segunda-feira, 12 de abril de 2010

Quanto você vale?

Peça para um
publicitário descrever um
botão de camisa,
você ficará
deslumbrado com tantas
funcionalidades que ele
vai achar para
o botão e vai até mudar o
seu conceito sobre o
"pobre" botãozinho.

Peça para uma
pessoa apaixonada
descrever a pessoa amada,
aquela pessoa bem "feiazinha"
que você conhece
desde a infância e vai
até pensar que ele está falando
de outra pessoa.

O apaixonado enche
a descrição de delicadezas,
doçura e gentilezas,
transformando a fera
em bela em instantes.

Peça para o poeta
descrever o sol e a lua,
e você vai se encantar
pelos poderes
apaixonantes da lua,
pela beleza do sol
que irradia seus raios
como se fossem gotas
do milagre
divino no arrebalde da
tarde quente
onde o amor convida
os apaixonados
para viver a vida
intensamente...

Peça para
um economista falar da
economia mundial e
tome uma lição
de números e mercados,
bolsas e câmbios oscilantes,
inflação e mercados emergentes,
e se não sair de perto,
vai acreditar que em breve teremos
a maior recessão da história e que
a China é o melhor lugar do mundo
para se viver.

Agora,
peça para uma pessoa desanimada
ou depressiva falar da vida, do sol,
da lua, dos botões,
das rosas e do amor para você ver.
Pegue um banquinho e um lenço
e sente-se para chorar.
É só reclamação, frustração, dores,
misérias e desconfiança geral.
Você sente a energia te contaminando,
vai fazendo mal,
vai te deixando sem forças,
porque os desanimados,
os reclamões e depressivos tem o poder
"vampiresco" de sugar energias
do bem e transformar em medo,
e o medo paralisa as pessoas de tal forma
que fica difícil até o mais simples pensar.

E você?
Como é que você
descreve a sua vida?
Quem é você para
você mesmo?
Como seria um comercial
da sua vida?
Como você
venderia o produto
"você"?
Você é barato,
tem custo acessível ou
é daquelas figuras caras,
daquelas que não tem
tempo para perder com
a tristeza e com o passado?
Você tem 1001 utilidades?
Alias,
você vive em
que século mesmo?

São os teus
olhos que refletem o que
vai na sua alma,
e o que vai na sua
alma se reflete na
qualidade de vida que
você leva.

É o seu trabalho que
representa o seu talento,
ou não.

Por isso,
não tem outro jeito,
seja o melhor
divulgador de você mesmo,
valorize-se,
esteja sempre pronto
para dar o seu melhor,
com seu melhor sorriso,
com sua melhor roupa,
com seu melhor sentimento,
com suas melhores intenções,
com sua gentileza sempre pronta
para entrar em ação.

Seja OMO, BRASTEMP,
Lux de Luxo,
e se for chocolate,
que seja logo Godiva,
suíço e caro,
porque gente especial
igual a você não
existe em nenhum mercado,
e tem que valer sempre mais.

VALORIZE-SE!,
não importa o que você faz,
importa sim como você faz,
isso sim, faz toda a diferença.

Eu acredito em você!

TEXTO: Paulo Roberto Gaefke

* * * * *
Texto lido no programa
"Madrugada Viva Liberdade FM"
no quadro
"Momento de Reflexão"
no dia 16 de Abril de 2.010.

Nenhum comentário: