quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Felicidade

O que precisamos 
ter é a compreensão de 
que as coisas na 
nossa vida são 
dinâmicas e fluídas.

Quando o ser humano 
está feliz bloqueia a felicidade, 
pois deseja a eternidade 
para esse momento. 
Torna-se rígido, 
com medo de 
que o prazer acabe.

Quando está infeliz, 
julga que o sofrimento 
não terá fim, 
mergulha na sobra, 
e assim amplia sua dor.

Como as ondas do mar,
 a vida é dinâmica, 
é tão certa a 
subida quanto a descida.

Cada momento tem 
a sua beleza. 
No prazer nós nos 
expandimos e na dor 
contraímos.

Um movimento constitui 
a base da felicidade. 
Você não pode ser 
feliz somente quando 
tem prazer, 
pois perderá o maior 
aprendizado da existência.

Você deve descobrir um 
jeito de ser feliz 
na experiência dolorida, 
porque ela 
carrega a oportunidade 
de desenvolvimento.

Não desfrute somente o sol, 
aprecie também a lua. 
Não desfrute 
somente a calmaria, 
aproveite a tempestade. 
Tudo isso enriquece 
a existência.

A vida não acontece somente 
dentro de uma casa, 
de uma cidade, 
de um País,
 ela tem de ser experimentada 
dentro do Universo.

A felicidade é um jeito de viver, 
é uma conduta,
 é uma maneira de estar 
agradecido ao sol, 
a lua, 
a quem lhe estenda 
a mão e também a quem 
o abandona, 
pois certamente nesse 
abandono está 
a possibilidade de você 
descobrir a força que 
existe em seu interior.

A felicidade não é o 
que as pessoas tem, 
mas o que elas fazem 
com isso.

Por esse motivo há 
pessoas que, 
apesar de ter bens materiais, 
de ser bem relacionadas, 
com filhos saudáveis, 
ainda se sentem 
angustiadas e deprimidas.

TEXTO DE: Roberto Shinyashiki 
* * * * *
Texto lido no programa 
"Madrugada Viva Liberdade FM" 
no quadro 
"Momento de Reflexão" 
no dia 21 de Novembro de 2.013.

Nenhum comentário: