segunda-feira, 3 de maio de 2010

Viver por procuração

Viver através dos outros é uma maneira
tanto de alcançar o inalcançável quanto de fugir
à eventuais conseqüências desse
mesmo tipo de viver.

Sonhamos não o sonho dos outros,
pois nada mais individual e pessoal que sonhos,
mas através do que outros possuem
ou aparentam ter.

Vemos a vida como quem assiste uma novela,
nos ligamos, nos emocionamos,
até sofremos e nos alegramos,
mas podemos a qualquer momento
desligar a televisão e fazer alguma outra coisa.

Nos envolvemos sem estarmos verdadeiramente dentro,
estamos sob a chuva cobertos por um guarda-chuva.
Assim também vemos o aperfeiçoamento pessoal.

Tão brilhante e aquecedor quanto a luz do sol,
a grandeza de certas almas chega até a nós,
porém vemos isso como se fôssemos simples
expectadores da vida.

É bonito ser bom,
é nobre ser humilde e ter em si o dom do perdão,
ou pelo menos a vontade maior de se chegar até lá,
mas nos sentimos incapazes de atingir tal grandeza,
como se o "ser bom" e o "
procurar construir um mundo melhor"
fosse dado apenas a certos privilegiados
dos quais nos excluímos.

Toda caminhada é um trabalho sobre si mesmo.
Se a mente não ordena as pernas não andam.
Pensar que a vida foi construída apenas para
alguns privilegiados e que podemos ficar de fora
é negar a nós mesmos a possibilidade
de chegar a um cimo.

O que é difícil para uns o é para outros,
talvez em escalas diferentes,
mas difícil ainda assim.

Por que o ser humano recusa-se terminantemente
a uma mudança radical,
quando essa mudança é para seu próprio bem?

Talvez por se sentir incapaz,
não merecedor ou simplesmente porque
a acomodação exige menos esforço.

Pedras preciosas são, a princípio,
grosseiras pedras que podem ser confundidas
com quaisquer outras.
O polimento requer quebra, corte,
mudança e tempo.

Entregar-mo-nos a esse polimento é recolher-mo-nos,
abandonarmos as idéias pré-concebidas
e abrir-mo-nos a algo novo,
desconhecido e temível ao mesmo tempo.

Preferimos sim sonhar através dos outros.
Vivemos sem vivermos e alcançamos nosso alvo
sem chegarmos a lugar nenhum.
Só que o mundo foi feito para todos nós.
Ele foi cuidadosamente e minuciosamente
sonhado e realizado e nós somos as privilegiadas
flores que o Senhor plantou.

Importa pouco se essa flor nasceu antes ou depois,
se é mais viva, maior ou mais resistente,
Deus dá a cada um de nós meios de sobrevivência
e a oportunidade de crescimento.

Ele nos dá não sonhos longíquos e impossíveis,
mas ferramentas e verdadeiras possibilidades.
O que vamos fazer de tudo isso depende
inteiramente de nós.

TEXTO: Letícia Thompson
* * * * *
Texto lido no programa
"Madrugada Viva Liberdade FM"
no quadro
"Momento de Reflexão"
no dia 08 de Maio de 2.010.

Nenhum comentário: