sábado, 16 de junho de 2012

Fendas no coração

Quando nascemos nosso
coração é inteiro.
Fechado, envolto,
é aos pouquinhos que vai
se abrindo e aprendendo o que
é o amor e a dor.

Com o passar dos anos vamos
nos entregando às paixoes,
às esperanças,
às expectativas de encontrar
a felicidade.
E as decepções chegam...
e o fechamos!

Nosso erro é fechá-lo
com mágoas por dentro,
com as feridas que, sem ar,
sem a possibilidade de
carinho que entre,
possam cicatrizar.

Por isso pessoas amarguradas
podem ficar assim até a morte.

É preciso deixar uma fenda
onde as tristezas possam
se evacuar,
onde elas liberem lugar
para que o amor entre novamente.

Só que é preciso ter
o cuidado para não deixar uma
fenda grande demais!...

Um coração cansado
e carente é uma presa fácil.

Pessoas que vivem
desgastadas por uma vida
inteira onde os sonhos
parecem já não mais existir,
podem confundir com amor
a necessidade de sentir de novo
emoção e paixão.

Pessoas que encontram
a sua alma-gêmea no momento
exato que se sentem
fragilizadas precisam ter o cuidado
para não cair nessa
armadilha.

Sei que é difícil ser objetivo
nessas horas.

A monotonia do nosso
dia pode fazer
com que vejamos as coisas
de fora bem mais bonitas
do que são realmente.

Há um momento onde
queremos voltar
no tempo da adolescência
e sonhar de novo com
um grande amor,
queremos paixão,
queremos sentir de novo
o coração batendo mais forte,
queremos a dor no estômago
da espera de um encontro marcado,
a felicidade misturada
com ansiedade ou não sei o quê.

Nessas horas deixamos
uma fenda grande demais
no coração e um pouco de atenção,
uma palavra carinhosa
ou um gesto gentil podem
entrar e tomar forma de amor,
que na realidade amor nao é:
é necessidade!
Necessidade de reviver.

Sei como dói ouvir coisas assim,
porque então tudo parece
ainda mais sem sentido.
Só nós sabemos o que vai
por dentro do nosso peito.

E, portanto...
deixe o tempo passar...
a pessoa perfeita já não
será assim tão perfeita,
o grande amor que chegou já não
vai parecer assim tão grande.

Quando estamos nos afogando
é fácil segurar a primeira
tábua que nos cai nas mãos,
mas isso pode ser apenas
um meio da gente nadar até a
praia para ver novos horizontes.

Uma vida mal resolvida não
encontra soluções
mágicas em um amor que
acabou de chegar.
Cada coisa no seu tempo.

Antes de deixar entrar
alguém pela fenda do seu coração,
jogue fora sua infelicidade.
Faça faxina interna,
coloque ordem,
resolva sua vida.
Depois siga em frente...
um amor verdadeiro talvez
te espere do outro lado,
mas então você vai saber
que não o tem por carência,
mas porque a vida resolveu te dar
uma segunda chance.

TEXTO: Letícia Thompson
* * * * *
Texto lido no programa
"Madrugada Viva Liberdade FM"
no quadro
"Momento de Reflexão"
no dia 22 de Junho de 2.012.

Nenhum comentário: