sexta-feira, 29 de agosto de 2008

O preço do silêncio

Às vezes para não magoar os outros nos calamos.
Criamos assim relacionamentos superficiais,
onde cada um pensa que o outro está feliz.

Negamos a nós o direito de sermos
transparentes e ao outro de nos conhecer
transparentes e verdadeiros.

Da mesma forma outros agem conosco,
por medo de decepcionar-nos.

Nos enganamos e somos enganados.
É sinal de amadurecimento ou estar preparado
para ouvir o que não agrada,
aquilo com que não se concorda e difere da nossa
maneira de pensar ou de agir.

Consideramos sensíveis as pessoas às quais
devemos ter cautela para dizer certas coisas.
Mas...
não é a sensibilidade o sentir
o que vai dentro do outro e entendê-lo
como se entendesse a si?

As pessoas sensíveis entendem sim,
são as susceptíveis que não entendem.
O susceptível recebe as idéias alheias
como se fosse uma ofensa ao seu eu.

Porém,
por que um saberia de todas as coisas
e o outro não?
Por que um compreenderia tudo
e teria sempre
uma visão clara das coisas da vida?
Por que a razão se colocaria sempre de um lado,
deixando outros do lado errado?

Somos seres especiais sim,
mas que aprendem a cada dia.
É importante valorizar-se,
mas aprender também a diferença entre
o orgulho e a humildade.

O Mestre de todos os mestres sabia tudo e
curvou-se para lavar os pés dos seus discípulos.
Não somos maiores que Ele a ponto de
não poder nos curvar vez ou outra diante
do que nos contradiz.

Às vezes nos calamos para não magoar outros sim.
Às vezes recebemos observações como
afrontas ao nosso ego.
Incitamos as pessoas a não serem francas,
porque negamos nossa franqueza em ouvir e falar.
Mas quem ama,
quem ama verdadeiramente,
ouve, reflete, dá o braço a torcer,
queda-se,
refaz e constrói relacionamentos
reais e límpidos.

Esse jamais estará sozinho...

TEXTO: Letícia Thompson
* * * * *
Texto lido no programa
"Madrugada Viva Liberdade FM"
no quadro
"Momento de Reflexão"
no dia 30 de Agosto de 2.008.

terça-feira, 26 de agosto de 2008

SINAIS DE DEUS

Conta-se que um velho árabe analfabeto
orava com tanto fervor e com tanto Carinho,
cada noite, que certa vez,
o rico chefe de uma grande caravana chamou-o
à sua presença e lhe perguntou :

- Por que oras com tanta fé ?
Como sabes que DEUS existe,
quando nem ao menos
Sabes ler?
O crente fiel respondeu :
Grande senhor,
conheço a existência de Nosso Pai
Celeste pelos sinais dele.

- Como assim ?
Indagou o chefe, admirado.
O servo humilde explicou :
Quando o senhor recebe uma carta de
pessoa ausente,
como reconhece quem a Escreveu ?
- Pela letra , - respondeu.

Quando o senhor recebe uma jóia,
como é que se informa sobre o autor dela ?
- Pela marca do ourives.

O servo sorriu e acrescentou :
Quando ouves passos de animais,
ao redor da tenda, como sabes,
depois, se foi um Carneiro,
um cavalo, um boi ?
- Pelos rastros.
- respondeu o chefe, surpreendido.

Então,
o velho crente convidou-o para
fora da barraca e,
mostrando-lhe o céu,
Onde a lua brilhava,
cercada por multidões de estrelas,
exclamou, respeitoso :
- Senhor, aqueles sinais lá em cima,
não podem ser de homens !

Neste momento,
o orgulhoso caravaneiro de olhos lacrimosos,
ajoelhou-se na areia ...
E começou a orar também.

DEUS,
mesmo sendo invisível aos nossos olhos,
deixa-nos sinais em todos os Lugares:
na manhã que nasce calma,
no dia que transcorre com o calor do sol
ou com a chuva que molha a relva ...

ELE deixa sinais quando alguém se lembra de você,
quando alguém te considera importante,
quando alguém lembra de te
enviar uma mensagem e diz a você o que
Melhor poderia dizer :
Fique na Paz do Senhor, porque
Ela é infinita !

TEXTO: Do livro Pai nosso ditado pelo espírito Meimei psicografado por Francisco Câdido Xavier
* * * * *
Texto lido no programa
"Madrugada Viva Liberdade FM"
no quadro
"Momento de Reflexão"
no dia 27 de Agosto de 2.008.

terça-feira, 19 de agosto de 2008

PERGUNTAS E RESPOSTAS...

Há dois tipos de perguntas.
Uma que precisa ser respondida e
outra precisa ser vivida.

Há perguntas práticas e perguntas existenciais.
Perguntas práticas se contextualizam
no horizonte da objetividade.
Perguntas existenciais não provocam
respostas imediatas.
Viver é uma forma de respondê-las.
É maravilhoso conviver com elas...

O que torna uma pessoa especial é sua
capacidade de viver intensamente por uma causa.
São raras nos dias de hoje.
Vive-se muito pela metade ultimamente.
Pessoas que se empenham na realização
de seus sonhos não se conformam
com a uniformidade.
Assumem o preço de serem diferentes e,
geralmente, nadam contra a corrente.
Isso requer coragem.
Coragem de ser, não simplesmente de fazer.
Ser é mais difícil do que fazer, afinal,
é no ser que o fazer encontra o seu sustento.
Faço a partir do que sou.
Não, o contrário.

Tenho encontrado muita gente perdida
no muito fazer.
Gente que perdeu totalmente o referencial
existencial de suas vidas.
Gente que se empenhou e investiu na
vida só para um dia poder fazer alguma coisa.
Estudou, lutou, aprofundou,
com o desejo de um dia poder
desempenhar uma função.

É claro que o fazer também realiza,
faz feliz,
mas não podemos negar que há
uma realidade que precede
o mundo da prática.

O significado que sou.
No silêncio do coração,
há um lugar que não sabe fazer nada.
É lá que nos descobrimos em nosso primeiro significado.
É ele também o nosso lado mais sedutor.
É ele que faz com que as pessoas se apaixonem por nós.
É justamente por isso que ele tem que ser bem descoberto,
de maneira que, quando façamos o
que quer que seja,
tudo o que fizermos tenha as marcas do que somos.

É simples.
Medicina muita gente faz,
mas é no exercício da profissão que cada
pessoa se mostra em sua intimidade mais profunda.
Aí mora a diferença.
Muitos Fazem a mesma faculdade,
mas se encontram de maneira diferente
com o conhecimento que recebem.
Realizo tudo a partir de minha particularidade.
Sou único,
ainda que imitado por muitos.

Eis a questão
Essas coisas me fazem pensar
na beleza e na responsabilidade que
essa diferença nos traz.
Ela nos coloca diante da vida como
um acontecimento que merece ser sorvido
com toda a intensidade do nosso coração.

Agir é um desdobramento do meu ser.
Eu sou,
antes de fazer qualquer coisa.
Há em mim uma realidade que me faz significar,
mesmo que um dia eu fique totalmente
incapacitado de realizar qualquer ação.
Eu sou,
mesmo na incapacidade dos movimentos
e na impossibilidade dos gestos.

Nem sempre podemos compreender tudo isso,
por mais simples que seja.
Vivemos na era da utilidade,
onde tudo tem que estar conectado a uma função prática,
onde o fazer prevalece sobre o ser.
O que você faz na vida?
Esta é a pergunta.
O que você é na vida?
Continua sendo a pergunta.
Mas a primeira é mais fácil responder.

Dizer o que se faz não dá tanto trabalho
quanto dizer o que se é.
O que se faz é simples de se dizer e
as palavras nos ajudam,
mas dizer o que se é,
não é tão simples assim, e por vezes,
as palavras nem sempre nos socorrem.

Sou muito mais do que posso dizer sobre mim mesmo.
Você também.
Por isso não gostaria que nossa
conversa terminasse com uma pergunta pragmática,
dessas que se escutam em todas as
esquinas que costumamos freqüentar.
Opto por uma pergunta que não espera
por resposta imediata,
tão pouco pelo desconcerto da fala.
Só lhe peço que honestamente debruce-se sobre ela:
Quem é você?

TEXTO: Padre Fábio de Melo, SCJ.
* * * * *
Texto lido no programa
"Madrugada Viva Liberdade FM"
no quadro
"Momento de Reflexão"
no dia 20 de Agosto de 2.008.

terça-feira, 12 de agosto de 2008

Vencendo com Coragem

"E ordenou o Senhor a Josué,
filho de Num, dizendo:
sê forte e corajoso..."
* Deuteronômio 31:23 *

A vida é uma estrada que precisa
ser trilhada com coragem.

Seja qual for a nossa decisão durante esta caminhada,
sempre haverá aqueles que a julgarão errada.
E à medida que os problemas apareçam
e as lutas se tornem árduas,
ficaremos tentados a acreditar que nossos
críticos estavam certos.

Para que as vitórias venham,
homens e mulheres precisam de muita paz e,
para alcançá-la,
necessitarão de muita coragem.

Muitos são os nossos sonhos.
Passamos a vida buscando realizá-los.
Traçamos planos e estratégias e,
como atletas em uma maratona,
corremos na expectativa de nossas conquistas.
Alcança-los é fácil?
Quase sempre não.
Devemos desistir diante das dificuldades?
Claro que não.

A Palavra de Deus nos assegura que
somos mais do que vencedores e,
confiantes nas Suas promessas,
como soldados valentes,
seguiremos em frente com determinação
e perseverança.

O mundo nos oferecerá muitos atalhos
para que cheguemos mais rapidamente
às nossas conquistas.
As tentações virão e,
mais uma vez,
necessitaremos de coragem
para resisti-las.

Se ao redor todos são desonestos,
como santos do Senhor devemos ter
a coragem de não enveredar pelo
caminho da desonestidade,
mesmo que isso nos custe um tempo
maior para chegar aos nossos sonhos.

Se os amigos nos apontam caminhos
injustos que nos facilitem a jornada,
tenhamos a coragem de ignorá-los,
mesmo que os nossos caminhos
de justiça sejam mais longos.

Se a arrogância e a prepotência forem
primordiais para que vençamos etapas,
com coragem diremos "não" e,
mesmo demorando um pouco mais,
com amor chegaremos lá,
com a cabeça erguida e sendo abraçados
pelo Senhor que nos dará os parabéns
pela firmeza e fidelidade.

Assim como o Senhor falou para Josué,
fala também para nós:
"Sê forte e corajoso."

TEXTO: Paulo Roberto Barbosa
* * * * *
Texto lido no programa
"Madrugada Viva Liberdade FM"
no quadro
"Momento de Reflexão"
no dia 13 de Agosto de 2.008.

sábado, 9 de agosto de 2008

MEU PAI

Existem pessoas que precisariam
sobreviver além da eternidade
e não deveriam obedecer a regra
de que a vida é uma passagem.
Poderiam ser como o sol, a lua,
o mar que nunca desaparecem
ou mudam de lugar.

Existem pessoas que possuem a alma tão pura,
tão grande e impregnada de tanta ternura
que não poderiam jamais sofrer ou morrer
para evitar que a vida de muitos viesse a escurecer.

Existem pessoas com cheiro de orvalho
e que não são simples caminhos,
são grandes atalhos.
Existem pessoas com um brilho extraordinário,
pessoas semelhantes as primaveras,
com flores coloridas e muito belas.

Existem pessoas que, apesar da aparência
de um cristal,
possuem uma imensa força espiritual
e uma garra sobrenatural.

Existem pessoas que são dia
porque possuem uma ousadia
em se tratando de viver
e nunca se parecerão com a noite
que insiste em escurecer.

Existem pessoas que são como um
presente que nunca
terminamos de desembrulhar deixando,
assim, na nossa mente
um toque de surpresa que jamais
vai acabar.

Existem pessoas infinitamente diferentes,
existe nesse mundo muita gente
que deveria se espelhar
no tipo de pessoa que acabei
de mencionar.

Mas...
pessoas especiais não nascem toda hora,
não vivem e simplesmente vão embora,
elas nos marcam de forma tão poderosa,
que a vida, mesmo depois delas,
ainda é saborosa.

Existe na minha vida uma pessoa especial
apesar do seu jeito parecer tão normal.
Essa pessoa é meu depósito de carinho,
é o meu herói, é o meu velhinho,
é o Pai que Deus colocou no meu caminho.

Feliz Dia Dos Pais!!!

TEXTO: Silvana Duboc
* * * * *
Texto lido no programa
"Madrugada Viva Liberdade FM"
no quadro
"Momento de Reflexão"
no dia 09 de Agosto de 2.008.