inveja.

O que será a inveja em sí?

Como essa palavra é tão
usual na vida das pessoas.
E nessa minha reflexão,
muitos pontos não se encaixaram.

Vejamos...
invenja é vontade de ter os
bens possuidos pelos outros.
E o que fazemos para despertar
isso nos outros?

Será que deixar clara a
nossa capacidade
intelectual e cultural,
nos mostrarmos tranparentes
em nossas atitudes,
provoca essa exarcebação,
que vemos por aí?

Já perceberam,
que se uma pessoa que dá
apenas um aviso a outro,
sobre qualquer assunto,
a pessoa que recebe o aviso,
sai pelo mundo dizendo que
está sendo invejado!

E que a pessoa que avisa
é uma invejosa!
Temos que aprender a diferenciar
inveja em sí,
dos avisos que recebemos,
talvez de pessoas amigas
que realmente estão querendo
somente dar um alerta.

Pessoas que não aceitam qualquer
tipo de alerta ou de aviso,
e se posicionam no pedestal
das perfeições,
encaram isso como um risco iminente,
e saem dizendo que este amigo em questão,
está com inveja!

Ora...
inveja é a falta de capacidade
de obter aquilo que outro tem.

Será que esse posicionamento
não está invertido?
Os que se colocam nesse pedestal
das perfeições,
que saem pregando verdades
que são só delas e ainda usando
o nome de Deus,
será que não são esses que
exercem a verdadeira inveja?
Na nossa esfera não
existe ninguém perfeito,
a única perfeição que temos é DEUS!

Ele sim é perfeito em Sua totalidade,
nós somos imperfeitos.!
e Ele na Sua perfeição,
nunca saiu apontando o dedo
a ninguém e se
colocando nos referidos pedestais.
Seria maravilhoso se as pessoas,
tivessem a capacidade de aceitar
algum aviso, ou mesmo uma crítica,
de coração aberto,
tirando os entraves de ressentimentos
e tendo a palavra HUMILDADE,
como seguimento de vida.

Dessa maneira essa palavra INVEJA,
não seria usada tão
erronêamente.

E nessas minhas reflexões,
agradeço a Deus,
por estar no exercício do perdão diário,
e pedindo sempre a Ele,
com muita humildade que ilumine
meu coração

Assim....
sinto que por Deus sou iluminado(a)!

AUTORIA: Tek@ Nascimento

Publicado no Recanto da Letras em 11/11/2008
Código do texto: T1278260
* * * * *
Texto lido no programa
"Madrugada Viva Liberdade FM"
no quadro
"Momento de Reflexão"
no dia 26 de Outubro de 2.010.

sábado, 16 de outubro de 2010

Para ser feliz

O que você precisa para ser feliz?

Responda... pegue papel,
caneta e faça uma lista,
olhando bem dentro do seu coração.

O sentimento de felicidade e, creia,
de infelicidade, é coisa individual.

O que faz uma pessoa feliz pode não
fazer uma outra.

O grande problema de todo mundo é
que quanto mais temos,
mais nos tornamos exigentes.
Só que não sabemos isso com antecedência.

Nos dizemos:
se eu tivesse isso, seria feliz.
Mas depois de satisfeitos,
outro vazio se abre,
então queremos mais e assim por diante.

Nos sentimos felizes
no momento e depois da euforia passada,
tudo parece banal.

O amor faz feliz.
Mas o amor sem dinheiro pode não
ser o bastante.
Então queremos os dois.
Depois pedimos saúde,
casa, filhos, um bom trabalho...
e assim por diante.

Como um pedreiro,
vamos construindo nosso ideal de
felicidade tijolinho por tijolinho,
sem portanto jamais terminar de construir,
como se a vida fosse uma obra inacabada.

Quando tudo parece completo,
reclamamos do tempo que passou e nos
arrependemos do que não fizemos
ou nos dizemos que poderíamos
ter feito mais.

Digo tudo isso para dizer que o ser humano
parece sempre insatisfeito.

Penso que a verdadeira felicidade
devemos aprender é com as crianças:
beber dessa água e desses instantes
e não pensar em mais nada!

Ser feliz, simplesmente,
não colocando a felicidade como objetivo
para o próximo passo,
sem portanto, deixar de caminhar.

O mundo anda, andamos com ele.

Não podemos usufruir da felicidade
presente pensando sempre na outra que virá,
porque é isso que causa insatisfação nas pessoas.

Se sempre esperamos que será
melhor amanhã,
o hoje parece insignificante.

Portanto,
quanto proveito perdemos do presente
porque não sabemos apreciar e dar o justo
valor daquele momento.

Temos, hoje,
o que Deus permite que tenhamos
e que nos sustenta.
Ansiar por mais,
sempre mais nos torna seres infelizes.

Quero abraçar o hoje com o que ele me oferece
e amanhã será um outro dia onde poderei também
extrair meu pedaço de felicidade.

Porque felicidade é isso:
pedaços aqui e acolá que vão enchendo
nosso coração.

Deus cuida de nós como cuida dos
pássaros e das crianças.
Os pássaros cantam em todas as ocasiões e
as crianças riem do nada.

Eles sabem, da maneira deles,
aproveitar do momento presente e extrair
de cada instante a felicidade.

São felizes com a simplicidade que Deus
pede ao nosso coração.

Para ser feliz, viva seu agora.
Torne-se criança no coração e na alma.
Cante como os pássaros e seu
rosto terá aos olhos de
todos a beleza dos lírios dos campos.

TEXTO: Letícia Thompson
* * * * *
Texto lido no programa
"Madrugada Viva Liberdade FM"
no quadro
"Momento de Reflexão"
no dia 23 de Outubro 2.010.

Serenize a alma

Serenize a alma,
acalma-se!

Ainda hoje o que te aflige pode
deixar de existir,
pode se resolver por si mesmo,
e o que você pensa que é muito grande,
pode tornar-se tão pequeno,
que poderemos dar uma boa risada.

Assim como meteoros enormes.
que ao entrar na atmosfera da Terra,
se desintegram em mil pedaços,
como a onda gigante,
que no mar assusta
e chega na praia tão serena
que encanta,
o seu problema pode ser
muito menor,
se você não lhe der tanto valor.

Nada é maior do que o seu medo,
nem tão exasperante quanto
a sua ansiedade,
por isso,
se te falta juízo,
se não vê o caminho;
entre em oração,
silencie e acalme-se.

Encontre caminhos alternativos,
novas rotas,
faça-se novo em si mesmo,
não tema
"o que não aconteceu ainda",
o céu pode passar,
o sol pode até se apagar,
pois a noite chega,
a nuvem passa, a chuva cai,
mas você é eterno e não passa,
você deixa marcas em nós.

Você fica em quem te ama,
deixa aquela impressão de
que você é essencial,
e por isso que os anjos
em coro pedem:
"acalme-se, ore e confie",
o tempo da vitória começa agora,
na sua certeza, na sua mudança.
Você é capaz de mudar,
experimente!

Eu acredito em você

TEXTO: Paulo Roberto Gaefke
* * * * *
Texto lido no programa
"Madrugada Viva Liberdade FM"
no quadro
"Momento de Reflexão"
no dia 22 de Outubro de 2.010.

Fita o céu

Existem momentos inconsoláveis,
onde as palavras não cabem, não amenizam,
fita então o céu e caminha...

Existem problemas,
que no momento são insolúveis,
onde não cabem paliativos, não há saída,
fita então o céu e caminha...

Existem doenças que não se curam,
onde não há remédios, nem cirurgia,
fita então o céu e caminha...

Existem dores que não saem no Raio-X,
onde não cabe a medicina, nem os sábios,
fita então o céu e caminha...

Existem noites que parecem não ter fim,
onde não há vela que abrevie,
fita então o céu e caminha...

Existem julgamentos cheios de injustiça,
que não cabem apelos, muito menos recurso,
fita então o céu e caminha...

Existem amigos que caem, se perdem na multidão,
onde não há abraço e nem reconciliação,
fita então o céu e caminha...

Existem saudades que doem profundamente,
onde não cabem fotos e nem ligações,
fita então o céu e caminha...

Existem períodos de isolamento demorado,
onde a solidão chega a tomar vulto,
onde não cabem risos e nem simpatias,
fita então o céu e caminha...

E fitando o céu, surge uma esperança,
no caminhar, novos pensamentos,
pois bendita é a provação,
que revela a nossa fé,
aquela que desconhecíamos,
que nos leva a superação de nós mesmos,
na descoberta da luz,
ao perceber que o Cristo vive,
que não está mais naquela cruz.

Existem pessoas como você,
necessários,
extremamente importantes para a vida.
Fita então o céu e caminha,
segue adiante na sua jornada em
direção ao mais alto,
lugar onde habitam os que não desistem,
onde os sonhos são possíveis,
e você, a doce realidade de Deus.

Eu acredito em você

TEXTO: Paulo Roberto Gaefke
* * * * *
Texto lido no programa
"Madrugada Viva Liberdade FM"
no quadro
"Momento de Reflexão"
no dia 21 de Outubro de 2.010.

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

O que a Vida nos Revela

Talvez Deus queira que
nós conheçamos algumas pessoas
erradas antes de encontrar
a pessoa certa,
para que saibamos,
ao encontrá-la,
agradecer por esta benção
e saber valorizá-la.

Quando a porta da felicidade se fecha,
outra porta se abre.
Porém,
estamos tão presos àquela
porta fechada que não somos
capazes de ver o novo caminho
que se abriu.

O melhor amigo é aquele
com quem nos sentamos
por longas horas,
sem dizer uma palavra,
e ao deixá-lo,
temos a impressão de que foi a
melhor conversa que já tivemos.

Ao darmos a alguém
todo o nosso amor nunca
temos a certeza de que iremos
receber este amor de volta.

Não ame esperando algo em troca,
espere para que este sentimento
cresça no coração daquele
que você ama.

E se isto não ocorrer,
esteja feliz por este sentimento
estar crescendo em
seu coração.

Em questão de segundos
nos apaixonamos por alguém,
mas levamos uma vida inteira
para esquecer alguém especial.

Não busque boas aparências,
elas podem mudar.
Só precisamos de um sorriso
para transformarmos um dia
que estava ruim.

Encontre aquela pessoa que
faça seu coração sorrir.

Há momentos na vida em
que sentimos tanto a falta de
alguém que o que mais queremos
é tirar esta pessoa de nossos
sonhos e abraçá-la.

Sonhe com aquilo que você quiser,
vá para onde você queira ir,
seja o que você quer ser,
porque você apenas possui uma
vida e nela só temos uma chance de
fazer aquilo que queremos.

Tenha felicidade bastante
para fazê-lo doce,
dificuldades para fazê-lo forte,
tristeza para fazê-lo humano
e esperança suficiente para
fazê-lo feliz.

As pessoas mais felizes não
têm as melhores coisas.
Elas sabem fazer o melhor das
oportunidades que aparecem
em seus caminhos.

A felicidade aparece para
aqueles que choram,
para aqueles que se machucam,
para aqueles que buscam e tentam
sempre e para aqueles que
reconhecem a importância das
pessoas que passam por suas vidas.

O amor começa com um sorriso,
cresce com um beijo e termina
com uma lágrima.

O futuro mais brilhante sempre
estará baseado num passado esquecido,
você só terá sucesso na vida
quando esquecer os erros e as
decepções do passado.

Quando você nasceu,
você estava chorando e todas
as pessoas ao seu redor
estavam sorrindo,
viva de um modo que, ao morrer,
você seja aquele que esteja
sorrindo enquanto todos a sua
volta estejam chorando.

E o mais importante,
viva na presença de Deus
quando seu tempo na terra acabar.
Aproveite seu tempo agora para
conhecê-lo e aprender quem Ele é e,
quem Ele quer que você seja
enquanto você está aqui.
* * * * *
Texto lido no programa
"Madrugada Viva Liberdade FM"
no quadro
"Momento de Reflexão"
no dia 19 de Outubro de 2.010.

Tempestade em copo d'água

Fazer tempestade em copo
d'água é dar a uma situação uma
importância muito maior do que
ela tem ou merecer ter.

Vê-la, talvez,
com os olhos do desespero
e com a inquietação da alma.

São os pequenos acontecimentos
de cada dia que vão formando
nossa história,
com outra ou outras pessoas.

Esses fatos têm uma importância
singular para cada um e para que
sejamos justos numa relação,
é necessário não julgarmos o tamanho
que cada coisa ocupa na vida
da outra pessoa.

O que é importante para o outro,
pode ser simples para
mim e vice-versa.

Nunca podemos desprezar
ou minimizar os sentimentos de
uma outra pessoa ou sua reação,
somente porque aquilo é menos
importante pra gente,
pois quem mente a si mesmo,
acredita nas próprias mentiras.

Quando uma pessoa exagerar
numa reação e disser a você
que isso a machuca,
não menospreze.
Ela realmente sente e importa
pouco se a dor é grande ou pequena.

Tente,
com muita ternura,
abraçar o coração dela.

Se for o caso de realmente
ser uma tempestade num
copo d'água,
a calma virá mais rápido se
sua reação for de uma pessoa
compreensiva e que respeita
a dor alheia.

Quando se trata da vida,
atiçamos o vento e produzimos a chuva,
acalmamos as tempestades
e trazemos com nossas próprias
mãos o sol de volta.

É bastante um olhar,
um grande coração,
um gesto de compreensão
e todas as tempestades da
vida se tornarão suaves
ventos de primavera.

E a colheita de flores,
juntamente com a dos frutos,
é a mais abençoada de todas.

AUTORIA: Letícia Thompson
* * * * *
Texto lido no programa
"Madrugada Viva Liberdade FM"
no quadro
"Momento de Reflexão"
no dia 16 de Outubro 2.010.

Ame como se o outro fosse você

Se o amor fosse bastante em cada coração,
todos os males do mundo acabariam.
Cada um olharia o outro como
se estivesse se olhando no espelho
e teria tanta compreensão e compaixão
como se estivesse agindo por si mesmo.

As asperezas da vida tornam as pessoas duras,
amargas.
E o pior é que nem sempre elas
querem se livrar dessa carga que
as tornam com o andar pesado e a visão
do futuro vaga e obscura.

Há pessoas que temos dificuldade em amar.
Difícil admitir,
pois fomos feitos e criados para
amar o próximo sem
querer saber o que se esconde
por detrás de seu passado e o
que vai na sua alma.

Cada um tem sua história,
seus espinhos e sua cruz.
Cada um também tem sua beleza,
talvez apagada por acontecimentos,
envelhecida por esperas que
nunca tiveram fim e amargas
pelo fel que a vida derrama
vez ou outra.

Os altos e baixos da vida
existem para todo mundo.
Mas é quase sempre,
para um e para outro,
os baixos que marcam mais,
os que definem a trajetória,
marcam a vida inteira.

E quando olhamos para uma
pessoa assim cheia de cicatrizes,
como rosas secas e sem perfume,
a rejeitamos porque não
queremos ficar iguais a ela.

Portanto...
uma auto-análise poderia
revelar o quanto de maneira
surpreendente nos tornamos
iguais às pessoas que rejeitamos
exatamente por recolhermos no
nosso coração os mesmos
sentimentos de amargura,
desafeto, rejeição.

Ame cada pessoa como
se para você ela estivesse
acabando de nascer e seu coração
não estivesse cheio de
pré-julgamentos.

Ame como se passassem
uma borracha sobre seus erros
e conseguissem ver através
de olhos de amor,
apenas o bonito que há
dentro de você.

Ame como quem ama aquela
flor que atravessou sol e
chuva e sobreviveu,
apesar de tudo.

Ame como você
gostaria de ser amado.

Ame como ama Deus.

AUTORIA: Letícia Thompson
* * * * *
Texto lido no programa
"Madrugada Viva Liberdade FM"
no quadro
"Momento de Reflexão"
no dia 15 de Outubro de 2.010.

SAIBA DISTINGUIR ENTRE, O QUE VOCÊ PODE CONTROLAR E O QUE NÃO PODE

A felicidade e a liberdade começam
com a clara compreensão
de um princípio :
algumas coisas estão sob nosso
controle e outras não estão.

Só depois de aceitar esta
regra fundamental e aprender
a distinguir entre o que
podemos e o que não podemos
controlar é que a tranquilidade
interior e a eficácia
exterior tornam-se possíveis.

Sob nosso controle estão
as nossas opiniões, aspirações,
desejos e as coisas
que nos causam repulsa
ou nos desagradam.

Essas áreas são justificadamente
da nossa conta porque estão
sujeitas à nossa influência direta.

Temos sempre
a possibilidade de escolha
quando se trata do conteúdo
e da natureza de
nossa vida interior.

Fora de nosso controle,
entretanto estão as coisas
como o tipo de corpo que temos,
se nascemos ricos ou
se tiramos a sorte grande
e enriquecemos de repente,
a maneira como somos vistos
pelos outros ou qual
é a nossa posição na sociedade.

Devemos lembrar que estas
coisas são externas e,
portanto, não dependem de nós.

Tentar controlar ou mudar
o que não podemos só resulta em
aflição e angústia.

Lembre-se :
as coisas sob nosso poder
estão naturalmente à nossa disposição,
livres de qualquer restrição
ou impedimento.

As que não estão,
porém, são frágeis,
sujeitas a dependência ou
determinadas pelos caprichos
ou ações dos outros.

Lembre-se também do seguinte:
se você achar que tem domínio
total sobre as coisas que
estão naturalmente fora
de seu controle,
ou se tentar assumir as
questões de outros como
se fossem suas,
sua busca será distorcida
e você se tornará uma
pessoa frustrada,
ansiosa e com tendência
para criticar os outros.

Nota:
Trecho extraído do Livro " A ARTE DE VIVER"
Epicteto
Editora Sextante
página 14

Transcrição por Vera Mussi
Ensinamentos de Epicteto
(Nº 01)
* * * * *
Texto lido no programa
"Madrugada Viva Liberdade FM"
no quadro
"Momento de Reflexão"
no dia 14 de Outubro de 2.010.

GRANDE HOMEM, CORAÇÃO DE CRIANÇA

"Grande Homem é aquele que não
perdeu o Coração de Criança"

Todo mundo carrega dentro de si uma criança.
E todo mundo aprende a reprimi-la para ser adulto.
Crescemos e "temos" que ser sérios.
Quantas vezes você já não ouviu alguém dizer:
"deixe de criancice!"?
E desde quando precisamos deixar
de ser crianças?

Ria de você mesmo,
seja "ridículo",
brinque na chuva,
de fazer castelos na areia,
de fazer castelos no ar.

Sonhe,
faça bagunça no meio da rua,
cante na hora que der vontade,
converse com você mesmo como
se estivesse conversando com
um amiguinho,
assista desenho animado e veja a sua vida
como se ela fosse um desenho animado,
brinque com uma criança...
como uma criança...

Fique feliz simplesmente por ficar,
sorria e ria sem motivo,
ria de você, dos seus dramas,
do ridículo das situações...

E acredite na pureza do ser humano...
na pureza de criança que
talvez esteja escondida,
mas que existe em cada
um de nós.

Para alguns você vai parecer louco,
bobo ou infantil...
mostre a língua para esses
"alguns" e diga,
como uma criança:
"sou bobo mas sou feliz!"

Esses "alguns"
com certeza têm uma
criança maluquinha,
doida pra fazer
bagunça também.

A vida já é muito complicada
para vivermos sérios
e carrancudos.

E isso tudo não é
deixar de viver com seriedade...
é viver com a leveza de uma criança
e obrigações de adulto.

Fica muito mais fácil
viver assim.

Então,
coloque uma panela na cabeça
e solte o menino(a) maluquinho(a)
que existe dentro de você!
Só não vale subir no muro e achar
que sabe voar,
né?

FELIZ DIA DAS CRIANÇAS!

Que Nossa Senhora da Aparecida
e seu Anjo da Guarda,
estejam sempre presente,
protegendo de todos os
males dessa vida.

AUTORIA: Não Encontrado
* * * * *
Se você souber de quem é a autoria
deste texto peço a gentileza de me
comunicar por email para que seja
dado o devido crédito.
mensagem@toninholima.com.br
* * * * *
Texto lido no programa
"Madrugada Viva Liberdade FM"
no quadro
"Momento de Reflexão"
no dia 12 de Outubro de 2.010.

sábado, 2 de outubro de 2010

Se dê uma chance...

Quando a tristeza toma conta,
quando chega sem aviso,
e nos tira da frente dos
olhos o que de belo temos para ver,
e nos rouba os sentimentos
e os sorrisos,
neste momento é chegada
a hora de sentar um pouco.

Sentar em um dos
tantos espaços da vida,
quietinho,
e muito lentamente,
trilhar o caminho ao
início da mágoa,
à fonte da tristeza.

E chegando nela,
observar muito atentamente,
sentir com toda intensidade,
conhecer realmente
e encarar de frente a razão
desta mágoa.

E a partir deste
momento projetar a saída
para a VIDA,
para a paz novamente.

Porque lá chegando,
no centro desta tristeza,
você terá sempre
caminhos a escolher.

Você pode escolher
permanecer neste espaço
de infelicidade,
sentir sua vida se esgotando,
e carregar com você
pessoas que ama,
que te amam,
e precisam de sua ajuda
AINDA e SEMPRE.

E passará o que resta
de sua vida com uma
lágrima nos olhos e uma
grande e pesada porta
vedando seu coração.

Mas você pode perceber
que existe um caminho
mais difícil de iniciar,
mas muito mais fácil
de percorrer.

Você pode tentar se
erguer e dar o primeiro
passo para a PAZ.]

Porque sua tristeza
pode ser imensa,
mas com certeza você tem
por perto uma,
talvez até pequena,
fonte de felicidade.

Se dê uma chance
e se entregue à esta
pequena alegria,
deixe que um amigo
se aproxime de você,
receba o beijo carinhoso
de alguém que precisa te amar,
e aceite caminhar de
mãos dadas,
ainda que por pouco tempo.

E se além de imensa,
tua tristeza é irreparável,
sem chance alguma de sair
de uma vez de tua vida,
mesmo assim,
não desista.

Guarde em teu coração
o sentimento que esta
tristeza cria em você.

Não fuja disto.

Enfrente isto!!!

Você vai então perceber,
que seu coração é imenso,
como é grande este
nosso coração.
Porque mesmo com
aquela tão nossa conhecida
tristeza ocupando nele
seu espaço, ainda assim,
existe outro espaço infinito,
e quantos e quantos
momentos de felicidade
podem ainda ser
aninhados dentro dele.

E apesar de serem
"momentos" de felicidade,
de não serem eternos,
a lembrança desta
felicidade permanecerá
eternamente com você.

Valorize cada
uma destas lembranças.
Logo nos seus primeiros
passos em direção a um amigo,
você com certeza
vai receber um sorriso.

Guarde consigo!

Você quem sabe,
receberá um olhar afetuoso,
um afago no rosto,
um cheiro de flor,
um carinho de criança.

Guarde tudo isto em seu coração!!
Cada pedacinho de
felicidade te dá força e coragem
para mais um passo.

Porque a VIDA é assim,
ou você se deixa
escorregar fácil e
displicentemente pelas tristezas,
ou você constrói,
a cada dia e a cada minuto,
o SEU espaço quente
e aconchegante de FELICIDADE!!!

TEXTO: João José Marell
* * * * *
Texto lido no programa
"Madrugada Viva Liberdade FM"
no quadro
"Momento de Reflexão"
no dia 09 de Outubro 2.010.

Paredes da vida

Já visitei muitas casas e orfanatos
que cuidam de pessoas especiais,
crianças e adultos com muitas dificuldades,
casos que é melhor nem descrever,
pois chocam,
e por isso entendo porque poucas pessoas
visitam e aceitam cuidar delas.

Mas na minha mémoria ficou viva uma pessoa,
um jovem que tinha um lençol na cabeça,
em forma de turbante, que depois descobri,
era uma proteção, pois ele tinha um distúrbio,
que o fazia bater a cabeça na parede o dia todo,
ele pouco dormia e no restante do dia
batia a cabeça sem parar...

No dia a dia, encontro pessoas "normais",
que praticamente agem assim como ele,
insistem em situações dolorosas,
em relacionamentos difíceis,
em empregos insuportáveis,
em futilidades que mais lembram paredes,
e seguem batendo a cabeça sem parar,
sem refletir nas possibilidades que se perdem,
nas renovações que a vida oferece,
novos amigos, novo amor, novo trabalho,
um novo dia todos os dias, que dependem
apenas da nossa determinação em mudar.

Examine-se!
passe a mão pela cabeça, pelo corpo,
e principalmente sinta o coração,
se a dor é sua vizinha constante,
mude tudo o que for possível,
pegue a menor bagagem possível
e faça a mudança necessária ainda hoje,
antes que a cabeça te arrebente,
antes que você acredite de verdade,
que nasceu para sofrer, ser infeliz,
e continue acertando a parede,
mude, por mais doloroso que seja,
a dor da mudança é passageira,
mas a dor da insistência é eterna.

Eu acredito em você

TEXTO: Paulo Roberto Gaefke
* * * * *
Texto lido no programa
"Madrugada Viva Liberdade FM"
no quadro
"Momento de Reflexão"
no dia 07 de Outubro de 2.010.

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Ano eleitoral: momento de reflexão

Reflita sobre o ano de 2006:
em quem você votou?
Lembra-se exatamente quais
os candidatos escolhidos para os
cargos de Presidente da
República e Governador?

Muito provavelmente sim.

E para o Poder Legislativo?
Quais foram os seus escolhidos
para os cargos de Deputado Federal,
Deputado Estadual e Senador?

É quase certo que você não se
lembra dessa escolha,
pois mais de 80% dos brasileiros
não sabem a resposta
para essa questão.

Amanhã, 03 de outubro de 2010
o processo se repete,
o que é fundamental num
regime democrático.

Vamos escolher o Presidente da República,
o Governador do Estado,
o Senador e os deputados
federais e estaduais.

O momento é de reflexão.

Chegou a hora de avaliarmos
os mandatos e votarmos.

Esse exercício deve priorizar
a razão e a capacidade de o
eleitor fazer uma análise profunda
de suas necessidades coletivas.

Tente fugir de algumas
armadilhas como:
promessas mirabolantes,
jogadas de marketing eleitoral,
ligação do candidato com questões
pouco úteis à política,
suspeitas e histórias estranhas.

Concentre-se na capacidade de
o candidato transformar em ação
aquilo que é necessário.

Para tanto,
não se esqueça de uma
questão fundamental:
seu voto é uma procuração.
Por meio dele você delega o seu
direito de administrar o patrimônio
público (nosso) aos representantes
que você mais confia.

Dessa forma,
essa relação precisa ser transparente,
e não termina quando você lê
a palavra FIM na urna eletrônica.

Cobre seus escolhidos,
e não se sinta derrotado em eleições.
Se outro político ganhou,
você tem o mesmo direito de fiscalizar,
exigir e reivindicar.

O bjetivo desta mensagem é
despertar em você,
eleitor,
o espírito participativo.

A democracia não exige
apenas a escolha,
mas a ação consciente.

Vamos discutir política sem
a defesa de posições partidárias
e preocupados com o fortalecimento
de nossa democracia.

Bom voto.

Que o seu voto seja capaz de transformar
as dificuldades do povo brasileiro
em políticas públicas condizentes
com nossas demandas.

AUTORIA: Humberto Dantas
* * * * *
Texto lido no programa
"Madrugada Viva Liberdade FM"
no quadro
"Momento de Reflexão"
no dia 02 de Outubro de 2.010.