segunda-feira, 8 de agosto de 2011

O sol não te molestará de dia nem a lua de noite

Eu gostaria de caminhar sempre firme,
olhando para a frente,
sem hesitações,
sem dúvidas,
sem coração dolorido,
sem o cansaço da alma,
que pede repouso.

Pouco entendemos ou não
entendemos nada
das dificuldades que atravessamos.

Quando a questão é felicidade,
nem nos perguntamos,
não precisamos saber.

Mas viver dores é outra coisa.
Queremos saber por que,
o porquê,
queremos entender para melhor digerir.
Consumimos a felicidade
de bom grado,
mas as dores (ah, as dores!)
elas é que nos consomem
e de jeito inteiro!

Quando crescemos
na sabedoria da Palavra,
aprendemos a viver de promessas,
a nos apegar a elas,
com um náufrago se apega
à primeira coisa que se encontra
à sua disposição.

E isso,
pelo menos,
nos faz sentir melhores.
A esperança faz viver,
dizem.

Eu diria que a esperança
faz sobreviver.
E esperança,
Deus nos dá de sobra.

É sabido que quem tem fé
suporta melhor as dores,
mesmo físicas.
Quem carrega consigo a cruz,
carrega também a história da salvação,
o perdão imerecido,
portanto, recebido.

Quem suporta o peso da vida
e a recebe como um dom alcançado,
carrega em si as promessas que
são a chave da vitória.

"Vinde a mim todos vós que estais
cansados e oprimidos..."

"Lançai sobre Ele todas as
vossas ansiedades..."

"No mundo tereis aflições,
mas tende bom ânimo..."

"Deus guardará a tua entrada
e a tua saída..."

"O sol não te molestará de dia,
nem a lua de noite..."

"Perto está o Senhor de todos
os que O invocam..."

Não,
não nos faltam promessas.
Não nos falta esperança
e não nos faltam portas de saída,
mesmo se não as
vemos com nossos simples
olhos humanos.

Quem seguir em frente
e acreditar,
achará vitória.
E quem vencer,
receberá a coroa da vida.

TEXTO: Letícia Thompson

* * * * *
Texto lido no programa
"Madrugada Viva Liberdade FM"
no quadro
"Momento de Reflexão"
no dia 10 de Agosto de 2.011.

Nenhum comentário: