sábado, 4 de setembro de 2010

A chave da felicidade

Muitas vezes quando
nos julgamos muito inteligentes,
estamos apenas no meio
do caminho que essa
palavra significa.

Ser inteligente não é saber
tudo ou ter a curiosidade
de tudo saber.
Ser inteligente é tirar
proveito das lições da vida,
olhar os acontecimentos
com objetividade e não
permitir que as emoções
dominem a situação.

Desistir na metade
do caminho só porque alguém
disse que seria difícil continuar,
não é uma atitude inteligente.
É importante continuar
e até com mais ânimo
e vontade de vencer
quando as dificuldades
apontarem na esquina.

Fazemos isso com as
crianças quando queremos
obter alguma coisa delas dizendo
"aposto que você não vai conseguir"
porque sabemos que
ela vai pegar aquilo como
um desafio e vai
se desdobrar em esforços.

E por que baixamos os braços,
nós, adultos,
conscientes e tão sábios?

Há quem diga que
tomou esse ou aquele
caminho porque
não teve opção.

É a vida, o que podemos fazer?
Devemos aceitar as
situações porque esse
é o nosso destino.

Será?
Se fosse assim,
melhor seria não fazer nada,
se sentar num canto e
esperar o destino
acontecer.

Temos opções sim,
mesmo se não são as
que esperamos,
as que desejamos.

Podemos desistir,
podemos perseverar,
podemos ficar parados para ver o que acontece. O que não podemos, geralmente, é voltar atrás. Não... nós voltamos atrás nas nossas decisões, mas não nas conseqüências que elas já ocasionaram em nós... e nos outros!

Quando a caminhada
parecer longa e dura demais
e as pessoas acharem que
você vai desistir,
encha o peito de fôlego
e prove do que você é capaz.
Volte a ser criança e
aceite o desafio,
sem duvidar um instante
que você vai conseguir.

Lute até o último
instante e se você não
mudar a situação,
vai ter deixado pelo
menos nos outros e em
você mesmo a impressão
de um batalhador,
que não se deixa
facilmente vencer.

Não deposite nas mãos
de ninguém e em nada
a chave para a sua felicidade.
Guarde consigo o poder
de ser dono da sua própria
vida e diga-se que se
você for um bom condutor,
vai saber evitar acidentes.
E se eles vierem,
apesar de tudo,
nem por isso condene-se!

Muitas quedas acontecem
para nos acordar para
uma outra realidade,
para nos ensinar a
parar um pouco e,
quem sabe,
encontrar outras direções e saídas.
E caminhar sem parar
pode ser extremamente
entediante e cansativo.

Guarde no seu coração
o amor a si mesmo e aos outros,
cultive a fé como arma de luta,
como escudo,
seja guerreiro na história,
nem que seja a sua e vença,
porque se o próprio
Deus acredita em você,
não há razão para duvidar.

TEXTO: Letícia Thompson

* * * * *
Texto lido no programa
"Madrugada Viva Liberdade FM"
no quadro
"Momento de Reflexão"
no dia 09 de Setembro de 2.010.

Nenhum comentário: