sexta-feira, 10 de maio de 2013

Seguindo Em Direção Ao Sol

"Mas para vós, 
os que temeis o meu nome, 
nascerá o sol da justiça"
(Malaquias 4:2).

"Toda árvore, 
como o homem, 
deve decidir por si mesma, 
viverá em uma floresta atraente e se 
esforçará para atingir o lugar mais alto, 
onde encontrará a luz do sol ou desistirá 
de lutar e se conformará em viver em
um lugar sombrio?" 
(Ernest Thomson Seton)

Qual tem sido a nossa decisão? 
Olharemos para as dificuldades, 
para as lutas de cada dia, 
para os fracassos já experimentados? 
Desistiremos de buscar os nossos sonhos? 
Esqueceremos os planos de conquistas? 
Deixaremos que as sombras continuem 
a nos subjugar sem batalharmos 
para mudar a situação?

Por mais difícil que seja a nossa caminhada, 
não desistiremos jamais!

Insistiremos! 
Havemos de conseguir chegar ao topo. 
O Senhor está ao nosso lado... 
Ele nos ajudará... 
alcançaremos a vitória! 
Não podemos permitir que as 
sombras nos sufoquem, 
que o pessimismo nos impeça de avançar, 
que o ambiente determine a nossa vontade.

Deus quer fazer o sol brilhar sobre
nossas vidas e nada neste mundo pode ser 
capaz de impedir esta grande bênção.

Quando nos contentamos com as coisas 
que o mundo oferece, 
perdemos a oportunidade de conhecer 
as grandes maravilhas de Deus.

NEle nos tornamos novas criaturas, 
caminhamos com firmeza e segurança, 
sabemos para onde
vamos e contamos com Sua companhia, 
herdamos uma morada celestial que nos
abrigará por toda a eternidade.

Nele aprendemos a não nos conformar com uma
vida medíocre e sem perspectivas, 
a lutar por nossos ideais, 
a livrar-nos das sombras para encontrar 
o sol que nos conduzirá a águas tranquilas.

Como a árvore que se estende 
até o topo da floresta para ali encontrar o
sol e força para viver, 
nós nos esforçaremos para seguir 
em direção ao Sol da Justiça e, 
então, 
viver abundantemente e feliz.

TEXTO: Paulo Roberto Barbosa
* * * * *
Texto lido no programa 
"Madrugada Viva Liberdade FM" 
no quadro 
"Momento de Reflexão" 
no dia 11 de Maio de 2.013.

Nenhum comentário: