domingo, 18 de julho de 2010

Pensar...

"Quantas coisas estimamos
e valorizamos mais do que são?
Essas vãs imaginações,
essas avaliações desproporcionadas,
são as nuvens do erro que
se transformam nas tempestades
das perturbações."
(Francis Bacon)

Onde a sua imaginação e a força do
seu pensar tem te levado?
Será que vale tanto assim sofrer por
um amor que acabou?
Será que vale a pena insistir na mesma
maneira de viver,
não tendo coragem de rasgar um
diploma ou uma informação
que tem te levado ao buraco
do desespero?

Será verdadeira essa informação,
esse registro de dor?
O seu sofrimento existe mesmo ou
você o criou como punição?
O que você anda valorizando mais:
a sua vida ou a do outro?
o que anda valendo mais:
a roupa ou o corpo,
o pé ou o sapato que o adorna?
Será que você não sentou no
muro das lamentações
e está apenas julgando quem passa
lá embaixo?
Será que você é a vítima ou o réu?

"Cuidado com o valor que você
acrescenta aos fatos",
a vida passa numa seqüência
muito rápida,
e se você não encontrar tempo
para analisar,
para julgar com a razão o que chega
em cascata,
corre o risco de acumular experiências
dolorosas,
e chegar ao ponto de pensar que
para você
a felicidade não existe e não
vai existir,
que as coisas boas são para
os outros,
para você apenas os restos,
as migalhas,
transformando-se num "coitadinho",
e isso não é verdade,
é apenas mais uma armadilha,
uma arapuca do seu pensar,
que aceita as informações,
que não pesa os fatos que
pedem mudanças.

Mude...
tenha coragem de romper com o mundo,
se preciso for,
romper com as velhas idéias,
mesmo aos 50 ou 70 anos,
não importa,
a vida recomeça exatamente no ponto
que você marcar,
onde você decidir que vai selecionar melhor,
o que você pensa de você mesmo,
decidindo-se pela felicidade
de amar-se...
e esse é o início da verdadeira
plenitude da vida,
amar-se para poder se doar,
para ser inteiro e nunca mais,
metade...

Eu acredito em você

TEXTO: Paulo Roberto Gaefke
* * * * *
Texto lido no programa
"Madrugada Viva Liberdade FM"
no quadro
"Momento de Reflexão"
no dia 21 de Julho de 2.010.

Nenhum comentário: