sábado, 11 de janeiro de 2014

QUANDO VEM A BRISA

Pouco a pouco, 
ainda que contra a nossa vontade, 
vamos nos acostumando 
a conviver com os vendavais 
que ameaçam nossa vida. 
Na medida do possível, 
vamos nos adaptando à fúria 
dos ventos contrários, 
e também, 
com a força das águas turbulentas. 
Tudo não passa de uma 
necessidade de sobrevivência, 
afinal de contas, 
viver é o 
que realmente importa.

Se cada um de nós 
se der conta de que nosso 
passado registra 
uma história de lutas, 
algumas das quais 
profundamente dolorosas, 
diante das quais achávamos 
que não iríamos sobreviver, 
tamanha era a desproporção entre 
a nossa força e as forças 
contrárias que se levantavam 
contra nós. 
Eram rios violentos, 
águas turvas, 
ventos destruidores, 
personificados em pessoas 
que nos enganaram, 
representados também 
por governos, 
poderes, 
circunstâncias adversas 
e noites escuras. 
E apesar de tudo, 
aqui estamos nós. 
Passaram os ventos, 
o mar se acalmou, 
as águas turvas foram 
acariciadas pela brisa da paz 
e nós sobrevivemos. 
Afinal de contas, 
depois da tempestade vem 
sempre uma brisa que nos 
faz sonhar e continuar 
vivendo.

Provavelmente, 
muitos leitores desta singela 
reflexão dominical, 
estejam vivendo um tempo 
de tempestades ou mesmo, 
de um verdadeiro furacão. 
Tudo parece estar dando errado. 
Quando oramos, 
os céus ficam em silêncio. 
Buscamos socorro nos amigos 
e eles estão muito ocupados ou 
até sofrendo mais que nós mesmos. 
O sorriso foi substituído pela 
lágrima e a alegria 
sufocada pela a dor. 
A fé fica abalada e o desespero 
começa a dar sinais de proximidade. 
Mais que nunca é preciso serenidade, 
paciência e humildade, 
pois, com certeza, 
depois da tempestade sempre 
se descortinam diante de nós 
horizontes novos, 
adornados pela esperança.

Não entre em pânico, 
não se desespere, 
não entregue os pontos, 
não proclame derrota e 
não antecipe o fim. 
Para quem tem fé, 
“jamais” 
é um tempo que não existe, 
pois ao que crê, 
tudo lhe é possível, 
é o que nos garante o 
Mestre Jesus.

Em tempos de crises agudas, 
não devemos tomar decisões 
precipitadas, 
pois desde que o mundo é mundo, 
a vida nos tem ensinado 
uma grande lição: 
Tudo é passageiro, 
inclusive a nossa dor. 
Em meio a tempestades, 
o que mais importa é não 
perder o controle do barco, 
segurar firme os remos, 
levantar bem a cabeça e descobrir, 
em meio às águas revoltas, 
o norte que nos levará a 
um porto seguro. 
Existe sempre um porto 
escondido em algum 
lugar do oceano.

Quando a sua vida estiver 
ameaçada pelos tempestades, 
segure firme nas mãos de Deus pois, 
dEle vem não somente 
a força que nos ampara, 
como também, 
é Ele quem faz cair sobre 
nós uma brisa suave, 
com o perfume da vida, 
a beleza da paz e o encanto 
da esperança. 
Por isso mesmo, 
tudo se acalma, 
quando vem a brisa. 
É só uma questão de tempo; 
uma experiência de fé.

Nesta vida turbulenta, 
só existe bonança aonde 
Deus estiver presente. 
Quando vem a brisa, 
chegam também com ela a 
serenidade e a certeza da vitória, 
pois quando a brisa vem trás 
também consigo a doce 
presença de Deus.

TEXTO DE: Pr. Estevam Fernandes de Oliveira
* * * * *
Texto lido no programa
"Madrugada Viva Liberdade FM"
no quadro
"Momento de Reflexão"
no dia 12 Janeiro de 2.014.

Nenhum comentário: