segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Acomodação

Você já notou como as pessoas se acostumam
facilmente com certas situações
difíceis e se deixarem,
elas vão se adaptando a dor de tal
maneira que,
dificilmente conseguimos distinguir
o que é a pessoa,
quais são os sonhos dela e o porquê da
pessoa viver naquela situação extrema?

Responda rápido:
é mais fácil se adaptar ou se acomodar,
diante das coisas alegres e boas,
ou diante da dor e da tristeza?

Se for para responder sem pensar,
às pessoas sempre dirão que as coisas boas
e alegres são o "sonho de consumo"
de todos os seres humanos,
mas o que nós vemos por ai,
é o contrário,
são pessoas vivendo pelas ruas,
em casas de palafita,
favelas e guetos,
em condições que chegam a ser revoltantes
e mesmo assim,
encontram até motivações para permanecerem
nesses locais,
enfeitam o que é feio, se apegam na miséria.

No campo dos sentimentos,
a coisa fica pior ainda,
pois aqueles que vivem um
relacionamento estável por exemplo,
logo caem na rotina e começam
a viver por viver,
o companheiro ou companheira passa a
ser mais um "objeto" da sala de visitas,
aquela pessoa que "nos pertence",
a "coisa" com quem convivemos, mas,
se uma traição ou uma separação brusca acontece,
as pessoas se martirizam,
se apegam á dor como vela de barco e acabam
destruindo a própria vida...

Será que você não se acostumou ao seu trabalho
e não consegue mais ver a graça dos
primeiros dias?
Será que o seu amor de anos,
não virou brincadeira de papai e mamãe?
Será que as suas escolhas,
não estão sendo realizadas por impulso,
por sentimentalismo e até por "piedade"?
Será que não está faltando luta, desejo de vencer,
mais garra da sua parte?
Não está faltando prestar atenção nos detalhes,
ou quem sabe,
você não esteja sendo detalhista demais,
cobrando demais,
querendo coisas demais de
quem só pode oferecer o que já te oferece?

Permita-se questionar a vida,
os motivos que te levam para essa
ou aquela decisão,
o porque dos fatos,
a razão pela qual essa ou aquela situação
se apresenta,
onde você anda errando e onde deveria focar
seus pensamentos,
desejos e sonhos,
quem sabe você não descobre que está
valorizando demais o que não
merece tanta atenção,
e, por outro lado,
não está prestando atenção a quem te
pede apenas carinho.

Seja como for,
a vida não é um ônibus com destino fixo,
na verdade,
quem dirige é você,
e o roteiro é feito por suas escolhas,
até da estrada que vai seguir viagem.

TEXTO: Paulo Roberto Gaefke
* * * * *
Texto lido no programa
"Madrugada Viva Liberdade FM"
no quadro
"Momento de Reflexão"
no dia 22 de Setembro de 2.010.

Nenhum comentário: