segunda-feira, 14 de junho de 2010

O valor que você dá...

Qual é o valor você está dando para as coisas,
pessoas e a si mesmo?
Será que não está colocando tempero
demais no prato?
Não está valorizando o que não tem valor,
e deixando de lado o que realmente importa?
Será que não está viajando demais
no trem bala da ilusão?
Não está como a pessoa doente
de ciúme que vê tudo ampliado?

Vez ou outra nós entramos em um
processo de hiper-sensibilidade,
e tudo começa a ficar exagerado em nossas
atitudes e principalmente no pensamento,
fonte de nossas alegrias e frustrações.
O depressivo por exemplo,
começa a se fechar em mundo que poucos podem
"penetrar"
porque atribui a si,
aos outros e ao mundo um sentido negativo,
causando uma apatia, uma falta de
energia tão grande que leva a total
ausência de sonhos e esperança.

Cada um é responsável pela qualidade
dos seus pensamentos e cada um reage de
uma maneira diferente diante da mesma situação,
por isso não podemos acusar
a situação ou tal pessoa pelo
momento que vivemos.
Tudo é fruto da nossa
maneira de encarar o problema,
que as vezes nem é problema,
é apenas uma
criação da nossa mente.

Por exemplo,
você está passeando em uma
rua e aquela pessoa muito especial,
um amigo ou parente que não vê faz
algum tempo,
passa ao seu lado em sentido
contrário e não te cumprimenta,
alias, parece que nem te viu.
O que você faz?

1- Fica com muita raiva e muito
sentido com a pessoa;

2- Imagina que o problema é com você,
ninguém te vê mesmo e chora;

3- Vai atrás da pessoa e a chama pelo nome,
afinal de contas ela pode nem
ter te reconhecido;

4- Vai embora na dúvida se aquela pessoa
era realmente quem você pensava.

Como você vê,
podemos enfrentar a situação
de diversas maneiras, de acordo
com o nosso estado de espírito,
do momento que estamos vivendo.
Por isso,
nos momentos de dor,
de solidão da alma,
de muitas lutas e dificuldades,e
evite ao máximo o pré-julgamento das coisas,
de si mesmo e das pessoas,
pois nossa visão costuma estar sempre
embaçada por lágrimas,
mesmo que não caiam,
as lágrimas ficam na alma,
embaraçando nossos sentidos e a maneira
de enxergarmos o mundo.

Transforme a alegria na sua arma
mais poderosa para combater a depressão,
a dor e o medo,
e alegria é o contentamento com tudo,
que pode ser muito
pouco, quem sabe o fato de estar vivo,
respirar, ter saúde, amar,
ter alguém para quem se voltar,
e esse alguém,
pode ser Jesus por exemplo,
o que te deixa com a certeza de que
nunca está sozinho.

Pense nisso!

Eu acredito em você.

TEXTO: Paulo Roberto Gaefke
* * * * *
Texto lido no programa
"Madrugada Viva Liberdade FM"
no quadro
"Momento de Reflexão"
no dia 19 de Junho de 2.010.

Nenhum comentário: