segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Crie a idade que você quiser

O maior engano das pessoas é contar
a idade pela soma dos aniversários.
É como dizer que uma pessoa tem mais ou
menos saúde de acordo com o número
de refeições que faz.

Ralph Waldo Emerson,
filósofo norte-americano,
disse que;
"nós não contamos
os anos de um homem até que
ele nada tenha a contar".

Para comprovar que não tem
o menor fundamento essa
maneira empírica de
contar a idade,
basta você olhar ao seu redor.
Verá pessoas envelhecidas
e desiludidas
com vinte anos de idade e verá
pessoas brilhantes, magnéticas,
com setenta anos.

Não aceite a propaganda
constante que fala de velhice,
esclerose, inutilidade,
aposentadoria, imprestabilidade.
Isso é mentira.

A idade nada
tem a ver com isso.
Você somente está
envelhecendo quando
acreditar que
está envelhecendo.

Os valores mais fortes da vida,
que mantém
uma pessoa vigorosa,
sadia, jovem,
produtiva,
não são patrimônio
exclusivo de uma fase
da existência,
mas se encontram
em todas as idades.

Você tem a idade
dos seus pensamentos.

No momento em que
perder o interesse pela vida,
você está envelhecendo.

Quando você deixar de sonhar,
está envelhecendo.
Quando você não procura
mais entender
a visão do seu futuro,
registre no seu
caderno de apontamentos que
você começou a envelhecer.

Você quer saber quando está se
aproximando da perfeição?

Precisamente no momento
em que se fizer simples,
leve, agradável,
positivo e aberto,
como as crianças.

O grande Mestre disse:
"Se não vos tornardes como crianças
não entrareis no reino dos céus".

Tenha, pois,
a idade espiritual da criança.
Seja livre, confiante,
alegre, simples, grato, amável,
corajoso e fraterno como as crianças.
Acredite na vida, como as crianças.
Confie nos outros, como as crianças.
Viva o presente, como as crianças.

Encare o futuro, como as crianças,
sem medos e angústias antecipados.

TEXTO: Lauro Trevisan
* * * * *
Texto lido no programa
"Madrugada Viva Liberdade FM"
no quadro
"Momento de Reflexão"
no dia 01 de Fevereiro de 2.011.

Nenhum comentário: