quinta-feira, 18 de julho de 2013

Mentiras - Mendacium)

Quem enuncia um fato
que lhe parece digno de crença
ou acerca do qual forma opinião
de que é verdadeiro,
não mente,
mesmo que o fato seja falso”.
* Santo Agostinho *

A mentira é
como uma corrente
cheia de elos soltos.

Quem a conta,
tem que ir soldando elos,
contando mais mentiras,
remendando a sua vida,
para dar força
a primeira mentira
e quando uma delas
se quebra,
a corrente se desfaz,
e o que resta é a vergonha.

Por isso,
quanto maior for a explicação,
maior a possibilidade de existir
uma mentira.

E a mentira cria raízes.

Vai se enrolando
na pessoa que mente,
criando uma falsa idéia
de facilidade,
ou seja,
uma “mentirinha”
aqui não faz mal,
essa outra mentira ali,
é para ajudar a pessoa,
esta,
é para não perder isso,
e aquela outra,
é porque a pessoa
não vai suportar a
verdade!

Ampliamos as desculpas
para mentir.
E nos enrolamos nas
suas raízes.
E já não sabemos o que é
verdade e o que é mentira.
E um dia,
quando menos se espera,
escorregamos na verdade,
e caímos na humilhação de
sermos declarados falsos,
perdemos amigos,
magoamos parentes,
destruímos relações…

E o pior,
fazemos mal a nós mesmos.
O que era boa intenção,
virou pesadelo,
e o que era uma forma de aliviar,
virou dor profunda.

Corte essa raiz antes
que ela se firme.
Antes que ela se estabeleça
no seu canteiro,
e de simples planta no terreno.
passe á ser a dona do
jardim da sua vida,
matando as belas flores
que existem em você.

Eu acredito em você

TEXTO: Paulo Roberto Gaefke
* * * * *
Texto lido no programa
"Madrugada Viva Liberdade FM"
no quadro
"Momento de Reflexão"
no dia 19 Julho de 2.013.

Nenhum comentário: