segunda-feira, 19 de abril de 2010

Chacoalhão

A lamentação é a
"oração de louvor"
ao diabo,
ou as forças do Mal,
como queira.

Quem permanece
na reclamação fácil,
só vê a sua vida e a sua
situação piorar.
Pior,
parece que os
"lamurientos",
vivem para se reunir e
disputar quem está mais
"desgraçado".

Um diz:
- Estou devendo mais de 10 mil reais,
já não durmo! O outro já emenda:
- Hum, isso não é nada,
eu devo mais de 50 mil,
já nem acordo.
Outra reclama que o marido
bebe muito:
- meu marido bebe mais de
3 doses de pinga por dia.
A outra já querendo "aparecer",
replica:
- O meu toma 1 litro só no
café da manhã...

É um festival de
"desgraça"
para todos os lados,
e as pessoas vão se prendendo
na teia de aranha que é a
reclamação fácil.

A reclamação é a porta
de entrada para uma vida
de insucesso,
de fracassos e muita dor.

Ora,
aquele que desperta para a vida,
sabe que se ficar de braços cruzados,
nem o ônibus vai parar para ele.

Até para
pegar um ônibus é preciso
"dar sinal",
levantar o braço,
fazer um esforço.

Pois eu te convido a levantar
o braço e selar a boca para
as coisas ruins.

Faça um contraponto,
seja luz, seja esperança,
seja batalha viva.

Tome posse da sua vida,
tome posse do que lhe aflige.

Se o terreno do vizinho está
vazio e servindo como lixão,
não ligue para a Prefeitura
para denunciar,
antes,
ligue para o vizinho e peça
licença para plantar flores,
criar uma pequena horta,
até ele resolver construir.

Convide alguns vizinhos dispostos
e crie a horta comunitária,
o jardim das belezas,
e você vai ver,
onde alguém toma posse de algo,
as pessoas respeitam,
não jogam mais lixo.

Então,
tome posse de você,
diante dos problemas
(quem não os tem?),
seja prático,
objetivo e veja o lado bom
de cada coisa.

O diabético,
deve dizer pela manhã!
- Graças a Deus,
ela está sob controle!

O endividado deve agradecer
por não ter feito nenhuma
nova dívida.

O parente do "viciado",
deve continuar buscando ajuda
incessantemente,
amorosamente,
mas sem deixar de viver
a sua vida.

O que perdeu
um ente querido deve
"viver o luto",
mas não por 10, 15, 20
anos ou mais.
Tudo tem seu tempo
debaixo do sol.

Fazer-se de vítima,
de coitadinho que não entende
porque é
"tão sofrida a sua vida",
não ajuda em nada,
pelo contrário,
só prejudica.

Tome posse da sua vida,
do seu falar, da sua alegria,
das tristezas, das certezas,
das emoções,
dos desejos reprimidos,
do gosto amargo e do doce
que ficou na boca.

Junte tudo,
misture e levante o braço:
dê sinal para o ônibus da vida
que passa todos os dias na
porta da sua casa,
e as vezes,
você nem vê.

É hora de pegar
a condução para a felicidade,
e você sabe,
"sem reclamar,
o ponto chega
bem mais depressa."

Tome posse de você!

TEXTO: Paulo Roberto Gaefke
* * * * *
Texto lido no programa
"Madrugada Viva Liberdade FM"
no quadro
"Momento de Reflexão"
no dia 20 de Abril de 2.010.

Nenhum comentário: