quinta-feira, 13 de agosto de 2009

DIA D...


Em algum momento da vida,
você já desperdiçou uma
oportunidade que se apresentou
como a chance da sua vida?

Talvez,
motivado por algum
acontecimento no passado,
preferiu não "arriscar-se" ou melhor,
não tentar.

Acontece com muitas pessoas.
Comigo já aconteceu.
Medo de não conseguir.
Medo de assumir um "Compromisso"
maior que me julgava
capaz de realizar.

Não se preocupe.
Todos nós somos passíveis de falhas,
de medos.
Mas também somos dotados
de recursos naturais,
espirituais e intelectuais,
que nos tornam capazes de
superar esses detalhes,
quando identificados e aceitos.

Digo: aceitos.
Por que só podemos mudar uma
situação se a aceitarmos
como algo que nos incomoda,
nos impede de crescer e de
nos desenvolver.

Creio que ilustrando esse raciocínio
com uma historinha,
vai ficar mais fácil a compreensão.
Não é mesmo?

Certa ocasião,
um menino que tinha
adoração por patins,
pediu, pediu,
tanto fez que um belo dia,
ele conseguiu seu objeto de desejo.

Ficou muito feliz com o par de patins,
não desgrudava dele um minuto sequer,
era dia e noite,
o menino e os patins.

Mas aconteceu algo perturbador.
No primeiro tombo,
no primeiro arranhão,
ele ficou com medo de estragar
os patins e resolveu guardá-los.

Os patins ainda eram a coisa
que ele mais queria,
o que ele mais gostava de fazer
era estar com eles.
Mas ele preferiu apenas ficar
olhando e não usar mais
para não estragar.

O tempo foi passando e os
patins guardados.
Passaram-se anos e o garoto
esqueceu os patins.

Então,
em um belo dia, ele se lembra,
sente saudades
e resolve recuperar o tempo perdido.
Vai até o armário,
revira tudo e finalmente
encontra os patins.
Corre para calçá-los e aí tem
uma terrível surpresa.
Os patins não cabem mais no seu pé.
O menino,
acometido de profunda tristeza,
chora e lamenta os anos perdidos
e que não vai mais poder recuperar.

Poderia sim comprar outro par,
mas nunca seriam iguais aqueles.

Assim como o menino da história,
são as pessoas.

Guardam sentimentos,
com medo de vivê-los,
de se machucar e depois,
quando resolvem retomar
este sentimento,
muitas vezes ele já passou de
sua melhor fase.
Aqueles patins eram especiais
para o menino,
eram únicos,
por mais que comprasse outro
não iria ser igual.

Por isso,
devemos enfrentar cada oportunidade,
cada desafio como algo único.

Que tal buscar lá no íntimo de cada
um de nos a fagulha de coragem,
determinação, força de vontade,
para enfrentar os nossos medos,
superá-lo e pelo menos tentar.

Existem momentos que a chance aparece,
se não a agarrarmos,
ela vai embora e há uma grande
possibilidade dela não voltar mais.

Quando realmente tentarmos,
pode ser que não haja mais tempo.

Então, não guarde os patins,
apenas para não estragá-los.
Mais tarde podem não servir pra
mais nada a não ser lembranças.

Se fizermos isso,
será como se deixássemos para
ser feliz em outra Hora.

Pense a respeito.
E aproveite esse momento para
transformar seu dia num Bom Dia,

HOJE.

* * * * *

OBS: Recebemos este texto sem autoria
e encontramos o mesmo nos links
http://mymindmanu.blogspot.com/2007_10_01_archive.html e
http://zecarlosmanzano.blogspot.com/2007_09_01_archive.html
com o nome "Em Algum Momento",
mas também sem autoria.
No link http://www.prahoje.com.br/india/2008_07_01_archive.html,
encontramos sem autoria e com o nome de "Uma Lição"...
Gostaríamos de dar os créditos merecidos
a quem o escreveu.
Caso você saiba e queira colaborar conosco,
fineza enviar um e-mail para
mensagem@toninholima.com.br.

Grato,

Toninho Lima
Radialista Liberdade FM
www.toninholima.com.br
* * * * *
Texto lido no programa
"Madrugada Viva Liberdade FM"
no quadro
"Momento de Reflexão"
no dia 14 de Agosto de 2.009.

Um comentário:

Anônimo disse...

Gostei muito e serviu muito para mim... Meus sincéros elogios para quem o escreveu... Bjiiim... SUZY...