segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Iniciando um novo ano

Toda vez que o
ano vai chegando ao fim,
parece que todos vamos
manifestando cansaço maior.

Seja porque as festas se multipliquem
(são formaturas, casamentos, jantares de empresas),
seja porque já nos vamos preparando
para as viagens de férias
de logo mais.

De uma forma ou de outra,
é comum se escutar as pessoas
desabafarem dizendo que desejam
mesmo que se acabe logo o ano.

Quem muito sofreu,
deseja que ele se acabe e aguarda dias novos,
de menos dores.

Quem perdeu amores,
deseja que ele se acabe de vez,
na ânsia de que os dias que virão
consigam trazer esperanças ao
coração esfacelado pelas ausências.

Quem está concluindo algum
curso e deu o máximo de si,
deseja que os meses que se
anunciam cheguem logo,
para descansar de tanto esforço.

E assim vai.
Cada um vai pensando no
ano que se finda no sentido de
deixar algo para trás.
Algo que não foi muito bom.

Naturalmente,
muitos são os que veem findar
os dias do ano com contentamento,
pois eles lhes foram propícios.

Esses,
almejam que os dias
futuros reprisem esses
valores de alegria,
de afeto,
de coisas positivas.

Ano velho, Ano Novo.
São convenções marcadas
pelo calendário humano,
em função dos movimentos do
planeta em torno do astro rei.

Contudo, psicologicamente,
também nos remetem, sim,
a um estado diferente.

Como Deus nada faz,
em Sua sabedoria,
sem um fim útil,
também assim é com a
questão do tempo como
o convencionamos.

Cada dia é um novo dia.
A noite nos fala de repouso.
A madrugada nos anuncia
oportunidade renovada.

Cada ano que finda nos
convida a deixarmos para
trás tudo de ruim,
desagradável que já vivenciamos,
permitindo-nos projetar planos
para o futuro próximo.

Por tudo isso,
por esta ensancha que a
Divindade nos permite a cada 365 dias,
nesta Terra,
pense que você pode
melhorar a sua vida no
ano que se anuncia.

Comece por retirar de sua
casa tudo que a atravanca.
Libere-se daquelas coisas
que você guarda nos armários,
na garagem,
no fundo do quintal.

Coisas que estão ali há muito tempo,
que você guarda para usar um dia.
Um dia que talvez nunca chegue.
Pense há quanto tempo elas estão ali:
meses, anos... esperando.

São roupas,
calçados, livros, discos antigos,
utensílios que você
não usa há anos.
Libere armários, espaços.

Coisas antigas,
superadas são muito úteis em museus,
para preservação da memória,
da evolução da nossa História.

Doe o que possa
e a quem seja mais útil.

Sinta o espaço vazio,
sinta-se mais leve.

Depois,
pense em quanta coisa
inútil você guarda em seu coração,
em sua mente.

Mágoas vividas,
calúnias recebidas,
mentiras que lhe roubaram a paz,
traições que lhe deixaram doente,
punhais amigos que lhe
rasgaram as carnes da alma.

Alije tudo de si.
Mentalmente,
coloque tudo em um
grande invólucro e imagine-se
jogando nas águas correntes
de um rio caudaloso que
as levará para além,
para o mar do esquecimento.

Deseje para si mesmo
um Ano Novo diferente.
E comece leve,
sem essa carga pesada,
que lhe destrói as
possibilidades de felicidade.

Comece o novo
ano olhando para frente,
para o Alto.
Estabeleça metas de
felicidade e conquistas.

Você é filho de Deus
e herdeiro do Seu amor,
credor de felicidade.
Conquiste-a.
Abandone as dores desnecessárias,
pense no bem.

Mentalize as
pessoas que são amigas,
que o amam,
lhe querem bem.

Programe-se para estar
mais com elas,
a fim de, fortalecido,
alcançar objetivos nobres.

Comece o ano pensando
em como você pode
influenciar pessoas,
ambientes,
com sua ação positiva.

Programe-se para vencer.
Programe-se para fazer
ouvidos moucos aos que
o desejam infelicitar e avance.

Programe-se para ser feliz.
O dia surge. É Ano Novo.
Siga para a luz,
certo que com vontade firme,
desejo de acertar,
Jesus abençoará as suas disposições.

É Ano Novo. Pense novo.
Pense grande. Seja feliz.

TEXTO: Redação do Momento Espírita.
Disponível no CD Momento Espírita, v. 13, ed. Fep.
* * * * *
Texto lido no programa
"Madrugada Viva Liberdade FM"
no quadro
"Momento de Reflexão"
no dia 30 de Dezembro de 2.010.

Nenhum comentário: