segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Não deu pra planejar o título


A gente quase sempre acha que está controlando a própria vida. Gostamos muito de nos imaginar como donos do próprio nariz, coisa que até poderíamos ser, se o destino - esse espertinho - não tivesse uma vontade muito maior.

Durante esse tempo em que eu existo, durante os meus naufrágios, renascimentos ou voos livres, só pude constatar que não. dá. para. planejar. muito. Dizendo assim mesmo, pausada e diretamente. É que a gente cria todo um planejamento para nosso futuro, se imagina feliz acima de tudo, happy ending sem curvas. É difícil planejar desapontamentos ou erros, eu sei. Mas é preciso considerar que a vida também tem um fluxo no qual não temos muito controle. E nadar contra a maré será exaustivo.

Com isso, comecei a ver as coisas de forma diferente. Mais suave, talvez. Tomei um certo horror a gente que escolhe a roupa uma semana antes, que sofre antecipadamente com o que só vai acontecer em 3 dias e sim, não consigo confirmar presença num show daqui a 4 meses. É que eu entendi que só tenho - realmente - o Agora. Ontem já foi e amanhã eu nem sei se chega. Não é que eu não tenha metas, planos ou desejos. Mas eles só acontecerão se eu viver um dia de cada vez e há de se considerar alguns desvios de percurso. 

Fluir com a vida não significa ficar ao léu. Mas sim, entender que algumas vezes não temos o controle de tudo. E ainda bem, porque se tivéssemos, daria muito trabalho se responsabilizar por todas as vezes que não demos certo.

Temos uma certa tendência a sofrer com mudanças. É desconfortável, é algo novo, dá um medo desgraçado. E pra que sofrer mais ainda pensando no que está ficando pra trás ou no "que-poderia-ter-sido-se-eu-fizesse-de-outro-jeito?".

A gente passa a vida tendo escolher que porta abrir, tendo que tomar decisões para o futuro, definir na adolescência o que - teoricamente - faremos pro resto da vida. Somos pressionados onstantemente para tomar uma posição, quando muitas vezes o que queremos é dizer "Eu não sei. Tenho que saber agora?". Nem sempre.

Depois de alguns anos eu percebi que a vida permite pausas. Um respiro, um fôlego. E se você não se permitir, ela vai se encarregar de te dar. Como eu já disse, ela é cheia de vontades e tem seu próprio fluxo. Fazer as pazes e embarcar nas suas águas seria a melhor das opções. Ninguém nunca chegou em lugar algum ficando ancorado no porto. Carpe Diem(Aproveite o seu dia)! 

TEXTO DE: Stéphanie Waknin
* * * * * * * * * * * * * * *
Texto lido no programa "Madrugada Viva Liberdade FM" no quadro "Momento de Reflexão" no dia 09 de Fevereiro de 2.017.
* * * * * * * * * * * * * * * 
AJUDE-NOS A AJUDAR
Só de clicar nos links de propagandas deste blog você ajuda a Campanha Natal Solidário que promovemos há 23 anos.

Nenhum comentário: