sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

O valor de um like

Nossa sociedade se modernizou e com ela, a nossa comunicação. O impacto da era virtual nas nossas relações é, de fato, assunto que ainda precisa ser muito analisado. Só que as coisas acontecem muito rápido e precisamos aprendê-las por conta própria. Não há quem nos ensine como se relacionar virtualmente, pois a cada dia há mais uma novidade.

A verdade é que nossos relacionamentos se tornaram extremamente online. Existe uma nova linguagem e formas de interagir e, se não me engano, estamos todos muito confusos. A comunicação textual abre precedentes para diversas interpretações, as mensagens visualizadas e sem resposta são a nova forma de rejeição e o verbo "curtir" ganhou conotação bem diferente de sua raíz etimológica.

Em tempos de "likes" e "views", as pessoas passaram a interagir por botões, por um simples "touch" na tela. Ninguém mais troca telefone, trocam-se redes sociais. Precisamos ver a forma que o outro se apresenta e todo seu investimento em marketing pessoal, para de fato, curti-lo. Quem aqui nunca ficou feliz com a curtida de alguém, que se manifeste. Quem não interpretou as constantes visualizações como um interesse do outro? Só que alguém já parou para se perguntar qual é o valor do like na sua foto? Por que interpretamos essa interação como uma forma de atenção? Como uma forma de presença, só que uma presença tão ausente, que em nada nos nutre.

Acho muito importante olharmos para isso. Essa necessidade da validação do outro em relação a nós, essa popularidade virtual de gente que nem se conhece (as trocas de likes ainda me perturbam) e principalmente, achar que as curtidas de quem gostamos são o suficiente para nos fazer feliz. Desde quando passamos a nos contentar com tão pouco?

O nosso valor, aquilo que pensamos de nós, não pode ser pautado por uma ferramenta virtual. A interação com os outros precisa ser muito mais próxima do que temos feito. De nada adianta aparecer uma curtida em em cada uma das suas fotos e a pessoa não aparecer na sua vida. É básico, simples assim. Adaptando então o ditado: em terra de likes, quem vê o outro, é rei.

TEXTO DE: Stéphanie Waknin 
* * * * * * * * * * * * * * *
Texto lido no programa "Madrugada Viva Liberdade FM" no quadro "Momento de Reflexão" no dia 04 de Fevereiro de 2.017.
* * * * * * * * * * * * * * * 
AJUDE-NOS A AJUDAR
Só de clicar nos links de propagandas deste blog você ajuda a Campanha Natal Solidário que promovemos há 23 anos.

Nenhum comentário: