domingo, 31 de maio de 2009

E s p i n h o s

Vemos o mundo sempre de maneira
plana e Deus vê o mundo por um todo.

Para o que não entendemos,
procuramos explicação para que
haja em nós satisfação.

E nesse olhar torto que temos da vida,
nos enganamos quando nos
colocamos de lado,
separamos as pessoas como
abençoadas ou não,
merecedoras ou não de felicidade.

Uma parte mínima das pessoas
não aceita esse destino todo feito
e tenta mudar a situação.
Porém uma grande parte baixa a cabeça,
numa atitude de resignação.

Deus não coloca as pessoas
nas mesmas categorias que nós.
Pessoas abençoadas para Ele
não são as que nunca ficam doentes,
nunca enfrentam provações,
nunca se sentem
rejeitadas ou culpadas
e parecem ter uma vida tão
perfeita que causam inveja.

Jó perdeu tudo e foi abençoado!!!

O apóstolo Paulo foi um homem abençoado.
Deixou palavras,
combateu o bom combate e até
os dias de hoje nós somos
beneficiados com seus ensinamentos.

Portanto,
ele fala de um espinho,
de algo que o incomodava e do
qual queria se livrar.
Quando ele se foi,
carregou com ele esse espinho.
O importante,
como nos ensina,
é que apesar de tudo guardou a fé.

Nós temos também nossos espinhos,
cada um com o seu ou seus,
que servem apenas para nos
lembrar do quanto somos humanos.

Podemos ter muito mais
certeza do amor das pessoas que
nos amam apesar das nossas
imperfeições que do amor daquelas
que nos amam pelas nossas qualidades.

As primeiras vêem as qualidades
e aceitam as diferenças,
as outras correm o risco de se
decepcionar dia ou outro.

Mas Deus,
esse mesmo Deus que amou Paulo,
nos ama incondicionalmente
e nos abençoa.
Ele nos ama se estamos doentes,
se estamos carentes,
nos sentimos sós e até se o
desespero quer ficar maior
que nossas forças.

Ele nos ama independente
da nossa estatura,
condição física ou personalidade.

Não podemos ver nossos
espinhos como maldições,
mas como algo que não
impede nossa beleza,
não impede que sejamos inteiros,
sorridentes e felizes e alguma
coisa boa e positiva na
vida de alguém.

Ame-se o bastante para acreditar
que você pode ser amado
apesar de ser quem é,
de ter o que tem.

Os espinhos não deformam as rosas,
eles as tornam ainda mais belas,
misteriosas e fascinantes.

Cuide-se e nunca desista da felicidade,
não veja o mal como uma fatalidade,
combata-o com amor e se ele ainda ficar,
ame-se ainda e assim mesmo,
porque Deus te ama assim,
com seus defeitos, suas doenças,
seu sentimento de abandono.

Saber que somos amados
renova nossas forças,
levanta nosso ânimo,
nos abre portas e caminhos.

Somos todos bênçãos quando
damos a mão,
compartilhamos do pouco
que temos e do muito que
desejamos e nos vemos
de igual para igual.

Somos todos abençoados,
mesmo se nosso caminho
é feito de pequenas pedras
que machucam nossos pés.

O importante mesmo é que elas
não nos impeçam de caminhar.

TEXTO: Letícia Thompson
* * * * *
Texto lido no programa
"Madrugada Viva Liberdade FM"
no quadro
"Momento de Reflexão"
no dia 30 de Maio de 2.009.

Nenhum comentário: