segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

Você nasceu para ser vencedor ...

Incessantemente,
busque a sua identidade real,
isto é, descubra-se, para
o seu próprio bem.
Em qualquer circunstância,
mantenha-se você mesmo.

Não se apresente superior ao que é,
nem se subestime,
a ponto de parecer o que não seja.
Ser autêntico é forma de adquirir dignidade.

Quem hoje triunfa, começou a batalha antes.

Quem está combatendo, alcançará a vitória logo mais.

Você nasceu para ser vencedor.

Um vencedor é sempre parte da resposta.

Um perdedor é sempre parte de um problema.

Um vencedor sempre tem um programa.

Um perdedor sempre tem uma desculpa.

Um vencedor diz: Deixe-me ajudá-lo.

Um perdedor diz: Não é minha obrigação!

Um vencedor enxerga uma reposta para cada problema.

Um perdedor enxerga um problema para cada resposta.

Um vencedor diz: Pode ser difícil, mas é possível.

Um perdedor diz: Pode ser possível, mas é difícil.

Rudyard Kipling,
também criador do personagem Tarzan,
escreveu com
grande lucidez,
o poema que denominou Se...,
e diz o seguinte:

Se és capaz de manter a tua calma quando
todo mundo ao redor já a perdeu
e te culpa;

De crer em ti quando
estão todos duvidando e para esses,
no entanto,
achares uma desculpa;

Se és capaz de esperar sem te desesperares,
ou, enganado,
não mentir ao mentiroso;

Ou, sendo odiado, sempre do ódio te esquivares;

E não parecer bom demais, nem pretencioso.

Se és capaz de pensar - sem que a isso só te atires;

De sonhar - sem fazer dos sonhos teus senhores;

Se encontrando a derrota e o triunfo,
conseguires tratar da mesma forma
a esses dois impostores;

Se és capaz de sofrer a dor de ver mudadas
em armadilhas as verdades que
dissestes, e as coisas,
por que deste a vida, estraçalhadas, e
refazê-las com o bem pouco que te reste;

Se és capaz de arriscar numa única
parada tudo quanto ganhaste em toda a
tua vida e perder, e, ao perder,
sem nunca dizer nada, resignado,
tornar ao ponto de partida;

De forçar coração, nervos,
músculos,
tudo e dar seja o que for que neles ainda existe,
e a persistir assim quando,
exausto,
contudo resta a vontade em ti,
que ainda te ordena: Persiste!

Se és capaz de,
entre a plebe não te corromperes.
Entre reis, não perder a naturalidade, e
de amigos, quer bons, quer maus,
te defenderes;

Se a todos podes ser de alguma utilidade;
e se és capaz de dar segundo por segundo,
ao minuto fatal todo teu valor e brilho;

Tua é a Terra com tudo que existe no mundo,
e - o que ainda é muito mais
- és um homem, meu filho!

* * *

Seja amigo da verdade,
sem a transformar numa arma de
destruição ou de ofensa.

O vencedor comete erros e diz:
Eu estava errado.
O perdedor diz: Não foi
minha culpa.

Guie-se sempre
pela decisão que produza menor
soma de prejuízos a você
mesmo e ao seu próximo.

O vencedor transpõe o problema.
O perdedor dá voltas ao redor do
problema.

Você não é um observador distante da vida.

Você está na condição de membro do organismo universal,
investido de tarefas e responsabilidades,
de cujo desempenho resultarão a ordem e o
sucesso de muitas coisas.

O vencedor trabalha mais arduamente que
o perdedor e tem mais tempo.

O perdedor está sempre muito ocupado,
talvez evitando o fracasso...

Considere-se pessoa valiosa no conjunto da Criação,
tornando-se cada dia
mais atuante na obra do Pai e fazendo-a
melhor conhecida e mais considerada.

Você é herdeiro de Deus, e o Universo,
de alguma forma, também lhe pertence.

Cada dia vencido são vinte e quatro horas que você ganhou.

Autor: Rudyard Kipling, tradução de Guilherme de Almeida, do livro Um presente
especial, de Roger Patrón Luján, ed. Aquariana.

* * * * *
Texto lido no programa
"Madrugada Viva Liberdade FM"
no quadro
"Momento de Reflexão", pelo Radialista
Anderson Fonseca,
no dia 12 de Fevereiro de 2.010.

Nenhum comentário: