segunda-feira, 11 de julho de 2011

Contentamento

Não ponha seus sonhos em lugares altos
demais onde suas mãos não poderão alcançá-los.
Mesmo se a vida parece ilimitada,
nós possuímos nossos limites e esperar por algo que está
muito além pode nos impedir de olhar à nossa volta.

Buscamos longe flores que poderíamos
encontrar em nosso jardim,
porque o que está distante sempre parece encoberto
por uma neblina que elimina toda imperfeição.

Não nos prepararam para aceitar as coisas ou as
pessoas como elas chegam,
com muita ou pouca bagagem,
com força ou sem muita vontade.

Então desenhamos na nossa mente e fotografamos
no nosso coração algo que só pode existir
atrás da linha da realidade.
E nos pomos a esperar...

Nos tornamos assim culpados de uma
solidão da qual culpamos a vida ou os demais.
Nos negamos a aceitar,
pedindo ainda que aceitem a nós,
e continuamos esperando pelo que o amanhã
vai nos trazer.

Envelhecemos sem sair do lugar,
sonhando ainda e além,
mas sem provar da vida nesses mínimos detalhes,
nem sempre coloridos e perfeitos tais raios de arco-íris,
mas reais o bastante para nos fazer sentir vivos.

Não... não ponha seus sonhos além do que
os seus braços alcançam.
Aprenda que ser feliz é buscar o contentamento
do prazer de cada instante.

Aprenda a ser flexível e menos exigente.
Ria de bom coração quando tiver que
rir e não permita que as mágoas te impeçam
de viver o minuto seguinte.

Preciosa é a vida e preciosos são os que amamos.
Preciosos ainda são aqueles que nos amam,
os que cativamos.
Precioso é o hoje,
é o que temos, é o que tocamos.

É essa realidade, nem todo o tempo bonita,
mas ainda assim a nossa contribuição
para a história do mundo.

TEXTO: Letícia Thompson
* * * * *
Texto lido no programa
"Madrugada Viva Liberdade FM"
no quadro "Momento de Reflexão"
no dia 14 de Julho de 2.011.

Nenhum comentário: