domingo, 21 de março de 2010

As dores de cada um

Eu gostaria de ter o que te dizer,
gostaria muito de consolar a sua dor,
de ter a palavra certa que
te reerguesse,
que te mostrasse tudo o que os
meus olhos ainda vêem,
mas a palavra foge,
a dor se mostra mais forte,
e nada,
absolutamente nada do que eu diga
pode te consolar.

Existem dores que são muito intimas,
particulares mesmo,
e que precisamos extravasar ao
nosso modo
alguns se escondem no choro compulsivo,
lavam a alma,
se derramam no pranto...
Outros no entanto,
se fecham em silêncio,
não querem ver,
nem ouvir ninguém,
e esperam uma resposta
não sabem de onde...

Infelizmente,
existem os que não reagem na hora,
não querem acreditar no que aconteceu,
e vão andando como se fossem zumbis,
se alguém tentar comentar,
se esquivam,
e só depois de algum tempo,
quando percebem o vazio,
a ausência e a solidão,
se deixam levar pela dor,
e essa é a face mais dolorosa da dor.

Para todos os que passam pela dor,
o meu respeito solidário,
a minha prece silenciosa,
rogando ao Pai Criador,
que ampare o coração vazio,
que os dias sejam a pomada cicatrizante,
que fecha a ferida,
e que a marca que reste desse período,
seja a boa lembrança dos
bons momentos,
secando para sempre
a ferida da dor,
que ainda não tem remédio.

Eu acredito em você

TEXTO: Paulo Roberto Gaefke
* * * * *
Texto lido no programa
"Madrugada Viva Liberdade FM"
no quadro
"Momento de Reflexão"
no dia 23 de Março de 2.010.

Nenhum comentário: